30 de jul de 2010

Metalúrgicos de Minas Gerais estão em campanha salarial unificada

A campanha salarial dos metalúrgicos do estado de Minas Gerais foi iniciada oficialmente na tarde hoje, com a entrega da pauta de reivindicações aos representantes da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg). Estão unidos 30 sindicatos, que representam mais de 200 mil trabalhadores. Os metalúrgicos fizeram um ato público  na porta do Centro de Negociações Coletivas da Fiemg, em Belo Horizonte.

“O crescimento do Brasil se faz com valorização do trabalho”, dizia uma faixa assinada pelo Sindicato dos Metalúrgicos de Betim, Igarapé e Bicas e pela CTB.  Com discursos afinados, os sindicalistas destacaram a importância da unidade na categoria. "O setor metalúrigco vem crescendo em função das políticas implantadas pelo governo federal, Minas Gerais cresce o dobro do Brasil, mas infelizmente, ainda temos metalúrgicos recebendo R$ 550”, destacou Marcelino Rocha,  presidente do sindicato e da Federação Interestadual de Metalúrgicos e Metalúrgicas do Brasil (FIT METAL).  


Além da CTB, estão diretamente envolvidas na campanha salarial unificada CUT, Força Sindical, UGT e federações filiadas. O presidente da CTB Minas, José Antônio de Lacerda, o Jota, vê com bons olhos a iniciativa de unidade e acredita que a campanha dos metalúrgicos acontece numa condição bastante diferenciada da negociação anterior. Jota lembrou que o governo e o mercado projetam crescimento de 7% em 2010, o que atesta a superação da crise econômica.  “As exportações estão a todo o vapor e todos os setores da economia apresentam crescimento. Esse ano eles não podem reclamar que não tiveram lucro", destacou.

As principais reivindicações são a redução da jornada de trabalho para 40 horas semanais e sem cortes de salário, reposição da inflação pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), ganho real de 10%  e abonos conforme o salário nominal de cada trabalhador.

Redação: Verônica Pimenta/Jornalista CTB Minas


Encontro Nossa América está mais representativo

Por: João Batista da Silveira, Diretor Secretário da FITEE e Diretor Tesoureiro do SAAEMG


Como trabalhador no ensino privado e um dos três representantes da FITEE – Federação Interestadual dos trabalhadores em Estabelecimento de Ensino, participei do III Encontro Sindical Nossa América, que ocorreu em Caracas, Venezuela nos dias 21, 22 e 23 de julho de 2010. Comparando com o II ESNA, ocorrido em São Paulo no ano passado, do qual também tive o privilégio de participar, este foi muito mais representativo. Com presença de delegação de 28 paises da América Latina e Caribe, contando inclusive com delegados do movimento sindical norte americano e contando com os aproximadamente 200 companheiros venezuelanos, conforme estimativas estiveram presentes 500 delegados.


 Objetivando a unidade dos trabalhadores da América Latina e Caribe o Encontro Sindical Nossa América tem sido uma ferramenta importante na qualificação da luta contra o neoliberalismo. E este é o tom das discussões que são travadas em todos os painéis e plenárias realizadas. Na plenária final, quando foi aprovado o documento final, esteve presente o Presidente da República Bolivariana da Venezuela, o comandante Hugo Chavez.

Além de participar do III ESNA, os trabalhadores da educação aproveitando a presença das delegações, reuniram-se com o senhor Valentin, responsável pela Secretaria de Educação da Federação sindical Mundial-FSM. Momento importante intermediado pela Flatec – Federação Latina Americana de Educação e Cultura. Momento muito importante, onde foi discutida a unidade e a melhor forma de organização dos trabalhadores deste ramo de atividade na América Latina e Caribe.

Junto a este singelo comentário coloco a disposição a Lei Orgânica de Educação da Venezuela, documento distribuído durante a realização do seminário promovido pela Flatec.

27 de jul de 2010

Juventude Rural não quer deixar o campo, mas precisa de condições para ficar, defende Contag

Fonte: Agência Brasil

Ao contrário do que muitos pensam, a juventude rural brasileira não anseia em deixar o campo e seguir para os grandes centros urbanos, mas as condições impostas no interior do país forçam a saída desses jovens, de acordo com a Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag).
Ao participar da cerimônia de abertura do 2º Festival Nacional da Juventude Rural, a secretária de Jovens Trabalhadores Rurais da Contag, Maria Elenice Anastácio, lembrou que quase 8 milhões de jovens trabalham no campo – 3 milhões deles permanecem analfabetos. Há problemas também na área de saúde, crédito, estradas e moradia.
“Não somos a minoria, como é dito nas estatísticas. Somos marcados pela invisibilidade. Pregaram, ao longo dos anos, que a juventude é o futuro. Porém, esse futuro depende do presente que estamos ofertando para essa juventude”, disse ela, ao destacar o que considera uma dívida histórica do Brasil com a juventude.
Maria Elenice destacou que políticas específicas para a juventude têm havido, mas apenas nos grandes centros urbanos. Desta forma, para que os jovens do campo tenham acesso a uma boa educação, por exemplo, precisam deixar o ambiente rural.
“Não é uma escolha nossa não ficar no campo, são as condições que nos empurram a sair. Mesmo precárias, elas só existem nas cidades. Não é verdade que não queremos ficar, mas precisamos ter condição de ficar na terra”, afirmou. Segundo Maria Elenice, é preciso que haja melhorias no acesso ao crédito e garantia de preço mínimo para o que é produzido pelos jovens.
Para o secretário nacional da Juventude, Beto Curi, há avanços na área, como a sanção da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) nº 42/08, a chamada PEC da Juventude. A proposta inclui os jovens como público-alvo de políticas públicas. Ele citou ainda o ProJovem Campo, que oferece qualificação profissional e escolarização a jovens agricultores familiares de 18 a 29 anos, que não concluíram o ensino fundamental.
“O Brasil começa a recuperar a dívida histórica que tem com os jovens. Ampliar escolas técnicas, universidades, ampliar os direitos aos jovens. É dessa forma que vamos avançar no tema juventude como política pública de Estado”, concluiu Beto Curi.

Breves relatos de uma sindicalista sobre o Encontro Nossa América


Por Rogerlan Augusta de Morais: Diretora do SAAEMG, Secretária Geral da CTB/MG e diretora da FITEE.

O III Encontro Sindical Nossa América, que ocorreu em Caracas/Venezuela nos dias 21, 22 e 23 de julho/2010, com participação estimada de 500 pessoas, foi emocionante para mim por vários fatores: primeiro porque não tive a oportunidade de participar dos dois encontros anteriores que aconteceram respectivamente em Quito e em São Paulo. Segundo, porque não conhecia, até então, Caracas. E, por último, porque tive a oportunidade de ver e ouvir de muito perto o Comandante Hugo Chávez Frias.


O Encontro foi extremamente proveitoso, pois tivemos a oportunidade de ouvir e relatar experiências. Os trabalhos foram divididos em três mesas/oficinas com os seguintes temas: conjuntura política, organização (plataforma de lutas) e programa de formação. Estabelecido os temas, as pessoas escolheram em qual oficina desenvolver os trabalhos e dirigiram-se para as salas designadas. Após relatos de experiências e sugestões de ações, os coordenadores fizeram os respectivos relatórios que foram apresentados a todos conjuntamente para conhecimento e aprovação. Nessa ocasião, tive a oportunidade de conhecer dois sindicalistas da Costa Rica que, como eu, representam os Auxiliares de Administração Escolar, só que ao invés da rede privada, eles representam os trabalhadores da rede pública. Eles me contaram que em seu país as escolas privadas são minoria, visto que o ensino público atende a toda a população com qualidade e, a escola particular é muito cara, não obstante, muitas vezes o ensino ser inferior ao setor público. Uma realidade bem diferente da do Brasil.

A participação do Presidente Hugo Chávez foi uma emoção à parte. Ele é muito carismático e simples. Apesar do forte esquema de segurança, ao final, tirou fotos com algumas pessoas da delegação do Brasil e, recebeu de presente da nossa Companheira Cristina Castro (Vice Presidente da FITEE) uma Bandeira do Brasil, que literalmente foi vestida por ele.

Em seu discurso, de mais ou menos 02h30, relatou sua história de vida política e como conheceu Fidel Castro. Informou que infelizmente, foi obrigado a cortar relações políticas com a Colômbia em função das afirmações inverídicas sobre a Venezuela abrigar guerrilheiros das FARC (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia). Em vários momentos, citou o presidente Lula e a Dilma Roussef sempre dirigindo-se à delegação do Brasil que estava bem à sua frente. Reafirmou, ainda, que para se construir o Socialismo é imprescindível a unidade dos trabalhadores.

Delegação mineira no Encontro Sindical Nossa América: Cristina Castro (FITEE), Marco Eliel (Sinpro Minas/CTB), Décio Braga (Sinpro Minas), João Bastista da Silveira (SAEEMG), Rogerlan Augusta de Morais (SAEEMG/CTB).

Caracas é muito bonita, ruas largas, muito limpa e colorida. Mas, como toda grande metrópole tem um trânsito caótico. Está localizada há uns 15 km do mar do Caribe, o qual, infelizmente, não tive a oportunidade de conhecer. Percebi que os Venezuelanos gostam muito do Brasil. Sempre que tentava me comunicar com alguém, logo vinha a pergunta: Brasil? Ao confirmar, diziam que gostavam muito do Brasil por ser um povo muito alegre e receptivo já que a maioria com quem conversei conhece alguma praia do nordeste. Os que não conhecem sonham em um dia passear no Brasil.

Veja mais fotos na página CTB Minas do ORKUT.

Leia no Portal CTB:

O Império contra-ataca com fúria e quer a guerra, acusa Chavez

Manifesto de Caracas reafirma unidade classista e e encerra trabalhos do Encontro Nossa América

26 de jul de 2010

Diesse prepara graduação em Ciências do Trabalho

Fonte: Portal Rede Brasil Atual

Criado em 1955 a partir do inconformismo de alguns dirigentes sindicais com os índices oficiais de inflação, o Departamento Sindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) está próximo de concretizar um antigo sonho: a criação de uma escola de nível superior de Ciências do Trabalho. "Estamos abrindo um campo novo de conhecimento", afirmou em entrevista ao programa de rádio Jornal Rádio Brasil Atual o coordenador de Educação do Dieese, Nelson Karam. A primeira turma deve ser formada no primeiro semestre de 2011.

Da década de 1970 para a de 1980, com a retomada da atividade sindical, acompanhando a abertura política, também se percebeu a necessidade de investir na formação e na qualificação dos dirigentes. As negociações trabalhistas exigiam, além da mobilização nos locais de trabalho, cada vez mais conhecimento técnico. Para isso, o Dieese criou o Programa de Capacitação em Negociação (PCN). O coordenador de Educação lembra que o desenvolvimento da formação "estava no DNA" do instituto.
"Já havia uma aposta do movimento sindical de criar um espaço regular de formação. Quando o Dieese completou 50 anos (em 2005), essa ideia foi recuperada", lembra Karam. Assim, no início deste ano o Dieese conseguiu a aprovação inicial do Ministério da Educação para credenciar a escola. Agora, falta a liberação do curso de Ciências do Trabalho. O técnico lembra que o objetivo é buscar algo diferente do atual padrão do nível superior, algo mais voltado para a realidade dos trabalhadores.

Com isso, coloca-se em debate uma nova visão sobre o trabalho. Karam lembra que, não muito tempo atrás, falava-se no fim do trabalho assalariado, formal. "Nós caminhamos na contramão dessa visão e agora, com a escola, estamos reafirmando a visão que o trabalho está no centro da sociedade", afirma Ele acrescenta que hoje existe muita produção sobre o mundo do trabalho, por meio de parcerias no meio acadêmico, como o Centro de Estudos Sindicais e de Economia do Trabalho, da Universidade de Campinas (Unicamp), no interior de São Paulo.

"O que estamos propugnando nesse momento é ousar na criação de um campo de conhecimento. O MEC não reconhece nenhuma diretriz curricular na área de Ciências do Trabalho", observa Karam. Segundo ele, o curso irá reunir num mesmo espaço de reflexão temas como Ciências Sociais, Economia, Sociologia, Antropologia e Direito, com "recorte de uma visão de determinado segmento da sociedade".

A escola vai funcionar em um prédio da União (cedido ao empreendimento por dez anos) na rua Aurora, região central de São Paulo. "Estamos aguardando essa nova comissão do MEC para autorizar a liberação do curso, um bacharelado de três anos de duração", diz Karam. O primeiro curso, previsto para o primeiro semestre de 2011, terá inicialmente 40 vagas, apenas de graduação. "A ideia é começar com o pé no chão", explica o coordenador. "É um aprendizado institucional importante também para o Dieese." A estratégia de expansão poderá incluir parcerias estaduais, principalmente com universidades públicas, para oferecer o curso em outros locais. E espalhar o conhecimento, sempre do ponto de vista dos trabalhadores.





23 de jul de 2010

Congresso do Sinpro Minas vai debater propostas para o Plano Nacional de Educação


Fonte: Sinpro

O 11º Congresso do Sindicato dos Professores de Minas Gerais (Consinpro), evento que reúne professores de todo o estado, pesquisadores e especialistas de diversas áreas, será nos dias 13 e 14 de agosto, no hotel Dayrell, em Belo Horizonte.


Com o tema Construindo o sistema nacional e articulado de educação: tensões e intenções dos setores privado e público, o Congresso irá discutir as diretrizes aprovadas na Conferência Nacional de Educação (Conae), realizada entre 28 de março e 1º de abril. A ideia é elaborar, a partir das discussões, propostas para o Plano Nacional de Educação (PNE).


O evento também vai debater outros assuntos relevantes do cenário educacional brasileiro, como a violência na escola, a qualidade da educação básica, a formação docente e a desnacionalização do ensino superior. As inscrições já podem ser feitas.



22 de jul de 2010

Contagem regressiva para a parada LGBT de Belô

A semana BH Sem Homofobia está a todo o vapor, e com debates de altíssima qualidade.






































Essa semana cidadã será fechada com chave de ouro, com a 13ª Parada LGBT de Belo Horizonte. A concentração começa às 11h, na Praça da Estação.




































E no sábado, dia 24/07, tem aquecimento dos tamborins ...


Todas as informações no blog do Cellos - Centro de Luta pela Livre Orientação Sexual de Minas Gerais .

Associação José Martí apresenta: Yoruba Andabo


Shows nos dias 24, 25 e 26 de julho, esta última data em que se comemora o Dia da Rebeldia Cubana

É com satisfação que a Associação Cultural José Marti de Minas Gerais (ACJM-MG), entidade sem fins lucrativos e de apoio e solidariedade a Cuba, desde 1986, apresenta a Companhia Cubana de Dança Folclórica YORUBA ANDABO, ganhadora de vários prêmios internacionais, como o Grammy Latino conquistado em 2001, na categoria de Melhor Álbum Folclórico, e com apresentações internacionais no Canadá e cidades como Paris e Genebra.



No Brasil, a cidade de Belo Horizonte, Minas Gerais, sedia o início da temporada de shows prevista para o período compreendido entre 23 de julho a 06 de agosto, ocasião em que também se realiza na capital mineira o 2º Congresso Internacional da Cultura e Religião Yorubá e as comemorações do 26 de julho, dia da Rebeldia Cubana.

Confira a programação :

Participação especial no 2° CONGRESSO INTERNACIONAL DA RELIGIÃO E CULTURA YORUBA

Dia 23 de julho (sexta-feira)

15h50min - AULA MAGISTRAL
Local: Ginásio CAIC - Nova Lima - MG


Dia 24 de julho (sábado)

15h - OFICINA DE CANTO
Local: Circo de Todo Mundo – Nova Lima - MG
20h – ESPETÁCULO DE ABERTURA DA TURNÊ BRASIL: RUMBA VIVA DE HAVANA
Local: Teatro Franzen de Lima - Praça Bernardino de Lima , no centro da cidade– Centro – Nova Lima – MG


Dia 25 de julho (domingo)

16h - SHOW DE ENCERRAMENTO
Local: Centro Cultural 104 - Praça da Estação – BH – MG
Participação especial no evento: “Cuba, 26 de julho - O Dia da rebeldia”


Dia 26 de julho (segunda-feira)
de 17 às 21h - ENSAIO ABERTO do Yoruba Andabo com as presenças da Cia. Primitiva da Dança Negra, Mestre Conga, Maestro Pepe, Roda de Capoeira da Acesa.
Local: Centro Cultural 104 - Praça da Estação – BH – MG

QUEM É YORUBA ANDABO

A companhia tem sua gênese nos cais do Porto de Havana, em 1961, quando um grupo de trabalhadores reunia-se em festas e eventos artísticos sindicais. Eles deram origem ao “Guaguancó Marítimo Portuário”, conjunto que, em 1985, iniciou sua atividade profissional com o nome de Yoruba Andabo.

A partir desse momento ofereceu sua arte em diversas atividades da União de Escritores e Artistas de Cuba (UNEAC), trabalhou com a empresa discográfica cubana EGREM por iniciativa do compositor e cantor cubano, conhecido internacionalmente, Pablo Milanês, e compartilhou a cena com a cantora folclórica Merceditas Valdés

Eleições 2010: Sindieletro lança projeto para a Cemig

Fonte: Sindieletro-MG

As eleições 2010 estão entre as prioridades estabelecidas pelo Sindieletro. Uma prova disso é que a entidade lançou uma proposta que visa o debate político sobre o futuro da Cemig e o setor elétrico na sucessão estadual e nacional.


Com o slogan “Uma outra Cemig é possível – Um projeto dos trabalhadores e da população”, a ação tem como principal objetivo envolver a categoria no processo das eleições 2010, mostrando que a política é determinante para a sociedade, a Cemig e as relações trabalhistas.


O diretor do Sindieletro, Marcelo Correia, que coordena o projeto, explicou que é fundamental envolver a sociedade na defesa da Cemig como empresa pública comprometida com o desenvolvimento econômico e social e com a preservação ambiental em Minas Gerais. “É importante a participação dos eletricitários para que eles possam reproduzir essa mentalidade na sociedade. O Sindieletro vai buscar o apoio dos candidatos ao governo do Estado para aderir às propostas que serão elaboradas pelos trabalhadores para o setor elétrico e para a Cemig. Faremos tudo para que o futuro governador contemple nossas contribuições em sua gestão porque ela vai refletir o desejo da categoria e da sociedade”, afirmou.

Entre os temas a serem abordados estão os efeitos do choque de gestão na Cemig, acidentes e mortes na empresa, terceirização, precarização do trabalho, qualidade dos serviços, tarifas caras, fechamento de agências e centralização dos serviços em Belo Horizonte e, ainda, a falta de investimentos em redes e na geração.

Já estão sendo realizadas várias ações que vão culminar no seminário “Por uma Cemig de qualidade na perspectiva dos trabalhadores e da sociedade mineira”. O evento acontecerá entre os dias 14 e 15 de agosto, no Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia de Minas Gerais (CREA-MG), com a participação de várias autoridades no assunto.

Além dos eletricitários, podem participar integrantes de outros sindicatos, movimentos sociais, organizações não governamentais, entidades de classe, estudantes e aposentados.


Faça sua inscrição

21 de jul de 2010

CTB Minas realiza encontros regionais


A CTB Minas convoca os sindicatos filiados e parceiros para a agenda de Encontros Regionais, que serão realizados entre os meses de agosto e setembro.

O objetivo é contribuir para a formação/atualização das lideranças sindicais, debatendo as conjunturas nacional e internacional. Outro objetivo é discutir o Planejamento Estratégico Situacional (PES), que contém as metas de organização da CTB Minas e foi elaborado pela Diretoria Plena no mês de junho desse ano.

Nos Encontros Regionais, as estratégias para fortalecer e aprimorar a organização da CTB Minas vão ser discutidas democraticamente com os sindicatos. O PES será, portanto, colocado em prática a partir das contribuições dos sindicatos e com o respeito às características culturais de cada localidade.

Previsão de Encontros

A) Pauta:

1) Conjuntura/Eleições
2) Planejamento Estratégico da CTB Minas
Horário: 9h às 17h

B) Calendário:

07 de Agosto: Encontro Regional do Sul de Minas Local: Sede Regional do Sinpro Minas em Varginha - Av. Dr. Modena, nº 261, Vila Adelaide.

Contatos:

(35) 9956-0504/3222-3303 Leandro (SAAEMG)
(35)3721-4453/8413-6040 Seleta (Metabase Poços de Caldas)
(35)3721-1898 Walker (Sindicato dos Têxteis de Poços de Caldas)
(35) 8813-7706 Adriana (Sindicato dos Servidores Municipais de Poços de Caldas)
(35) 9956-7719/9804-2631 Dinei (Sindicato dos Metalúrgicos de Lavras)
(35)3291-3568/8402-4514/98232142 Andréia (Coordenadora do Pólo da Fetaemg)

21 de Agosto: Encontro do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba
Local: Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Monte Carmelo – Rua Rio Claro, nº 30, Bairro Vila Dourada
Contatos:

(34)3842-1912 Divino (STR de Monte Carmelo e Coordenador Regional da CTB)
(34)9976-6186 Eurípedes (Sindicato dos Metalúrgicos de Uberlândia)
(34)9954-3544/9943-1420/3235-6126 Emerson (STR de Uberlândia e Coordenador Regional da CTB)
(34)99965984/33327494 Marcos Gennari (Sinpro Uberaba e coordenador regional da CTB)

28 de Agosto: Encontro Regional da Zona da Mata 1
Local: Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Alto Rio Doce - Rua Dr. João Batista Viana, nº 120, Bairro Centro.

Contatos:

(32)3333-5989/8408-5846 Márcio (STR de Barbacena e coordenador regional da CTB)
(32)3331-9335 Ana Paula (Sinpro em Barbacena)
(32) 9987-6396 Jose Luiz (Núcleo dos Servidores Municipais de Juiz de Fora e coordenador regional da CTB)
(32)8867-5321 França (Sindicato dos Correios de Juiz de Fora)
(32)8845-9769/34221-485/3466-1159 Fábio (Sinpro Cataguases)

04 de Setembro: Encontro do Noroeste Mineiro
Local: Sindicato dos Servidores Municipais de Unaí – Av. Governador Valadares, nº 1016, sl.111, Centro
Contatos:

(38)3676-6554/9809-4284 Adair (Sindicato dos Servidores Municipais de Unaí)
(061) 8586-0745/(38)9911-1345 Carlos Baromeu.

20 de jul de 2010

CTB Minas participa das eleições para o Sindicato dos Servidores Municipais de Belo Horizonte, o Sindibel

Companheiras e companheiros;

A CTB Minas apóia e integra a Chapa 1, Unidade Independência na Luta, candidata à Diretoria e ao Conselho Fiscal do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Belo Horizonte (Sindibel), triênio 2011/2013. Nosso companheiro Eduardo Goulart acompanha de perto esse processo político em nome da CTB Minas.

Nossa opção justifica-se pela coerência e mobilização por parte da atual diretoria, que compõe a Chapa Unidade Independência na Luta. O apoio à Chapa 1 deve-se à sua posição independente em relação à administração municipal. Foi uma gestão atuante, com um sério trabalho de combate ao assédio moral e que, pela sua resistência, conseguiu promover conquistas significativas nos acordos coletivos de trabalho, apesar da crise econômica mundial que forçou os cortes nos setores público e privado durante o ano de 2009.

O Sindibel é um dos maiores sindicatos de servidores municipais do nosso estado. Apoiar os nossos companheiros da capital e fortalecer sua luta significa também jogar um papel político em favor dos demais servidores municipais de Minas Gerais.

A eleição ocorrerá entre os dias 11 e 13 de agosto, entre 7h e 20h. O processo para a sucessão no Sindibel está bastante disputado, com a participação de 3 chapas. Dessa maneira, destacamos que é fundamental o apoio dos sindicatos filiados e parceiros da CTB Minas. Moções devem ser enviadas para o e-mail: unidadeindependencianaluta@gmail.com.

Saudações Sindicais;

Diretoria da CTB Minas.

19 de jul de 2010

Comunicado Sindicato dos Servidores Municipais de Governador Valadares, SINSEM-GV

Atenção Servidores Municipais

Mobilização Plano De Carreira

A  Administração Municipal informou que:

“...mesmo exercendo todas as tentativas, não irá concluir o PCCS até o dia 15 de julho conforme acordado e que não medirá esforços para enviar o Projeto de Lei a Câmara Municipal até o fim de outubro de 2010, para que o mesmo seja aprovado e sancionado até a data base do próximo ano”.

Diante desta comunicação oficial da Prefeitura sobre o adiamento do PCCS, comunicamos que já estamos trabalhando na mobilização da categoria e que logo após o recesso do mês de julho, estaremos convocando TODOS os servidores e servidoras para uma grande assembleia da categoria.

Servidor, somente com a mobilização de todos garantiremos um Plano de Carreira que atenda os nossos anseios.

Contamos mais uma vez com a participação de toda categoria.
Aguardem nosso chamado!!!

16 de jul de 2010

Campanha contra alto preço do gás já está nas ruas e adesão surpreende

Nessa sexta-feira, mulheres e jovens foram à Praça Sete, centro de Belo Horizonte, num ato público pela redução do ICMS do Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) em Minas Gerais. A alíquota no estado é de 18%, a maior do País.

"Não podemos aceitar esse abuso. É a maior taxa do Brasil", explicou Diomara Dâmaso, presidenta da  União Brasileira de Mulheres (UBM) em Contagem. Ela destacou  que uma eventual redução do imposto seria benéfica, além das donas de casa, para os distribuidores e comerciantes do setor. 


O preço médio do botijão de gás em Belo Horizonte é R$ 42, com pequenas variações nas compras efetuadas em caminhões, depósitos ou serviços de entrega, que cobram em torno de R$ 46. "Isso representa muito no orçamento doméstico", avaliou Bebela Ramos de Siqueira, presidenta do Movimento Popular de Mulheres (MPM) em Belo Horizonte.

Além do ato público, foi realizado um abaixo assinado. Chamou a atenção a adesão espontânea por quem cruzava a Praça Sete. Muito apressada, Dona Luci Maria da Conceição, retirou uns minutos para enfrentar a fila de assinaturas. Ela tinha que voltar ao trabalho, mas a causa valia a pena. "Esse gás está arrancando o couro de todo mundo", afirmou.

O apelo popular deu consistência à campanha. A gari Kelly Teixeira ficou sensibilizada com a causa, e explicou que sente na pele os efeitos de altos impostos. "Sou mãe, pai, dona de casa e acho um absurdo pagar R$ 42  num botijão de gás. Eu só ganho um salário mínimo e tenho três filhos para cuidar", desabafou. 

O ato público transcorreu em clima de tranquilidade. Ao fim da tarde, quatro fiscais da Prefeitura compareceram à Praça Sete. Com base no Código de Posturas do município, eles alegaram que a panfletagem seria proibida. A deputada federal Jô Moraes (PCdoB) ajudou a mediar a situação, que não se transformou em conflito.

Sem saber que era observado, um dos fiscais admitiu que havia aderido ao abaixo assinado. "Fui orientado a não deixar os panfletos, mas nada me impede de assinar", declarou. Pitorescamente, os fiscais chegaram tarde... o ato público já estava no fim e restavam poucos panfletos.

A manifestação e a coleta de assinaturas foram realizados pela UBM de Contagem e de Belo Horizonte, além do MPM da capital. Os jovens presentes pertencem à União da Juventude Socialista (UJS).

Redação: Verônica Pimenta/Jornalista CTB Minas




Pesquisa inédita avalia condições de saúde e trabalho dos vigilantes mineiros

Texto: Carlos Eduardo Carrusca
Enviado por: Vera Gomes


No dia 18 de setembro de 2010, ocasião do II Seminário Estadual sobre as Condições de Trabalho e Saúde dos Vigilantes, o Sindicato dos Empregados de Empresas de Vigilância e Transporte de Valores de Minas Gerais lançará o livro “Saúde e trabalho dos vigilantes patrimoniais e do transporte de valores” organizado por Carlos Eduardo Carrusca Vieira (PUC Minas), Francisco de Paula Antunes Lima (UFMG) e Maria Elizabeth Antunes Lima (UFMG).

A publicação apresenta os resultados de uma pesquisa intitulada Análise Ergonômica e Psicossocial das Condições de Saúde e Trabalho dos Vigilantes Patrimoniais e do Transporte de Valores, realizada pelos pesquisadores Carlos Carrusca, Maria Elizabeth A. Lima, Francisco de Paula A. Lima, Carolina Alda de Matos, Cassiana Machado F. Oliveira, Maria Andréia A. Leandro.

Fruto de uma parceria firmada entre os pesquisadores, o Sindicato dos Vigilantes de Minas Gerais e o Ministério Público do Trabalho, representado pela procuradora Advane de Souza Moreira, o estudo é inédito, o primeiro realizado no Brasil agregando metodologias qualitativas e quantitativas na investigação das condições de trabalho e saúde dessa categoria profissional.

Categoria comumente invisível, de tempos em tempos ganha notoriedade, ao ocupar as páginas dos jornais em decorrência de atos de violência que sofrem em assaltos e, sobretudo, quando agridem usuários dos serviços onde trabalham. Como teremos ocasião de discutir, os resultados obtidos pelo estudo permitem compreender esses atos de violência por parte dos vigilantes.

O estudo revela também que os vigilantes são vítimas de distúrbios de saúde relacionados às condições e organização do trabalho. O livro apresenta casos reais de vigilantes acometidos de transtornos mentais que foram estudados pelos pesquisadores. Deste modo, discutiremos como o processo de adoecimento ocorre e os fatores do trabalho relacionados aos distúrbios de saúde, bem como as medidas de proteção à saúde dos vigilantes.

Durante o Seminário, será também apresentado o Núcleo de Apoio Psicológico aos vigilantes vítimas de violência no trabalho, que funciona na sede do Sindicato dos Vigilantes, desde março de 2010.

15 de jul de 2010

CTB realiza encontro de advogados e militantes jurídicos

São Paulo, 15 de Julho de 2010.


Oficio: Circular nº 22/ SG/2010


1º ENCONTRO NACIONAL DE MILITANTES JURÍDICOS DA CTB

Aos Sindicatos Filiados a CTB

Prezados (as) Companheiros e Companheiras,

Diante da resolução do IIº Congresso Nacional da CTB, estamos convidando os Militantes da área Jurídica, dos sindicatos filiados a CTB a participarem do 1º ENCONTRO NACIONAL DE JURISTAS DA CTB, a ser realizado nos dias 19 e 20 de agosto de 2010, em Brasília, para ADVOGADOS E MILITANTES DA AREA JURÍDICA.

É de grande importância o empenho de todos para que estejam presentes nesta ocasião, tendo em vista ser fundamental este Encontro para fortalecimento e consolidação da CTB.

1. AS PASSAGENS SÃO DE RESPONSABILIDADE DOS PARTICIPANTES.

2. As primeiras 50 inscrições terão hospedagens garantidas pela CTB Nacional.

3. Os demais deverão se responsabilizar pela hospedagem.

4. Alimentação será garantida a todos e todas.

INSCRIÇÕES: deverão ser feitas até o dia 12/08/2010 através dos e-mails: ctb@portalctb.org.br / solange@portalctb.org.br

Posteriormente, enviaremos nova circular contendo informações sobre a pauta a ser discutida, hotel e local do encontro.

 Contamos com a participação de todos e todas.

Saudações Classistas,

Pascoal Carneiro

Secretário Geral.

Você sabe ser forte? Assista ao vídeo abaixo e depois responda.

video

14 de jul de 2010

Mulheres lideram movimento para reduzir preço do gás de cozinha

A União Brasileira de Mulheres (UBM) em Contagem organiza um ato público pela redução do preço do botijão de gás de cozinha, o Gás Liquefeito de Petróleo (GLP). O evento será na próxima sexta-feira, 16 de julho, na Praça Sete, centro de Belo Horizonte, a partir das 15h.

A UBM tem sido responsável pela articulação de um movimento com entidades populares, para a redução do ICMS cobrado sobre o GLP em Minas Gerais. O imposto está em 18%. É o mais alto do País, segundo o deputado estadual Carlin Moura (PCdoB). O GLP está em 90% das casas brasileiras, e tem grande impacto nas despesas dos consumidores, especialmente os mais pobres.

Encontro da UBM Contagem realizado em julho de 2009

Abaixo, uma entrevista com Diomara Dâmaso, Presidente da União Brasileira de Mulheres (UBM) em Contagem.

A reivindicação pela redução do gás de cozinha está relacionada ao fato de Minas Gerais ser o estado do País com maior alíquota de ICMS para o produto?

Sim. Por que Minas tem que ter o ICMS mais alto?.!

Além do preço do petróleo, o oligopólio na revenda também não seria um dos principais fatores para o alto preço do botijão de gás?

Acredito que a concorrência ajudaria muito na redução do preço, o oligopólio na venda do gás faz com que ele se torne cada vez mais alto.

Vocês defendem também alguma proposta para regulamentar a venda de gás, e tornar seu preço equilibrado em todas as regiões do estado?

Sim, como o gás encanado.

O que você acha da proposta de fracionar a venda do gás de cozinha, a exemplo do que ocorre com os combustíveis?

Acho que o combustível é muito caro no Brasil. Se isso viesse acontecer com o gás, pagaríamos muito mais caro que já pagamos, com toda a certeza.

Outras entidades já entraram formalmente para esse movimento? Quais?

Sim, entidades como o Movimento das Donas de Casa, associações comunitárias, e os nossos deputados estão aderindo a este movimento, que busca um bem comum para todos.

A UBM já programa outras atividades além desse ato público de sexta-feira?

Estaremos dia 16 de junho às 7h30 no Fórum Lafaiete, para dar o nosso grito de repudio ao maníaco de Contagem.

13 de jul de 2010

Centrais em Minas exigem providências contra a criminalização do Movimento Sindical

Representantes da CTB, CUT, NCST e Conlutas em Minas Gerais tiveram uma audiência hoje com Emília Facchini, vice-presidenta do Tribunal Regional do Trabalho (TRT-3ª Região). O encontro foi solicitado pelo Fórum das Centrais Sindicais no estado e aconteceu na sede do Tribunal em Belo Horizonte.



Os trabalhadores solicitaram mais abertura para o diálogo com sindicatos e centrais, além de providências contra a criminalização dos movimentos de trabalhadores organizados. Um caso emblemático, citado durante a audiência, foi a greve dos rodoviários de Belo Horizonte e Região Metropolitana, realizada em fevereiro deste ano. O TRT-3ª Região considerou o movimento ilegal e, durante instrução, chegou a ser imposta multa de R$ 300 mil por dia, fora o bloqueio das contas bancárias e bens das entidades sindicais e 24 dirigentes.

“Essa audiência teve o importante papel de discutir e afirmar a liberdade e autonomia do Movimento Sindical” avaliou José Antônio de Lacerda, o Jota, presidente em exercício da CTB Minas. Ele destacou que a Justiça do Trabalho não pode ser conivente com atuação das classes patronais que, nesse momento de crescimento econômico do País, radicalizam sua postura conservadora em defesa dos próprios lucros.

“Foi um evento importante, pois falamos e fomos ouvidos. Houve a possibilidade de denunciar a ação do Tribunal, que tem criado situações graves na relação empregado e empregador”, declarou o Secretário Geral da CUT-Minas, Carlos Magno. Ele acredita que a audiência com Facchini abriu um canal confiável de diálogo com o TRT – 3ª Região.



Já o vice-presidente da NCST no estado, David Eliude Silva, disse que a audiência foi “estratégica”, uma vez que a vice-presidenta do TRT-3ª Região é a responsável pelas audiências de dissídio coletivo. Eliude acredita que a unidade das Centrais Sindicais deixou mais visível a mobilização contra as práticas antissindicais. “Deixamos claro que estamos atentos e vigilantes às decisões dos tribunais e não vamos ficar de braços cruzados”, completou.

Segundo as informações dos sindicalistas, a audiência ocorreu em clima de tranqüilidade. Emília Facchini teria se colocado à disposição para dialogar com as entidades de trabalhadores, sempre que solicitada. O Fórum das Centrais Sindicais ainda vai pleitear audiências com o comando geral da Polícia Militar e com a presidência do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG).

Redação: Verônica Pimenta/Jornalista CTB Minas
Fotos: Rogério Hilário/ Jornalista CUT Minas

Trabalhadores da Contag entregam reivindicações a Dilma

Do Site Agência Brasil
Por Luciana Lima, Repórter da Agência Brasil

Brasília – Os trabalhadores filiados à Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag) entregaram hoje (13) à candidata do PT à Presidência da República pelo PT, Dilma Rousseff, um documento pedindo a intensificação do processo de reforma agrária no Brasil. O texto reconhece avanços nos oito anos de governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e pede a continuidade da política de reforma agrária centralizada na esfera federal.

“É fundamental que o governo de Dilma Rousseff avance na continuidade da reforma agrária ampla, de qualidade e participativa”, informa o documento.

O ato foi aberto com o “Bom Dilma”, apesar de já passar do meio-dia, evocado pela secretária de Mulheres da Contag, Carmem Foro. Carmem destacou que avançar na reforma agrária significa a atualização do índice de produtividade no campo. Outro fator de progresso, de acordo com Carmem, deve ser a adoção de um limite para o tamanho das propriedades no Brasil.

“Podemos fazer uma lista do tanto de avanço que tivemos nesse período. Mas temos ainda um conjunto de desafios. Avançar em reforma agrária agora significa a atualização dos índices de produtividade, significa adotar limites para a propriedade da terra. Isso é imprescindível para tirar muitos homens e mulheres que vivem em condições ruins no campo”, destacou Carmem.

A Contag sempre esteve ao lado do PT, desde as eleições de 1998. A entidade reúne 27 federações estaduais e 4,2 mil sindicatos de trabalhadores rurais, que representam, por sua vez, cerca de 25 milhões de agricultores familiares, assalariados rurais, assentados da reforma agrária e trabalhadores sem terra no país.

No mês passado, Dilma não participou do debate promovido pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA). A entidade é comandada pela senadora Kátia Abreu (DEM-TO), aliada do tucano José Serra, único candidato à Presidência a comparecer ao debate.

Edição: Talita Cavalcante
Ver mais no site da Contag

12 de jul de 2010

Criminalização do Movimento Sindical é tema de audiência entre Centrais e desembargadora

Está programada para amanhã, às 14h, uma audiência entre representantes das Centrais Sindicais em Minas Gerais e a desembargadora Emília Facchini, da Justiça do Trabalho em Minas Gerais. Os dirigentes sindicais vão manifestar o repúdio a recentes ações da Justiça que, na interpretação dos trabalhadores, ferem frontalmente o direito de constitucional de greve.

Os casos mais recentes foram a greve dos professores da rede pública estadual e do Sindicato dos Rodoviários de Belo Horizonte e Região Metropolitana de Belo Horizonte. Decisões judiciais impediram a continuidade das greves, com imposição de multas, além da autorização dos patrões para demitir grevistas. Para as organizações de trabalhadores, essas investidas fazem parte de ações sistemáticas que têm criminalizado o Movimento Sindical.

Vão participar da audiência representantes da CUT, CTB, CGTB, UGT, NCST e Conlutas. A audiência acontece a partir das 14h, na sede do TRT em Belo Horizonte (Av. Getúlio Vargas, nº 225, Bairro Funcionários). As informações são do Fórum das Centrais Sindicais em Minas.

Metalúrgicos de Lavras são homenageados em data comemorativa


O dia 10 de julho foi instituído por lei como o “Dia dos Trabalhadores Metalúrgicos de Lavras. A data foi comemorada pela primeira vez no último sábado. A iniciativa é do Sindicato dos Metalúrgicos de Lavras e do vereador Júlio de Melo (PCdoB), presidente da entidade.


O “Dia dos Metalúrgicos de Lavras” foi criado pela Lei Municipal nº 3.562/09. O município tem, aproximadamente, 4.500 trabalhadores metalúrgicos, segundo o vice-presidente do sindicato da categoria, Ednei Venâncio.

Ao criar a data comemorativa, as lideranças sindicais pretendem, além de homenagear esse grupo que representa boa parte dos trabalhadores de Lavras, fazer com que os operários entendam o seu protagonismo na atualidade.

Para Ednei Venâncio, o mundo moderno não poderia ser pensado sem o trabalho dos metalúrgicos. “Nenhuma máquina deixa de passar pelas mãos desses trabalhadores. Eles são importantes para a fabricação de quase tudo, desde os aparelhos de cozinha às peças de carro e moto”, explica Venâncio.

Ednei Venâncio (esquerda) e o vereador Júlio de Melo

As comemorações pelo Dia dos Metalúrgicos de Lavras aconteceu na sede do sindicato da categoria. A CTB foi representada pelos diretores Gelson Alves (Imprensa e Comunicação) e Vera Gomes (Saúde do Trabalhador). Também esteve presente o presidente do Sindicato dos Vigilantes de Minas Gerais, Romualdo Alves Ribeiro.

Redação: Verônica Pimenta/ Jornalista CTB Minas

Sindicato de Governador Valadares debate regras para condomínio do servidor público municipal

O Sindicato dos Servidores Municipais de Governador Valadares (SINSEM-GV) convoca os servidores inscritos no Núcleo de Sem Casa para reunião hoje, às 18h. O encontro será na sede do sindicato (Rua Barão do Rio Branco, nº 779, centro). Na ocasião, será discutido o processo de seleção dos servidores para o Condomínio dos Servidores, com 128 apartamentos residenciais no bairro Jardim Atalaia. O projeto é exclusivo para os funcionários sem casa, com renda familiar de até 03 salários mínimos, inscritos no Núcleo.

Este é mais um grande projeto social da diretoria do SINSEM-GV, que não deixa em nenhum momento de se preocupar não só com as condições de trabalho, mas também com o bem estar do servidor. Para maior transparência na seleção dos servidores, o SINSEM-GV e a Coordenação do Núcleo dos Servidores Municipais Sem Casa vão publicar em todos os órgãos da prefeitura e na imprensa a relação dos 128 servidores municipais sem casa, contemplados com uma unidade no condomínio.

Em caso de dúvida, os servidores podem procurar um membro da Coordenação Núcleo Servidores Sem Casa: José Lino (SMCEL) - Helena (Saúde) - Ney (Prefeitura) - Kênia Maria (Saúde) - Almir (Semov) - Juarez (Vigilância Sanitária) - Carmelita (Educação) - Maria Alves (Saúde) - José Carlos Maia (Sinsem).

Fonte: SINSEM-GV



8 de jul de 2010

Ministério das Cidades promove curso sobre trabalhos sociais em projetos de regularização urbana

Fonte: Ministério das Cidades

O Ministério das Cidades, por meio da Secretaria Nacional de Habitação/Departamento de Urbanização de Assentamentos Precários, com apoio da Cities Alliance estará realizando Curso de EAD sobre Trabalho Social em Programas e Projetos de Habitação de Interesse Social - EAD TRABALHO SOCIAL.

O Objetivo é capacitar e instrumentalizar técnicos que atuam em projetos integrados de urbanização e regularização de assentamentos precários e produção habitacional.

O público prioritário são os técnicos que atuam em projetos de urbanização e regularização de assentamentos precários e produção habitacional, contratados junto ao Ministério das Cidades.

Clique no site do Ministério das Cidades  para ver a lista de municípios com vagas.

O Curso terá duração de 10 (dez) semanas, carga horária de 80 (oitenta) horas e será coordenado pela Professora Dra. Rosângela Dias Oliveira da Paz, da PUC São Paulo, contando com a participação de uma equipe de professores, convidados para compor o corpo docente do curso. As inscrições serão realizadas de 7 junho a 11 de julho de 2010.

Clique aqui para fazer sua inscrição.

Para efetivar a inscrição, o interessado em participar do curso EAD Trabalho Social, deverá ser inscrito pelo gestor responsável pelos projetos de habitação, ou correspondente, nas respectivas esferas de governo (município, estado, distrito federal). O login e senha de usuário solicitados é o mesmo utilizado para acessar a Sistemática do MCIDADES (Senha PAC/FNHIS). Caso o município não possua a senha em mãos, deverá entrar em contato com a Superintendência da Caixa Econômica Federal/ GIDUR/REDUR do seu município.

Profissionais que não se incluem na relação de público prioritário e tiverem interesse em participar do Curso devem encaminhar e-mail para eadtrabalhosocial@cidades.gov.br para compor cadastro de reservas. Em caso de disponibilidade de vagas poderão ter sua inscrição deferida.

Contato


Departamento de Urbanização de Assentamentos Precários
SAUS, Quadra 1 Lote 1/6- Edifício Telemundi II 10º andar, Brasília/DF CEP 70070-010
Fone: (061) 2108-1705/ 2108 1680/ 2108 1942
E-mail: eadtrabalhosocial@cidades.gov.br





7 de jul de 2010

Escola de trabalhadores rurais em Itaobim está ameaçada por disputa judicial

O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) estuda a possibilidade de uma audiência de conciliação entre a Escola Família Agrícola Bontempo e a Fundação Brasileira de Desenvolvimento (FBD).

As duas entidades são personagens de um litígio, envolvendo um terreno de 27 hectares e os seis prédios da escola rural, que atende a 127 jovens de famílias de trabalhadores rurais de 23 municípios do Baixo e Médio Jequitinhonha.

A conciliação em 2ª instância é um procedimento comum na justiça trabalhista, mas não costuma ocorrer na justiça comum. A escola é fruto de parceria de uma associação de 23 sindicatos de trabalhadores rurais, com outras 160 instituições, que ajudam no projeto pedagógico ou oferecem apoio financeiro.

Felici Bontempi, padre da Igreja Católica e representante da FBD, reconheceu um acordo em regime de comodato, firmado com a associação sindical em 1999. Ele alega que o contrato não incluiu os seis prédios, construídos após o acordo com a associação sindical.

“Já resistimos a um ato de despejo em 2007 e vamos resistir quantas vezes forem necessárias”, declarou Rosimere Jardim Franca, coordenadora pedagógica da escola. Segundo ela, os prédios foram construídos com ajuda de organizações não-governamentais e o trabalho voluntário dos trabalhadores rurais.

Uma audiência foi realizada na Assembleia Legislativa de Minas, no dia 9 de junho. Um grupo de deputados da oposição e da base governista visitou o presidente do TJMG, desembargador Cláudio Costa, na tentativa de viabilizar o processo de conciliação em 2ª instância.

Vilson Luis da Silva, presidente da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado de Minas Gerais (Fetaemg) afirma que a entidade vai, junto com deputados estaduais, levar ao governador Antonio Augusto Anastasia (PSDB) a proposta de desapropriação do terreno.

Segundo a Escola Família Agrícola Bontempo, já se formaram 212 jovens, em cursos técnicos de agropecuária, reconhecidas pelo Ministério da Educação. Famílias de 150 comunidades rurais também já foram beneficiadas.

Redação: Verônica Pimenta/ Jornalista CTB Minas

Professores de Governador Valadares vão à justiça para impedir aumento da jornada

O Sindicato dos Servidores Municipais de Governador Valadares (SINSEM-GV) vai realizar uma assembléia com os trabalhadores da educação no dia 13 de julho, próxima terça-feira. A reunião vai acontecer às 18 h, na sede do Sindicato. Estão em pauta o aumento da jornada dos professores e a ação judicial contra a prefeitura, visando garantir os direitos adquiridos.

Os educadores interessados devem comparecer à sede do SINSEM, no dia 13 entre 8h e 11h ou das 13h às 18h, com a cópia do ato de nomeação, CPF e carteira de identidade, cópia da folha de ponto com 18 aulas semanais. Se possível, os servidores devem ainda levar o termo de posse, ou autorização para lecionar.

Outras informações no SINSEM: (33) 3271-3025.

Leia mais:



CTB Minas vai intermediar negociações entre grevistas de Governador Valadares e prefeitura


Diretoria Plena da CTB decide apoiar Dilma Roussef

A diretoria plena da CTB decidiu, em reunião no dia 30 de junho, apoiar a ex-ministra da Casa Civil, Dilma Roussef, em sua candidatura à presidência da República. O presidente da CTB, Wagner Gomes, declarou que o apoio a Dilma ocorre em função de deliberações no 1º e 2º Congressos da CTB, mas não exclui as críticas que a Central tem feito ao atual governo.


2 de jul de 2010

Estudo confirma participação expressiva da mulher no comércio

A Pesquisa de Emprego e Desemprego, realizada pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) mostra que a participação da mulher no mercado comerciário, em relação ao total de mulheres ocupadas, variou entre 13,9%, em Belo Horizonte, e 19,8% em Recife.

A pesquisa leva em conta as regiões metropolitanas de Belo Horizonte, Porto Alegre, Recife, Salvador, Fortaleza e São Paulo, além do Distrito Federal. Segundo a avaliação dos técnicos do Dieese, a atividade comercial está entre as que mais se destacam no equilíbrio entre homens e mulheres. Eles são a maioria na construção civil e indústria. Já a mão de obra feminina predomina nos serviços e no comércio.



Os dados são do ano de 2009. Entre as ocupadas no comércio, cerca de 60% das mulheres eram assalariadas, forma de inserção que registra menor proporção na Região Metropolitana de Fortaleza (41,4%) e maior na de Belo Horizonte (71,3%).

Quase metade dos assalariados no comércio são mulheres, o que corresponde a cerca de 840 mil pessoas nas regiões sete estudadas. Porto alegre apresenta a maior proporção de mão de obra feminina (45,6%) e Fortaleza, a menor (38,2%).

Extensas jornadas

A jornada de trabalho extensa é um dos grandes desafios a serem enfrentados pela categoria. Trabalhar nos domingos e feriados e permanecer no estabelecimento além do horário contratado para garantir a venda e, conseqüentemente, a manutenção da renda, são comuns entre os que atuam no setor.

A jornada das comerciárias, em 2009, ainda que ligeiramente inferior à dos homens, ultrapassou a jornada legal em todas as regiões pesquisadas, exceto em Belo Horizonte (43h).

Menores remunerações

Um dos fatores que revelam a desigualdade de gênero no mercado de trabalho ainda é a remuneração. Para a análise, tomou-se como referência o rendimento médio por hora trabalhada, já que as jornadas das comerciárias são ligeiramente menores que a dos comerciários.

Em 2009, com exceção de Fortaleza e Recife, as mulheres recebiam em média 88,5% do rendimento dos homens. Nota-se que a desigualdade salarial é maior no Sul e no Sudeste e menor nas regiões Norte e Nordeste. Mesmo quando há um equilíbrio nos rendimentos, situação verificada em Fortaleza (102,5%) e Recife (100%), a realidade não fica mais alentadora, visto que os rendimentos são extremamente baixos.

As muitas faces da comerciária

A maior parte das mulheres assalariadas no comércio é adulta, com idade entre 25 e 39 anos. Estas correspondem a 45,1% das trabalhadoras em São Paulo e chegam a 52,6% em Salvador. As jovens entre 16 e 24 anos também têm participação expressiva e correspondem a aproximadamente um terço da categoria. Comerciárias mais maduras, com 40 anos ou mais, encontram-se em maior proporção em Belo Horizonte (19,3%) e têm menor representatividade no Distrito Federal (12,9%).

O Boletim Mensal de Emprego e Desemprego é uma parceira entre Dieese, Seade, Ministério do Trabalho e Emprego, Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT). Em cada estado do País, o Dieese também mantém outras parcerias.

Fonte: Dieese
Edição: Equipe CTB Minas
Imagem: Site emdiacomacidadania.com.br





1 de jul de 2010

Vestibular UFMG oferece graduação de Educação no Campo

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS

RESUMO DO EDITAL DO CURSO DE DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO DO CAMPO

ATENÇÃO: A seleção será feita exclusivamente através do Enem .

PRAZO INSCRIÇÃO NO ENEM: 21 de junho a 09 de julho de 2010.

PRAZO INSCRIÇÃO DO VESTIBULAR : 27 de setembro a 8 de outubro de 2010

Área: Ciências Sociais e Humanidades

Vagas: 35 (trinta e cinco)

 
I. DO CURSO

O curso de Licenciatura em Educação do Campo habilita professores para atuar nos últimos quatro anos do Ensino Fundamental e Médio em escolas que atendem as populações do campo. São consideradas como escolas do campo aquelas que têm sua sede no espaço geográfico classificado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística como rural, e, mais amplamente, aquelas escolas que, mesmo tendo sua sede em áreas consideradas urbanas, atendem a populações cuja dinâmica social e cultural está majoritariamente vinculada ao trabalho no campo. O curso será ofertado em regime de alternância entre Tempo Escola e Tempo Comunidade. O Tempo Escola será desenvolvido durante o semestre acadêmico com duração aproximada de 4 a 5 semanas, em regime de tempo integral no Campus da Universidade Federal de Minas Gerais. O Tempo Comunidade será desenvolvido durante o semestre acadêmico nos locais de moradia e/ou de trabalho dos estudantes, por meio de projetos de estudos vinculados ao contexto e às escolas do campo. Os estudantes considerados carentes receberão o equivalente a 03 (três) bolsas da Fundação Universitária Mendes Pimentel, por ano, para custear sua participação nas atividades do curso durante o Tempo Escola.



II. DA INSCRIÇÃO NA UFMG:

II.1. Antes de fazer sua inscrição, o candidato deverá ler atentamente o Edital, e, também, todas as demais informações a ele concernentes que forem disponibilizadas pela Internet, na página www.ufmg.br/copeve. Após as inscrições o candidato deverá ler as atualizações na página da Copeve acima citada, bem como quaisquer outros editais que venham ser publicados antes da realização do Concurso.

II.2. O valor da Taxa de Inscrição ao Concurso é de R$15,00 (quinze reais).

II.3. Só poderá concorrer a uma das vagas o candidato que:

a) tiver concluído a 3a série do Ensino Médio, ou de curso equivalente;

b) residir e/ou trabalhar no espaço sócio-territorial do campo.

c) inscrever-se, obrigatoriamente, no Exame Nacional de Ensino Médio(ENEM) 2010 e, munido do número de inscrição no ENEM, efetuar sua inscrição no Concurso, em conformidade com as normas estabelecidas neste Edital.

II.4. Para efetuar a inscrição na UFMG, o candidato deverá:

a. acessar a página www.ufmg.br/copeve e preencher todo o Requerimento de Inscrição, inclusive o Questionário Socioeconômico que o integra, segundo instruções contidas nessa página, no período de 27 de setembro a 8 de outubro de 2010, até às 17h;

b. imprimir o boleto bancário para pagamento da Taxa de Inscrição, no valor de R$ 15,00 (quinze reais);

c. providenciar o pagamento desse boleto, no horário de funcionamento dos bancos, até o dia 8

de outubro de 2010, último dia previsto para a inscrição ao Concurso.

d. Enviar documentação via SEDEX ou carta registrada com aviso de recebimento, para Comissão Permanente de Vestibular (COPEVE) da UFMG - Avenida Antônio Carlos, 6627– Bairro Pampulha, Belo Horizonte/MG, CEP 31270-901. Serão consideradas apenas as inscrições cuja documentação for enviada com data de postagem até o dia 13 de outubro de 2010.

Encaminhar juntamente com a documentação comprobatória da inscrição os seguintes documentos:

i. "Carta de Intenções", redigida e assinada de próprio punho, com no máximo duas laudas, explicitando o(s) motivo(s) pelos quais pretende fazer a Licenciatura em Educação do Campo destacando: sua identidade como sujeito que reside/trabalha no campo; experiências em educação do campo; idéias/propostas que considera como relevantes para a promoção do direito a Educação do Campo.

ii. Pelo menos um dos Documentos comprobatórios da condição “residir e/ou morar no espaço sócio-territorial do campo” entre os seguintes:

a) Declaração do Órgão Municipal de Ensino ou da Secretaria Estadual de Educação/Escola/Superintendência que o(a) candidato(a) exerce função como docente ou administrativo em escolas que atendem a população que reside no campo.

b) Cartão de Produtor Rural (titular ou dependente) emitido por Órgãos Competentes do

Governo Federal.

c)Declaração do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA) que o candidato está inscrito no seu sistema de cadastro como beneficiário do Programa de Reforma Agrária (SIPRA).

d) Declaração de organizações governamentais, comunitárias, sindicais e sociais que o(a) candidato(a) atua em projetos de educação escolar, ambiental, economia solidária, em agroecologia, cultural, lazer, dentre outros. Ressaltamos que estas organizações devem estar devidamente registradas como de utilidade pública e sem fins lucrativos. Caberá ao candidato anexar à Declaração cópia autenticada em cartório do Estatuto da Organização.

III. DAS PROVAS

Serão utilizadas as notas das cinco provas do exame ENEM. A nota final de cada um dos candidatos resultará da conversão da média aritmética simples das notas de cada uma das cinco provas do ENEM a 100 (cem) pontos, e será representado com precisão de 4 (quatro) casas decimais.

Na apuração do Resultado Final, ocorrendo empate na última colocação, terá prioridade, para efeito de aprovação, o candidato que tiver obtido maior nota na prova de Redação. Persistindo o empate, serão considerados sucessivamente, até que ocorra o desempate, os pontos obtidos na prova de Ciências Humanas e suas Tecnologias e o candidato mais idoso, conforme os termos previstos pela art. 27 da Lei 10.741/2003.

Para mais informações:

Fone: (31) 3409.6346

E-mail: lecampo@fae.ufmg.br

Contatos: Fátima, Andréa, Luciane, Thales

Colegiado do Curso de Licenciatura em Educação do Campo.