29 de abr de 2011

CTB Minas e sindicatos filiados fortalecem atividades unificadas no Primeiro de Maio

A CTB Minas e sindicatos filiados participam de atividades unificadas pelo Dia Internacional do Trabalhador. Em Belo Horizonte, a CTB estará, no dia 02/05, junto com a CUT, NCST, UGT e Conlutas, em ato público na Praça Sete, a partir das 9h. A atividade encerra a Jornada de Lutas dos Movimentos Populares, Sindicais e Estudantis.



A redução da jornada de trabalho de 44 para 40 horas semanais é destaque entre as bandeiras que unificam os movimentos, além do fim do fator previdenciário e a implantação do salário mínimo regional. Também na segunda-feira (02/05), a Praça Sete será ponto de coleta de assinaturas em favor do Projeto de Lei de Iniciativa Popular que estabelece o salário mínimo regional. A meta das Centrais Sindicais é coletar 10 mil assinaturas.

Vale do Rio Doce

Na cidade de Governador Valadares, 11 entidades promovem atividades unitárias, inclusive o Sindicato dos Servidores Municipais (Sinsem-GV). Na sexta-feira (29/04), a União Operária sedia, a partir das 19h, seminário com análise de conjuntura, histórico das lutas, conquistas e saúde do trabalhador.

A partir das 9h do domingo (01/05), o Sinsem-GV participa de ato político-cultural na Praça dos Pioneiros. A CTB Minas apoia a luta dos servidores municipais, que vão reivindicar publicamente salários dignos e direito à organização sindical. A greve da categoria está suspensa porque a prefeita Elisa Costa (PT), solicitou o impedimento à Justiça, sob pena diária de R$ 5 mil.

Norte de Minas

Em Montes Claros, a CTB participa de panfletagem em portas de fábricas. No centro da cidade, está programado um carro de som, com muita agitação. A programação começa na sexta-feira (29/04). Também participam a União da Juventude Socialista (UJS), Sindicato dos Vigilantes, Sinpro Minas, Sindicato dos Auxiliares na Administração Escolar de Minas Gerais (Saaemg) e Chapa de Oposição do Sindicato dos Têxteis.

Triângulo Mineiro

Em Uberaba, 23 sindicatos filiados a diferentes Centrais estão unidos na programação, que tem o lema “Desenvolvimento com Justiça Social - Uberaba unida pela classe trabalhadora”. No domingo (01/05), os manifestantes ocupam a tradicional Feira da Abadia, a partir das 8h30. Será uma atividade político-cultural, com apresentações artísticas, mas também falas em defesa da redução da jornada de trabalho; fim do fator previdenciário, valorização das aposentadorias e do salário mínimo.

Sul de Minas

Em Lavras, na sexta-feira (29/03), os sindicalistas panfletam na Praça Augusto Silva, a partir das 13h. As atividades continuam no sábado, no espaço Expo Lavras. A programação política fica para a noite de domingo, às 20h, também no centro de eventos.

Em Varginha, somente a CUT não participará da panfletagem coletiva, que tem o objetivo de informar os trabalhadores sobre seus direitos. Os manifestantes vão se encontrar às 8h, no centro da cidade. A Pastoral Operária ainda programa passeata para o fim de semana.

Redação: Verônica Pimenta - Jornalista CTB Minas.

28 de abr de 2011

Centrais e Movimentos Sociais Mineiros protestam pela saúde e segurança do trabalhador


O Dia Internacional em Memória das Vítimas em Acidentes e Doenças no Trabalho, celebrado em 28 de abril, foi comemorado com uma manhã de protesto em Belo Horizonte. Centrais e organizações participantes do 3º Encontro dos Movimentos Populares, Sindicais e Estudantis de Minas Gerais fizeram ato público na Praça Sete, centro da cidade. Após uma caminhada até a sede INSS, os trabalhadores foram recebidos pela Superintendente Substituta da Regional Sudeste II, Maria José Rocha e Silva.

Fotos: Rogério Hilário

Os manifestantes entregaram uma carta à Superintendente, mostrando a preocupação com o mecanismo da “alta programada” e o auxílio doença “que tem desamparado muitos trabalhadores no momento em que mais precisam”, conforme o documento. Trabalhadores ainda deram depoimentos em praça pública, ilustrando os números da Organização Internacional do Trabalho (OIT). O Brasil ocupa a quarta posição no ranking mundial. São 270 milhões de acidentes em todo o planeta, que matam inclusive as vítimas do trabalho infantil. As tragédias acontecem, especialmente, na indústria e construção civil.

União de Ministérios

Segundo informações de Gilson Reis, presidente da CTB Minas e do Sinpro Minas, entre as cobranças levadas ao INSS está a necessidade de padronizar o atendimento nas agências do estado. Gilson vê possibilidade concreta de se criar um grupo de trabalho, formado por Centrais Sindicais, INSS e Superintendência Regional do Ministério do Trabalho e Emprego. O objetivo seria unificar ações para “combater conjuntamente as causas e conseqüências” de adoecimento do trabalhador.

Gilson Reis na vista ao INSS (à esquerda)

Além de tentar garantir, por meio do controle social, mais qualidade no atendimento pelo INSS, as Centrais também buscam contribuir para que as fiscalizações sejam mais vigorosas e regulares. Parcerias neste sentido são reveladoras. Um convênio entre Ministérios da Previdência e do Trabalho e Emprego mostra que Minas Gerais é o segundo estado brasileiro em registros acidentes laborais. De 2.252 casos analisados entre janeiro e dezembro de 2010, o estado fica com 255 mortes, perdendo apenas para São Paulo. Os dados são do Sistema de Referência em Análise e Prevenção de Acidentes de Trabalho (Sirena).

Jornada de Lutas

O Dia Internacional em Memória das Vítimas em Acidentes e Doenças no Trabalho compõe a jornada de lutas dos Movimentos Sociais e Sindical. Amanhã (29/04), haverá uma audiência pública na Assembleia Legislativa, a partir das 9h. O deputado Celinho do Sinttrocel (PCdoB), autor da proposta, defende uma Frente Parlamentar em Defesa da Saúde do Trabalhador.


Jota, o vice-presidente da CTB Minas (no microfone)

No fim de semana (30/04 a 02/05), o Colégio Marconi e a Praça da Assembleia Legislativa recebem atividades do 3º Encontro dos Movimentos Populares, Sindicais e Estudantis de Minas Gerais. Na segunda-feira (02/05), integrantes de Movimentos Sociais e Centrais Sindicais voltam à Praça 7, a partir das 9h, no ato público pelo Dia Internacional do Trabalhador.

Além da CTB, participaram das atividades nesta 5ª feira a Conlutas, Nova Central Sindical, CUT, UGT, Fetaemg, Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), Via Campesina e MST.

Verônica Pimenta - CTB Minas.


CTB Minas já tem Coletivo Estadual de Jovens



A CTB Minas fundou, na quarta-feira (27/04), o Coletivo de Jovens Trabalhadores e Trabalhadoras. Eles se reuniram no 2° encontro estadual, em Belo Horizonte. “Agora é trabalhar, ir para base e reunir o Coletivo”, comemora Juliana de Souza Matias, Secretária Estadual de Juventude. Ela informa que os 10 membros serão responsáveis por articular questões programáticas dentro dos sindicatos, além de agregar a temática da juventude ao universo sindical.


Identificações: no fim da postagem

Os jovens entre 15 e 29 anos formam a maior parcela da População Economicamente Ativa brasileira, com 50 milhões de pessoas. Essa condição não lhes garante espécie alguma de hegemonia. Nesse esse grupo, estão concentrados os salários mais baixos e empregos de pouca qualificação. “Não é um problema específico, é uma questão central do Brasil. Não dá para ter um projeto de desenvolvimento sem incorporar a juventude”, explica Paulo Vinícius, Secretário Nacional de Juventude.
 
Nos dias 14 e 15 de março, a executiva nacional da CTB deliberou mais prioridade à organização da juventude trabalhadora.  “Trata-se agora de apoiar a construir uma rede que chegue a todas as unidades da federação, o que vai culminar com a realização da primeira plenária nacional da juventude da CTB”, adianta Paulo Vinícius. O evento será no dia 12 de dezembro, em Brasília.



Participaram do encontro estadual em Belo Horizonte jovens trabalhadores rurais, metalúrgicos, do setor de telecomunicações, auxiliares de educação, professores, além de servidores públicos municipais. Para Celina Arêas, Secretária Nacional de Formação, está bastante evidente a necessidade de cada vez mais formar valores classistas entre os jovens. “Esse sentimento de classe e de unidade fará com que a CTB avance e seja reconhecida no estado”, conclui.


Identificações da esquerda para direita: Gelson Alves (Sec. Comunicação CTB Minas), Maria Alves de Souza (Coordenadora de Jovens da Fetaemg), Celina Arêas (Sec. Nacional de Formação da CTB), Paulo Vinícius (Sec. Nacional da Juventude Trabalhadora), Juliana de Souza Matias (Sec. Juventude Trabalhdora da CTB Minas) Gilson Reis (Presidente da CTB Minas)

Verônica Pimenta - CTB Minas.

27 de abr de 2011

Greve pode parar indústria de fogos no centro-oeste mineiro

Os trabalhadores das fábricas de fogos de artifício de Santo Antônio do Monte, Lagoa da Prata e Itapecerica, no centro-oeste mineiro, estão em estado de greve. A decisão foi referendada em assembleia, no dia 26 de abril, na sede do Sindicato dos Trabalhadores das Fábricas de Fogos (Sindifogos), em Santo Antônio do Monte.


Silvânia de Souza Pinto, diretora do Sindifogos, avalia que a decisão reflete a indignação dos trabalhadores. “Os patrões estão oferecendo migalhas. Nós fizemos um levantamento sobre a produção das fábricas e o nível de vendas, e sabemos que os patrões têm condições de oferecer mais”, destaca. Segundo a sindicalista, há quatro meses os fogos são vendidos a preço de custo.

No dia 19 de abril, o Sindifogos participou de mais uma rodada de negociações com o sindicato patronal (Sindiemg). A diretoria se negou a atender integralmente as justas reivindicações dos trabalhadores. A contraproposta patronal limita-se ao reajuste de 7,31%, referentes ao INPC e mísero 1% de ganho real. Os principais pontos de pauta do Sindifogos são: reajuste de 12%, piso salarial de R$ 600, uma cesta básica por mês.

Sinsem participa das atividades pelo Primeiro de Maio em Governador Valadares


Sindicatos da CTB em todo o estado de Minas Gerais participam de atividades regionais pelo o Dia Internacional do Trabalhador.

Confira abaixo a programação do Vale do Rio Doce, organizada por diversas entidades sindicais, entre elas o combativo Sindicato dos Servidores Municipais de Governador Valadares (Sinsem-GV).

Leia mais:


CTB Minas reforça convite para Dia Internacional em Memória das Vítimas de Acidentes e Doenças no Trabalho


A CTB Minas convoca trabalhadoras e trabalhadores, e dirigentes de entidades filiadas para o ato público pelo 28 de abril, Dia Internacional em Memória das Vítimas de Acidentes e Doenças no Trabalho. A concentração será a partir das 8h30, no quarteirão fechado da Praça Sete, no centro de Belo Horizonte.

Confira o artigo de Vera Lúcia Gomes Alves, diretora de Saúde do Trabalhador e Segurança no Trabalho da CTB Minas e Diretora do Sindicato dos Vigilantes do Estado.

Durante muito tempo, a segurança do trabalho foi vista como um tema que se relacionava apenas com o uso de capacetes, botas, cintos de segurança e uma série de outros equipamentos de proteção individual contra acidentes (EPIs). Com a atualidade, se faz necessário acompanhar os ambientes de trabalho e de riscos profissionais. Muitos dos novos riscos são pouco ou nada conhecidos, e demandam pesquisas cujos resultados só se apresentam após a exposição prolongada a ambientes nocivos à sua saúde e integridade física, como dupla jornada e horas-extras prolongadas.

Vera Lúcia Gomes Alves (esquerda) e a Secretária de Juventude da CTB Minas, Juliana de Souza Matias,
em audiência com o deputado estaduual Celinho do Sinttrocel (PCdoB)

Hoje, o setor de segurança e saúde no trabalho é multidisciplinar. O objetivo principal desta característica é prevenir os riscos de acidentes profissionais. Essa é uma das maneiras mais eficazes de impedir acidentes. Para isso, é preciso conhecer e controlar o ambiente com programas educacionais que contemplem a dimensão do trabalho. Outra alternativa são os programas de formação e inclusão da temática, como saúde, educação e as interseções com o mundo do trabalho. Os formatos incluem programas duradouros, eventos, seminários,entre outros.

Com uma política de segurança e saúde do trabalhador bem organizada, teremos mais profissionais especializados. Assim, poderemos antecipar, reconhecer, avaliar e controlar. Todos são responsáveis: médicos do trabalho, enfermeiros, engenheiros e cipeiros. Para padronizar essa sinergia, foi estabelecida a obrigatoriedade de os empregadores elaborarem Programas de Prevenção de Riscos Ambientais, conhecido pela sigla PPRA. O objetivo é que todos trabalhem por um bem comum.

Aos patrões, vai um recado: a melhor maneira de minimizar os custos da empresa é investir na prevenção de acidentes. Muitos empresários ignoram as medidas de segurança, e diminuem investimentos em equipamentos de proteção individual, contratação de pessoal de segurança do trabalho e outras medidas.

Outro recado aos empregadores: o custo de um acidente pode trazer inúmeros prejuízos. O acidente leva a encargos com advogados, perdas de tempo e materiais e na produção. Conhecemos casos de empresas que fecharam as portas, devido às indenização geradas por acidentes de trabalho. Com certeza, seria muito mais simples investir em prevenção e regularização da segurança, evitando assim possíveis complicações legais.

Movimentos Sociais mineiros promovem semana de atividades em BH

Leia: Movimentos Sociais querem agenda popular e participativa para Minas.

26 de abr de 2011

Encontro de Jovens da CTB Minas acontece nesta 4ª feira

A CTB Minas já está em contagem regressiva para a realização do 2º Encontro Estadual dos Jovens Trabalhadores e Trabalhadoras. O evento acontece nessa 4ª feira, dia 27 de abril, no auditório do Sindicato dos Vigilantes de Minas Gerais, em Belo Horizonte. Confira a entrevista com Juliana de Souza Matias, Secretária de Juventude da CTB Minas e Coordenadora Regional de Jovens Trabalhadores do Rio Doce – Fetaemg (Federação dos Trabalhadores na Agricultura de Minas Gerais).



Você assumiu a Secretaria de Juventude há dois meses e já encara uma grande tarefa, organizar o Encontro. Que espécie de desafios há neste fato?

Trabalhar com a juventude é sempre um desafio, e este é só mais um na luta por uma juventude organizada e sensível às políticas públicas que lhe cabem por direito e dever. Precisamos mobilizar os jovens trabalhadores e trabalhadoras, para que eles se organizem cada vez mais, mostrando que podem contribuir com a construção de políticas públicas de verdade, e não mera campanhas eleitoreiras como se vê acontecendo nos últimos anos.

Qual sua expectativa para o Encontro?

A nossa expectativa para o evento, apesar de o tempo estar muito corrido, é muito boa. Esperamos 70 jovens. Isso mostra a importância que a CTB Minas vem dando à juventude, além do comprometimento com a mesma.



 O que fará o Coletivo de Jovens?

O Coletivo se reunirá sempre que preciso, para deliberar alguns assuntos sobre a organização e mobilização da juventude trabalhadora, englobando a juventude urbana e rural. Apenas conseguiremos fazer a diferença e avançar nas políticas públicas quando trabalhadores rurais e urbanos estiverem definitivamente unidos.

A juventude é naturalmente diversa e plural. Completando este fato, em Minas temos muitos municípios com características rurais. Já está pensada alguma forma de organização regional do Coletivo?

Exatamente por termos essa diversidade, é que devemos nos organizar e somar forças em todo o estado. Temos, sim, muitos municípios com características rurais, mas não podemos nos esquecer dos demais jovens trabalhadores de outros sindicatos.

Quem são debatedores e palestrantes confirmados?

Paulo Vinicius, Secretário Nacional da Juventude Trabalhadora da CTB e Maria Alves de Souza, coordenadora estadual dos Jovens Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais da Fetaemg, além de Gilson Reis, presidente da CTB Minas.

Sindicatos de Uberaba organizam manifestação para o Dia do Trabalhador

Fonte: Jornal de Uberaba

Diversos representantes de classe estarão reunidos no domingo (1º), quando se comemora o Dia do Trabalhador, em manifestação pública na praça da Abadia. Com tema “Desenvolvimento com Justiça Social – Uberaba unida pela classe trabalhadora”, os líderes sindicais aproveitam para lutar pelo movimento sindical com valorização do trabalhador.

 

Até o momento, 23 sindicatos participarão ativamente do evento, que levanta a luta por três principais bandeiras. São elas: redução da jornada sem redução do salário; fim dos fatores previdenciários e valorização das aposentadorias e valorização do salário mínimo.

Um dos organizadores do evento, o diretor do Sindicato dos Professores do Estado de Minas Gerais (Sinpro/Minas – Regional Uberaba), Marcos Gennari, afirma que é aguardado grande público para o encontro que acontece na tradicional Feira da Abadia, que foi escolhida justamente por se tratar de local, onde 90% das pessoas que circulam por ali são trabalhadores. “A intenção é resgatar a manifestação que aconteceu durante muito tempo e havia sido esquecida, principalmente agora, que estamos vivendo uma conjuntura fundamental para avançar nos direitos que foram conquistados anteriormente.”

Além de pronunciamentos de lideranças sindicais e populares, a comemoração contará com apresentações culturais e artísticas, realizadas em parceria com a Fundação Cultural, e também irá homenagear a ex-presidente do Sind-UTE Uberaba Maria Emerenciana Cardoso, militante histórica dos movimentos sociais e dos Direitos Humanos em Uberaba, falecida no último dia 4 de abril. O Dia do Trabalhador acontece no domingo, 1º de maio, a partir de 8h30, na praça da Abadia.

Servidores de Governador Valadares discutem rumos da mobilização




O Sindicato dos Servidores Municipais de Governador Valadares (Sinsem-GV) realiza assembleia dos trabalhadores amanhã, dia 27/04. A reunião acontecerá a partir das 18h, na sede do Sindicato.

Pauta:

- Rumos do movimento dos servidores municipais
- Informes sobre a greve


Pressionados por ação judicial movida pelo poder executivo, liderado pela prefeitura Elisa Costa (PT), os trabalhadores suspenderam a greve no dia 18/04.

Leia Mais.


CTB Minas convida para encontro de jovens

A CTB Minas realiza o 2º Encontro de Jovens Trabalhadores e Trabalhadoras, a na próxima quarta-feira, dia 27 de abril. Confira  a programação abaixo:



25 de abr de 2011

CTB Minas convida para Dia Internacional em Memória das Vítimas de Acidentes e Doenças no Trabalho


A CTB Minas convoca trabalhadoras, trabalhadores, e dirigentes de entidades filiadas para o ato público pelo 28 de abril, Dia Internacional em Memória das Vítimas de Acidentes e Doenças no Trabalho. A Organização Internacional do Trabalho (OIT) também considera a data como Dia Internacional de Saúde e Segurança do Trabalho. Em Belo Horizonte, sindicalistas vão se concentrar a partir das 8h, no quarteirão fechado da Praça Sete, no centro da cidade. Depois, eles partem em passeata até a Superintendência do INSS (Avenida Amazonas, nº 266), onde esperam ser recebidos por representantes do Instituto.


Ainda integrando a Programação pelo Dia Internacional em Memória das Vítimas de Acidentes e Doenças no Trabalho, participantes do Movimento Sindicial prometem comparecer, no dia 29/04, à Audiência Pública na Assembleia Legislativa (Rua Rodrigues Caldas, número 30, Bairro Santo Agostinho). O evento é articulado pelo deputado Celinho do Sinttrocel (PCdoB) . Segue programação:



Encontro de Movimentos Sociais quer agenda popular para Minas Gerais

Com a chamada “Minas não quer choque, quer terra, trabalho e educação!” entidades do setor progressista em Minas Gerais iniciaram nesta segunda-feira (25/04), em Belo Horizonte, a jornada do 3º Encontro dos Movimentos Populares, Sindicais e Estudantis de Minas Gerais. A programação vai até o dia 2 de maio (ver programação abaixo).

Alexandre Chumbinho é representante do MST na organização. Ele explica que os trabalhos estarão divididos em quatro eixos: “Mundo do Trabalho”, “Questão Agrária em Minas Gerais”, “Tarifas Públicas” e “Modelo de Mineração e Exploração dos Bens Naturais”. Chumbinho ainda informa que o Encontro vai integrar as atividades pelo Dia Internacional do Trabalhador, com ato público na Praça Sete, em Belo Horizonte, no dia 02/05.


1º Encontrodos Movimentos Sociais 2006 -
Romualdo Macedo, no blog da Rede de Intercâmbio de Tecnologias Alternativas

A organização do 3º Encontro dos Movimentos Populares, Sindicais e Estudantis de Minas Gerais reforça a contrariedade ao modelo de “choque de gestão” no governo mineiro, liderado pelo PSDB. As forças populares alegam necessidade de mais participação e democracia nas políticas públicas. Documento publicado pelo grupo denuncia “o projeto político do governo de Minas, que privilegia o lucro das grandes empresas e reprime os/as trabalhadores/as que exigem seus direitos básicos, como moradia, melhores condições de trabalho e ensino público de qualidade”.

Segundo o vice-presidente da CTB Minas, José Antônio de Lacerda, o Jota, a entidade já confirmou presença. Nos debates, a Central defenderá rearticulação da Coordenação dos Movimentos Sociais (CMS). “Achamos que a CMS é o Fórum que reúne mais condições de amplitude e unidade”, destaca. A CTB Minas terá representação nos trabalhos de abertura do sábado, 30/04, e também na mesa “Análise de Conjuntura”, no domingo 01/05.

São essas as principais bandeiras de convergência entre os participantes do 3º Encontro dos Movimentos Populares, Sindicais e Estudantis de Minas Gerais:

• Redução da Jornada de Trabalho de 44 para 40 horas, sem redução de salário.

• Implantação do Piso Salarial estadual.

• Por uma política de moradia popular e contra os despejos arbitrários anunciados pela Prefeitura de Belo Horizonte.

• Educação infantil ampla e gratuita.

• Por uma política de Reforma Agrária efetiva.

• Pela redução das tarifas públicas, em especial, as de energia, gás, água e transporte público.

• Pela aplicação da política do meio-passe para todos os estudantes.

• Contra o atual modelo de mineração adotado pelo estado, que favorece o lucro das empresas internacionais e gera grandes impactos ambientais.

• Pelo fim da ROTAM e contra a política de segurança pública que criminaliza os pobres.


Programação

25 a 29 de abril
Acampamento da Via Campesina na Praça da Assembléia Legislativa (Rua Rodrigues Caldas, 30, Bairro Santo Agostinho).

28 de abril
Dia Internacional em Memória das Vítimas por Acidente de Trabalho. Ato Público às 9h na Praça Sete, centro de BH.


29/04
Audiência pública sobre acidentes de trabalho e uso abusivo de agrotóxicos. A partir das 10h na Assembleia Legislativa (Rua Rodrigues Caldas, 30, Bairro Santo Agostinho).

29/04
Audiência pública sobre impactos sociais da mineração. A partir das 14h, na Assembléia Legislativa (Rua Rodrigues Caldas, 30, Bairro Santo Agostinho).

30/04 a 02/05
3º Encontro dos Movimentos Populares, Sindicais e Estudantis. A partir das 8h, no hall das Três Bandeiras (Rua Rodrigues Caldas, 30, Bairro Santo Agostinho).

02/05
Ato Público Unificado pelo Dia Internacional do Trabalhador, na Praça Sete. Horário a definir.

19 de abr de 2011

Metabase de Poços de Caldas negocia com Mineração Curimbaba


O  Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Extrativas de Poços de Caldas (Metabase)  tem encontro de negociação com a Mineração Curimbaba Ltda nesta quarta-feira(20/04), às 9h.


Antônio Anézio Filho, presidente do Metabase (2006)

A assembleia dos trabalhadores, no dia 13/04, aprovou a pauta de reivindicação para o Acordo Coletivo para o período 2011-2012. São estes os principais pontos de reivindicação:

  • Reajuste de 15% para trabalhadores que recebem até R$ 1.100;
  • Reajuste de 7% para os demais trabalhadores;
  • Aumento real de 35% para trabalhadores que recebem até R$ 1.100;
  • Plano de Saúde totalmente custeado pela empresa;
  • 30% de Adicional Notuno (a CLT estabelece 20%);

Nova direção do Sindicato dos Metalúrgicos de Betim reafirma compromisso com “Agenda da Classe Trabalhadora”

Fonte: Sindicato dos Metalúrgicos de Betim, Alexandre Magalhães

“Quero aqui reafirmar o nosso compromisso com a luta por redução da jornada de trabalho sem redução de salários, pela extinção do Fator Previdenciário e por uma política macroeconômica que priorize o desenvolvimento com distribuição de renda”, afirmou João Alves de Almeida, funcionário da Fiat Automóveis há 31 anos, minutos após ser empossado presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Betim, Igarapé e São Joaquim de Bicas. A cerimônia de posse foi realizada no último sábado e contou com a presença de cerca de 600 convidados, entre familiares, trabalhadores da categoria, lideranças sindicais da região e de outros estados, membros do Judiciário e autoridades municipais, além da prefeita de Betim, Maria do Carmo Lara (PT), e do deputado estadual Carlin Moura (PCdoB).

Além do compromisso com a defesa das bandeiras inscritas na “Agenda da Classe Trabalhadora”, aprovada em junho passado, durante o “2º Encontro Nacional das Classes Trabalhadoras”, em São Paulo (SP), o novo presidente do Sindicato destacou a necessidade de equiparar os salários nas diversas regiões que concentram metalúrgicos no país e combater o excesso de horas extras praticadas na região, a fim de “interromper o genocídio a que assistimos hoje nas fábricas”. Atualmente, a carga e o ritmo de trabalho, ao lado das diferenças salariais, têm sido apontados pela categoria como alguns dos principais problemas enfrentados na região.



Ao lembrar que, em 2011, o Sindicato dos Metalúrgicos de Betim completa seu 35º aniversário, a prefeita de Betim, Maria do Carmo Lara, saudou a luta dos antigos e atuais dirigentes pela melhoria das condições de trabalho e o esforço feito em favor da qualificação profissional de jovens e adultos do município e prometeu apoiar a nova diretoria. “É nosso compromisso trabalhar pelo fortalecimento deste Sindicato”, disse.

Dos 40 metalúrgicos que tomaram posse, 14 vão exercer o mandato sindical pela primeira vez – maior renovação registrada em vários anos.

Futura sede

Durante a solenidade, foi apresentado ao público o projeto da futura sede do Sindicato. Encarregado da apresentação, o arquiteto Gustavo Penna, idealizador da proposta, disse que ao projetar o prédio imaginou “um espaço transparente e integrado, uma vez que a ação sindical objetiva o fazer coletivo”. “O prédio tem a missão de fazer um gesto de congregação. A janela frontal é grande porque quer dizer que ali caberão as reivindicações da categoria, e o prédio é límpido porque o Sindicato não precisa esconder nada, ao contrário tem orgulho de sua missão”, acrescentou.


João Alves de Almeida, novo presidente do Sindicato

Vale lembrar que, antes mesmo de a construção ser iniciada, o projeto desenvolvido por Penna em parceria com o também arquiteto Ricardo Gomes foi premiado pela seção mineira do Instituto dos Arquitetos do Brasil (IAB) na categoria “conjunto da obra”, ao lado de dois outros trabalhos do escritório da dupla. “Fazer um trabalho deste para uma entidade que luta pelo trabalhador é uma honra para mim e para toda a minha equipe”, discursou Penna ao receber a condecoração, em dezembro passado. Realizada anualmente, a “Premiação de Arquitetura”, única no gênero voltada para arquitetos e urbanistas de Minas Gerais, chegou à sua 12ª edição em 2010, quando foram avaliados 64 trabalhos.

Atualmente, o projeto da futura sede se encontra em fase de aprovação junto à Prefeitura de Betim. A etapa seguinte será dedicada à elaboração de projetos complementares (sondagem, fundação, estrutura, elétrico, hidráulico, luminotecnia, ventilação, caixilharia, visualização e paisagismo) que, depois de concluídos, darão origem ao projeto executivo, última etapa a ser cumprida antes da execução da obra.

18 de abr de 2011

Pressionados pela Justiça, servidores de Governador Valadares suspendem greve


Em assembleia nesta segunda-feira (18/04), os servidores de Governador Valadares decidiram suspender a greve temporariamente. A deliberação deve-se ao fato de a prefeita e representante do Partido dos Trabalhadores, Elisa Costa, ter solicitado à justiça o impedimento da mobilização sindical. O Desembargador Edivaldo George, substituto da 6ª Câmara Cível de Belo Horizonte, determinou o imediato retorno ao trabalho, sob pena diária de R$ 5 mil. A assembleia de trabalhadores ainda decidiu recorrer.

Fonte da Charge

O Sindicato dos Servidores Municipais (Sinsem-GV) classificou a posição da prefeitura como “arbitrária”. “Ilegal é a falta de respeito com os servidores e os baixos salários praticados pelo município”, declara um documento da entidade. Foi solicitado o agendamento de uma reunião entre representantes dos trabalhadores e da prefeitura municipal. Nova assembleia do Sinsem-GV está marcada para as 18h do dia 27 /04.


Os principais itens de pauta, apresentada no mês de fevereiro, são o piso de R$ 580, mais aplicação do INPC referente ao período iniciado em março de 2010. A soma dos fatores resultaria em 14% de reajuste para todas as faixas salariais. Além de recomposição financeira, os trabalhadores e o Sinsem-GV exigem respeito à jornada de trabalho e regulamentação previdenciária.

Leia mais.

CTB Minas já tem Coletivo Estadual de Mulheres


A CTB Minas lançou, na última sexta-feira (15/04) o Coletivo Estadual de Mulheres. Participaram da mesa de trabalhos a Secretária Nacional da CTB para a área, Raimunda Gomes; a Secretária Estadual, Michelle Faria; a Secretária Geral da CTB Minas, Rogerlan Augusta de Moraes; a Coordenadora do Coletivo de Mulheres da Fetaemg, Alaíde Lúcia Albageto de Moraes, além da representante da Coordenadoria Especial de Políticas Públicas para Mulheres (CEPAM), Luci Diniz.

Raimunda Gomes destacou que o Coletivo terá o importante papel de propor à sociedade novas leituras sobre a integração entre homens e mulheres no mercado de trabalho, e também no mundo sindical. Para ela, o Coletivo deve criar estratégias, propondo à sociedade novas práticas. “É sempre bom frisar que a luta de trabalhadores é luta coletiva, para que cotidianamente homens e mulheres possam lutar por direitos iguais e melhores salários”, explica.

Da esquerda para direita: Michelle Faria, Raimunda Gomes e Rogerlan Augusta de Moraes


 Michelle Faria informa que o Coletivo vai propor intervenções diretamente ligadas à Agenda da Classe Trabalhadora. Ela lembra que as trabalhadoras brasileiras ainda recebem 70% dos salários pagos aos homens em atividades semelhantes. Outra bandeira do Coletivo seria a universalização da licença-maternidade de 180 dias, “que na grande maioria dos casos atende às funcionárias públicas e de grandes empresas”.

Em BH, o desafio é conquistar varas especializadas

Durante o encontro, Luci Diniz informou que Belo Horizonte tem apenas duas varas especializadas no atendimento às vítimas de violência doméstica, tipificada pela Lei Maria da Penha. No total de 853 municípios mineiros, existem apenas 57 delegacias especializadas. A representante do CEPAM acredita que cada uma das varas tem capacidade de atender entre 3 e 5 mil processos. Mas elas teriam quase 30 mil casos acumulados. O impacto direto dessa realidade seria o fortalecimento do agressor. “Ele fica mais tranquilo e volta com carga maior de violência. A mulher desacredita de denunciar, pois é um processo doloroso ir para a delegacia”, destaca Luci.

Completando o quadro de insuficiência, a capacitação de policiais ainda estaria longe da ideal. “O olhar da transversalidade” sobre a violência doméstica poderia contribuir para a devida instauração de inquérito e andamento judicial. Luci nota falhas primárias nos Boletins de Ocorrência, como a ausência de testemunhas.  Ela também alerta para as interpretações dúbias sobre o artigo 16 da Lei Maria da Penha. “A lei é clara, e não pede que a mulher prossiga com o processo para receber as medidas protetivas, mas os juízes tem praticado isso”, destaca.

“É uma lei lindíssima, que protege a convivência familiar e as mulheres em todos os sentidos, físico e psicológico. Mas infelizmente, vemos que na prática a lei não é respeitada”, conclui a Secretária Geral da CTB Minas, Rogerlan Augusta de Moraes. Ela lamenta essa condição, e conclama a classe trabalhadora e militantes para transformar a realidade.

Veja a íntegra do documento aprovado pelo Coletivo de Mulheres.

Documento de criação do Coletivo Estadual de Mulheres da CTB Minas


As trabalhadoras e trabalhadores organizados na CTB Minas reuniram-se em Belo Horizonte, no dia 15 de abril de 2011, com o objetivo de formalizar o Coletivo Estadual de Mulheres. Mais do que uma ferramenta de fortalecimento da Central, o Coletivo pretende cumprir um dos princípios fundamentais da luta classista: ampliar a participação da mulher em atividades políticas e sindicais.

Apesar das evoluções e revoluções femininas por que já passamos, a mulher - independente de sua idade - ainda é vítima de preconceito e violência. Tais agressões são freqüentes, tanto no mundo doméstico quanto no ambiente de trabalho. Nos espaços públicos ou privados, essas agressões são de ordem física, psicológica e simbólica. Assim, reafirmamos a necessidade de estratégias cotidianas para a conquista da plena autonomia feminina, contestada no Brasil em diversas frentes.

A luta de classes e as questões de gênero são nortes políticos para as ações deste Coletivo. Estamos comprometidas e comprometidos com a transformação da sociedade brasileira, para que seja mais livre e igualitária. Com 853 municípios e quase 600 mil km², Minas Gerais tem na diversidade sua grande marca. Para alcançar legitimidade em todas as regiões do estado, o Coletivo Estadual de Mulheres da CTB Minas deve manter um ciclo de difusão e informação sobre as questões de gênero.

As trabalhadoras representam 52% da força produtiva no País. Segundo os indicadores sociais do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), elas possuem mais qualificação, acumularam mais tempo de estudos e ainda recebem salários 30% menores do que os homens. Com relação à Agenda da Classe Trabalhadora, o Coletivo Estadual de Mulheres da CTB Minas propõe lutar pela universalização da licença maternidade de 180 dias, aplicação integral da Lei Maria da Penha, Reforma Agrária com titulação da propriedade para a mulher, creche e escola públicas de qualidade e salário igual para trabalho igual, sem distinção de sexo.

Assinam as trabalhadoras e trabalhadores participantes do Encontro de Criação do Coletivo de Mulheres da CTB Minas.

Belo Horizonte, 15 de abril de 2011.

15 de abr de 2011

Renovada, futura direção do Sindicato dos Metalúrgicos de Betim tomará posse neste sábado

Fonte: Alexandre Magallhães - Sindicato dos Metalúrgicos de Betim, Igarapé e São Joaquim de Bicas

A futura direção do Sindicato dos Metalúrgicos de Betim, Igarapé e São Joaquim de Bicas será empossada neste sábado, 16, com o compromisso de lutar por democracia nas fábricas, pelo fim das jornadas excessivas de trabalho e por equiparação salarial, entre outros desafios que a categoria deverá enfrentar no próximo triênio (2011-2014). A solenidade de posse será realizada no auditório do Centro Administrativo de Betim, com início previsto para às 19h30.

Composta de 40 membros, a chapa Garra Metalúrgica obteve 98% dos votos válidos na eleição realizada em fevereiro e é encabeçada pelo metalúrgico João Alves de Almeida, 51, funcionário da Fiat Automóveis desde 1980, onde exerce atualmente a função de revisor de processo especializado. Ele integra a direção da entidade desde 1990. “Tivemos uma aprovação maciça nas urnas e, mesmo com todos os problemas que ainda temos a enfrentar, ficou demonstrada a confiança que a categoria deposita neste grupo para defender seus interesses”, afirma o futuro presidente.

Em nível nacional, Alves aponta como principal bandeira de luta da futura direção do Sindicato a defesa da “Agenda da Classe Trabalhadora”, aprovada durante o “Encontro Nacional das Classes Trabalhadoras”, realizado em junho passado, em São Paulo (SP). Neste sentido, a luta por redução da jornada de trabalho sem redução de salários e o empenho para que o governo brasileiro ratifique a Convenção 158 da OIT (Organização Internacional do Trabalho), que proíbe a demissão imotivada, e pela extinção do Fator Previdenciário, regra instituída no governo Fernando Henrique Cardoso para retardar o pedido da aposentadoria, terão destaque. “Esperamos ter toda a categoria ao nosso lado para levar adiante estas lutas que mobilizam atualmente não apenas os metalúrgicos de Betim e região, mas todos os trabalhadores brasileiros”, diz.

Do grupo que tomará posse neste sábado, cerca de 40% de seus membros vão exercer o mandato sindical pela primeira vez.

14 de abr de 2011

Servidores de BH programam greve para maio

Os servidores municipais de Belo Horizonte estão com início de greve marcado para o dia 6 de maio, conforme decisão de assembleia, nesta quarta-feira, 13/04. A mobilização conjunta envolve 40 mil servidores e 14 sindicatos, associações e Centrais Sindicais, entre elas a CTB Minas.

Célia de Lélis, presidenta do Sindicato dos Servidores (Sindibel) informou que há pontos de pauta - como vales-refeição e fornecimento de lanche - pendentes desde o ano passado. “A tática do prefeito tem sido enrolar os trabalhadores o ano inteiro e colocar o reajuste da forma que ele quer, em dezembro, na véspera do natal, quando todos os parlamentares estão em recessos”.


Célia de Lélis

De acordo com Israel Arimar, Secretário Geral do Sindibel, os 30% reivindicados incluem proposta de ganho real e reposição de perdas dos últimos anos. “O gasto da prefeitura não chega a 43% do orçamento. A lei de responsabilidade fiscal permite que a prefeitura invista até 53%, então existe margem para o reajuste”, argumenta Israel.

Nesta quarta-feira (13/04), foram paralisados serviços nas áreas administrativa, de educação e saúde, embora mantidos atendimentos de urgência e emergência. O diretor da CTB Minas, Murilo Ferreira da Silva, acredita que a mobilização conjunta tem grandes chances de ser vitoriosa, por causa das táticas de mobilização unificadas. “Isolada, uma entidade sindical não é capaz de fazer a pressão contra os governos, que em geral privilegiam mais os empresários do que os trabalhadores. Essa soma de forças pode trazer um sentido mais avançado para a nossa luta”, explica.

Até o momento, não há respostas concretas com relação à pauta, entregue no dia 3 de março.

CTB Minas lança Coletivo de Mulheres

A CTB Minas já está em contagem regressiva para o grande encontro de lançamento do Coletivo Estadual de Mulheres. São aguardadas lideranças de todo o estado. O evento acontecerá a partir das 16h desta sexta-feira (15/04) na sede do Sindicato dos Vigilantes de Minas Gerais, em Belo Horizonte.

Segundo Michelle Faria, Secretária de Mulheres da CTB Minas, o Coletivo é pensado desde novembro do ano passado. O objetivo é criar uma agenda anual de atividades, com encontros e fóruns para circulação de informações sobre as questões de gênero e luta de classes.


Ainda de acordo com Michelle, o Coletivo mineiro será o primeiro organizado por uma seção estadual da CTB. A sindicalista acredita que a iniciativa pode ajudar ainda a conscientizar as mulheres sobre sua inserção no mundo do trabalho. “Elas vão ter um ponto de apoio para buscar informações sobre seus direitos e deveres, além do seu importante papel na sociedade”, explica.

Confirmaram presença a Secretária Nacional da Mulher Trabalhadora da CTB, Raimunda Gomes; a representante da Coordenadoria Especial de Políticas Públicas para as Mulheres (CEPAM), Luci Diniz; além da Coordenadora da Coletivo de Mulheres da Federação dos Trabalhadores na Agricultura (Fetaemg), Alaíde Lúcia Albageto de Moraes.

Encontro de Lançamento do Coletivo Estadual de Mulheres da CTB Minas.

Onde: Sindicato dos Vigilantes de Minas Gerais (Rua Curitiba. nºº 689, 9º andar).

Início: às 16h

Informações: (31) 3272-5881 (Michelle Faria)

Servidores de Governador Valadares estão em greve por tempo indeterminado


Os Servidores Municipais de Governador Valadares, município do Vale do Rio Doce de Minas Gerais, estão em greve por tempo indeterminado. A decisão foi reforçada em assembleia nesta quarta-feira (13/04). Segundo o Sindicato da categoria (Sinsem-GV), o clima de insatisfação é generalizado. Devido à grande quantidade de presentes, a assembleia foi transferida da sede da entidade para uma rua próxima.


Até o momento, a prefeita Elisa Costa (PT) oferece reajuste zero e propõe suspender as negociações por três meses. Os principais itens de pauta, apresentada no mês de fevereiro, são o piso de R$ 580, mais aplicação do INPC referente ao período iniciado em março de 2010. A soma dos fatores resultaria em 14% de reajuste para todas as faixas salariais. Além de recomposição financeira, os trabalhadores e o Sinsem-GV exigem respeito à jornada de trabalho e regulamentação previdenciária.

Também é cobrada avaliação de desempenho retroativa ao ano de 2004, conforme acordo assinado com o Sindicato. Os servidores ainda querem recobrar o pagamento para o dia 1º útil do mês. Atualmente, os depósitos são realizados a cada dia 10, obedecendo a uma decisão unilateral da prefeitura.

Leia mais

Trabalhadore e Movimentos Sociais discutem possíveis impactos da Copa do Mundo

11 de abr de 2011

CTB Minas reforça convite para Encontro de Mulheres

A CTB Minas realiza, no dia 15 de abril  o 1° Encontro Estadual de Mulheres. O evento acontecerá a partir das 16h,  no auditório do Sindicato dos Vigilantes,  em Belo Horizonte. Na entrevista abaixo, a Secretária da Mulher Trabalhadora, Michelle Faria, explica que o objetivo é intensificar ainda mais a organização e participação da mulher no movimento sindical.´O encontro tem grande valor político e organizativo, pois nele será lançado o Coletivo Estadual de Mulheres da CTB Minas.

Como nasceu a idéia do Coletivo?

A idéia nasceu da necessidade de ampliar a participação da mulher no mundo sindical. Esse projeto é desenvolvido pela CTB Minas desde o mês de novembro de 2010.

O que fará o Coletivo de Mulheres?

O Coletivo pretende criar uma agenda anual de atividades, para aumentar a participação das mulheres trabalhadoras de Minas nos movimentos sindical e social. Vamos também programar encontros periódicos, para que as informações sobre as atividades de mulheres nos diversos seguimentos sejam difundidas pelo estado e também nacionalmente.


Quantas seções estaduais da CTB têm Coletivo de Mulheres?

Segundo informações da CTB Nacional, a CTB Minas é pioneira na criação do Coletivo, e servirá de exemplo para os outros estados. A idéia é que todas as regiões do Estado possam ter representação no Coletivo.

Já está definida alguma ação política do Coletivo para o Dia Internacional do Trabalhador?

Como orientação da CTB Nacional e também da CTB Minas, pretendemos atuar de forma unificada com as outras Centrais e Movimentos Sociais, com enfoque nas questões de ampliação da licença maternidade para 180 dias, aplicação da Lei Maria da Penha, reforma agrária com titulação da propriedade para a mulher, creche e escola pública de qualidade e salário igual para trabalho igual, sem distinção de sexo.

Como o Coletivo de Mulheres está situado no debate sobre questões de gênero?

O Coletivo passará a ser uma importante ferramenta nesse debate, pois, Minas Gerais é um estado muito grande e com uma diversidade maior ainda. Portanto, será importante manter um ciclo de informações sobre as questões de gênero, além de difundi-las pelo Estado e nacionalmente.


O próprio governo admite, apesar de não possuir dados nacionais, que o cumprimento integral da Lei Maria da Penha é um dos maiores desafios para as políticas de mulheres. Como você vê possibilidades de superar esse desafio?

Aumentando a rede de proteção à mulher (coordenadorias especiais, delegacias especializadas, programa de atendimento às vítimas de violência etc.), além de punições mais severas para o agressor, o que pode inibir as reincidências.

Como os Coletivos de Mulheres podem fortalecer a luta da classe trabalhadora e contribuir para a sociedade brasileira?

Essa iniciativa vai contribuir para ampliar o contato com as diferentes regiões do nosso estado e dar subsídios para que as mulheres tenham um ponto de apoio e onde buscar informações e sobre direitos e deveres e saber o importante papel da mulher na sociedade.


Quem serão os palestrantes e debatedores do Encontro do Coletivo Estadual de Mulheres da CTB Minas?

Foram convidadas a Secretária Nacional da Mulher Trabalhadora da CTB, Raimunda Gomes; a representante da Coordenadoria Especial de Políticas Públicas para as Mulheres (CEPAM), Luci Diniz; além da Coordenadora da Coletivo de Mulheres da  Federação dos Trabalhadores na Agricultura (Fetaemg), Alaíde Lúcia Albageto de Moraes. Também aguardamos companheiras e companheiros de sindicatos filiados, e que já são engajadas de alguma forma no movimento de mulheres.

Confira detalhes da programação.

Sindicato dos Servidores de Governador Valadares convoca greve para 13 de abril

Comunicado

A greve é um direito de todo trabalhador. A Constituição Federal e a lei 7.783 garantem nosso direito de cruzar os braços. A Constituição da República Federativa do Brasil garante o direito à greve a todos os trabalhadores do país. O Sinsem-GV já tomou todas as medidas necessárias para garantir a legalidade do ato.

A greve é um direito constitucional de qualquer trabalhador brasileiro. Não há nada abaixo da Constituição que casse esse direito. Portanto, mesmo o servidor em ESTÁGIO PROBATÓRIO pode fazer greve normalmente, como qualquer outro trabalhador.

Fonte: Blog do Camilo Ferreira

Não aceite pressões ou qualquer outro tipo de ameaça dizendo, por exemplo, que sua avaliação de desempenho será prejudicada. Conclamamos a todos os servidores e servidoras que paralisem totalmente suas atividades e participem da GREVE GERAL a partir do dia 13 de abril, com concentração às 8 horas da manhã, na porta do sindicato, onde será oferecido um café da manhã para os servidores grevistas e deliberação das atividades para o dia.

Alertamos mais uma vez aos servidores e servidoras que somente com mobilização e LUTA poderemos garantir nossos direitos e novas conquistas. O pagamento do 13º salário foi o maior exemplo de nossa força. Certamente se não tivéssemos nos mobilizado, ainda hoje estaríamos sem este beneficio.

GREVE GERAL - dia 13 de Abril

Concentração: 8 horas da manhã no sindicato (com café da manhã para os servidores grevistas)

Portanto, vamos à luta!

Servidor,

O Sinsem-GV está fazendo a sua parte. Faça também a sua!

Sinpro Minas e Sindicato dos proprietários de escola fecham Convenção Coletiva de Trabalho


Fonte: Sinpro Minas

Foi assinada, na última sexta-feira (1º de abril), a Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) 2011/2012, instrumento que garante os direitos dos professores das escolas particulares da região abrangida pelo Sinep/MG.


A Convenção foi assinada após um movimento grevista que durou uma semana, pressionando o patronal a aceitar as reivindicações da categoria e a manter as conquistas históricas dos professores. Diante do fechamento da CCT, as instituições de ensino que ainda não aceitaram os requerimentos de bolsas de estudo emitidos pelo sindicato devem efetuar o recebimento dos pedidos. Em breve, o documento estará disponível no portal do sindicato.

Leia mais

7 de abr de 2011

CTB Minas vai realizar o 2º Encontro Estadual da Juventude

A CTB Minas, por meio da Diretoria de Jovens Trabalhadores e Trabalhadoras, vai realizar o 2º Encontro Estadual da Juventude no dia 27/04/2011. Já reunimos as condições para organizar um Coletivo Estadual. Portanto, esse é um momento singular para a organização da juventude classista em Minas Gerais.



Os principais objetivos do encontro são: lançar o Coletivo Estadual da Juventude e construir - coletivamente - um planejamento para as ações sindicais da nossa Secretaria. Solicitamos a todos os sindicatos que mobilizem os jovens. Nossa meta é trazer pelo menos um representante por sindicato e/ou entidade.


Saudações Sindicais;

Juliana de Souza Matias - Secretária da Juventude.


2º Encontro Estadual da Juventude da CTB Minas

Dia: 27/04/2011

Horário: 9h às 18h

Local: Auditório do Sindicato dos Vigilantes de Minas Gerais (Rua Curitiba, nº 689, 9º andar).

E-mail: julianasouza.matias@gmail.com ou ctbminas@gmail.com

Sindifogos realiza nova proposta de negociação

A assembleia do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria de Fogos de Santo Antônio do Monte, Itapecerica e Lagoa da Prata (Sindifogos) aprovou nova contraproposta a ser apresentada ao sindicato patronal. Irredutíveis, os empresários querem reajustar o piso salarial apenas de acordo com o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), enquanto os trabalhadores querem 15% de aumento. Segundo o presidente do Sindifogos, Antônio Camargos dos Santos, a assembleia autoriza renegociação para o limite de 12% e piso salarial de R$ 600.

Antônio Camargos dos Santos (à direita)  fala aos companheiros

“Espero que o Sindicato tenha a habilidade para negociar. Se não houver outra alternativa, não descartamos uma greve”, informa Antônio Camargo dos Santos. Os trabalhadores já cederam em relação ao reajuste, mas não abrem mão de alguns benefícios, como o auxílio alimentação. O Sindifogos ainda reivindica aumento de 12% no valor da cesta básica, atualmente em cerca de R$ 50. Outra reivindicação é o congelamento do custo de alimentação, hoje de R$ 30,20.

Outra reunião entre trabalhadores e patrões está marcada para o dia 19/04. A última assembleia do Sindifogos trabalhadores aconteceu no dia 05/04. Santo Antônio do Monte, Itapecerica e Lagoa da Prata são municípios do centro-oeste mineiro. Aproximadamente 3 mil trabalhadores estão empregados na indústria de fogos local.


Encontro realizado pela Fetaemg debate assalariados rurais


Fonte: Maristela Felix, Fetaemg


Durante três dias (05 a 07/04) lideranças do Movimento Sindical de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais  (MSTTR) de todas as regiões do Estado participaram em Belo Horizonte de um encontro para debater temas de interesse dos assalariados rurais como previdência social, contratação formal de pequeno prazo, contratação de migrantes e piso salarial em Minas Gerais.  Na avaliação do presidente, Vilson Luiz da Silva, esses encontros são uma oportunidade para fortalecer a categoria, firmando o compromisso do MSTTR com os assalariados rurais. Durante o encontro o presidente enfatizou a importância de se realizar coletivos para dar prosseguimento às discussões.

De acordo com o secretário de Política Salarial da Contag, Antônio Lucas, a capacitação precisa ser permanente, considerando que existe uma briga constante entre capital e trabalho. Por isso os Sindicatos de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais precisam estar mais bem preparados. 


 O foco das discussões durante o encontro foi o combate à informalidade no campo. Para a diretora de Política Salarial da Fetaemg, Alícia Cardoso, há muitos trabalhadores rurais na informalidade, cerca de 60% em todo o país, e a filiação aos STR’s é uma importante estratégia para combater essa informalidade e garantir o cumprimento dos direitos trabalhistas dos assalariados rurais. As lideranças sindicais presentes no encontro enfatizaram a necessidade de realizar encontros para uniformizar as informações dentro do MSTTR, ampliando assim a participação dos assalariados dentro do Movimento Sindical.

No segundo dia do encontro o diretor da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado de Santa Catarina, Joãozinho Althoff, e assessoria da Contag, apresentaram um sistema informatizado para contratação formal de pequeno prazo que vem dando certo no Estado. No período da tarde a sSueperintendente da Secretaria de Estado do Trabalho e Emprego, Lígia Lara, apresentou um painel sobre o Programa Marco Zero que tem o objetivo de impedir a ação de aliciadores de mão-de-obra. Conforme a secretária a estratégia é colocar o Sine como intermediador na contratação da mão-de-obra para institucionalizar o trabalho no campo e garantir os direitos dos trabalhadores. O Programa será desenvolvido nas regiões de Almenara, Araçuaí, Teófilo Otoni e Salinas. 

Da esquerda para direita: Vilson Silva, Ligia Lara, Procurador Antônio Carlos Pereira.
Dando continuidade aos debates sobre contratação de migrantes, o procurador do Ministério Público do Trabalho, Antônio Carlos Pereira falou sobre a realidade das contratações de migrantes. O procurador ressaltou que em muitos casos a legislação trabalhista não é cumprida e os trabalhadores exercem suas atividades em péssimas condições, com alojamento e alimentação precária. O procurador enfocou também a Instrução Normativa nº 76, de 15 de maio/52009 que dispõe sobre procedimentos para a fiscalização do trabalho rural.  O não cumprimento das normas no que diz respeito ao transporte de trabalhadores rurais foi citada por Antônio Carlos como uma realidade que tem provocado a morte de trabalhadores. Ao finalizar a sua fala ele explicou sobre a Campanha do transporte seguro de trabalhadores rurais lançada pelo Ministério Público do Trabalho.

6 de abr de 2011

Morre o Sindicalista Nilsão do Sinsem

Morreu nesta quarta-feira (06/04) Nilson Batista dos Reis, diretor executivo do Sindicato dos Servidores Municipais de Governador Valadares (Sinsem-GV). Ele também era conhecido como “Nilsão do Hospital Regional”.


Nilson Batista dos Reis tinha diagnóstico de pressão alta e diabetes, o que não impedia a sua participação nas atividades sindicais. O diretor do Sinsem-GV sentiu-se mal durante a madrugada. Ele chegou a ser encaminhado a um Pronto Socorro, antes da morte por enfarto. O enterro está marcado para a próxima sexta-feira (08/04), no cemitério Memorial Park, em Governador Valadares.

Por meio de nota oficial, a diretoria do Sinsem-GV prestou as condolências e solidariedade aos familiares e amigos de Nilsão. Segundo os companheiros, Nilson deixa “um belíssimo exemplo de dedicação” à luta dos trabalhadores. A CTB Minas reforça este lamento. Perdemos um grande homem e um grande guerreiro.

4 de abr de 2011

Funcionário Público denuncia possível ausência de alvarás em Unidades de Saúde de Uberaba


O Ministério Público de Minas Gerais pode verificar denúncias sobre a possível ausência de alvarás para funcionamento de Unidades Básicas de Saúde, Pronto Atendimento, Farmácias e Serviço de Atendimento Médico de Urgência em Uberaba, no Triângulo Mineiro. A Promotoria de Justiça na Comarca de Uberaba confirma o registro da denúncia, em carta (abaixo), redigida em resposta ao servidor municipal Marcelo Campos.


De acordo com o servidor, um ofício foi enviado em 2009 à administração municipal. Como não obteve resposta, Marcelo Campos solicitou ajuda de promotores. “Agora espero a resposta do prefeito. Se for negativa, entrarei com outra ação, para que Adauto obedeça a lei o mais rápido possível”, informa o servidor.

Marcelo Campos destaca que sem alvarás, as condições de higiene e saúde não são garantidas as cidadãos. Questionado sobre a reincidência de ações envolvendo o prefeito Anderson Adauto (PMDB), o servidor diz: “apenas faço valer o meu direito de obter informações públicas, conforme o artigo 5º da Constituição Federal”.

É a segunda vez que Marcelo Campos pede a ajuda do Ministério Público contra a administração municipal. Em fevereiro deste ano, foi conseguida liminar proibindo a método da capina química em Uberaba. Na época, a  Secretaria de Saúde alegou que o objetivo seria combater o mosquito transmissor da dengue. Mas foi entendido que a prefeitura estaria usando recursos públicos para submeter os cidadãos a risco ainda mais graves.

O Departamento de Comunicação da Prefeitura de Uberaba informou que vai verificar a situação junto aos setor de alvará do município.