30 de jul de 2011

Conselho Geral da CTB confirma unidade interna e prepara Central para nova fase

A Plenária Final do 1º Conselho Nacional da CTB foi realizada neste sábado, 30 de julho. Confira a matéria do Portal CTB:



"CTB, a luta é pra valer – unidade pra vencer!”. Com essas palavras de ordem, os delegados presentes à plenária final do 1º Conselho Nacional da CTB demonstraram que a Central está pronta para iniciar uma nova fase em sua história, na qual sua consolidação e eficiência são alçadas, por decisão política, a um novo patamar.


Neste sábado (30), o último dia de trabalhos foi marcado por diversas votações. Antes do início desse processo, o vice-presidente, Nivaldo Santana, falou em nome da comissão de redação do texto-base do Conselho, grupo responsável por receber e analisar as propostas de emendas apresentadas um dia antes pelos delegados.


Nivaldo fez um breve resumo do conteúdo das emendas e anunciou que todas foram acatadas pela comissão. O dirigente citou também algumas moções apresentadas pelos delegados, conforme abaixo:

- repúdio às atitudes antidemocráticas em Tavares (PB);
- apoio à greve dos servidores das universidades federais;
- repúdio à demissão de centenas de vigilantes em Manaus;

- repúdio à demissão de Fernando Luis de França, bancário do HSBC no RN e dirigente da CTB;
- solidariedade à demissão de 5.600 trabalhadores da empresa R. Carvalho, em Feira de Santana (BA).

As emendas apresentadas e as propostas de moções foram colocadas em votação pela Mesa. Ambas foram aprovadas por unanimidade pelo Plenário.




Homenagens

Coube ao presidente, Wagner Gomes, reservar parte do último dia de trabalho para prestar homenagens a companheiros que foram assassinados pelo Brasil afora. “Temos que nos lembrar daqueles que tombaram lutando. Em certos momentos de dificuldade, ficamos meio desanimados, mas a forma que temos de homenageá-los é seguir na luta. Essas pessoas perderam a vida por nossa causa”, destacou, para em seguida citar os nomes de Adelino Ramos, Paulo Colombiano e Catarina Galindo.


Finanças

O debate sobre as finanças levou o presidente Wagner Gomes a demonstrar preocupação sobre o tema. Ele criticou a inadimplência de muitos sindicatos, lembrou o risco da perda do repasse de 10% do imposto sindical e abordou a questão do valor que é recebido pelas CTBs estaduais.

Diante do atual cenário, a Mesa apresentou uma proposta ao Plenário: no final deste ano, na próxima reunião da Direção Plena, será debatida a ampliação do repasse de 3% para 5% dos sindicatos para a CTB. Nesse ínterim, cada estadual terá autonomia para buscar até 2% de repasse junto a cada sindicato.

A proposta foi aprovada por unanimidade, assim como o apoio à criação de uma campanha nacional em defesa da unicidade e em defesa da contribuição sindical compulsória.




Terceirizações

O momento de maior debate do dia teve como tema a questão das terceirizações. O Plenário decidiu, após a apresentação de diversos argumentos, a necessidade de retirar do texto-base do Conselho a proposta contra sua regulamentação. Decidiu-se pela organização de um seminário sobre o tema, com o intuito de aprofundar o conhecimento de todos os cetebistas sobre a matéria.


Rumo ao 3º Congresso

Ao final dos trabalhos, Wagner Gomes definiu como vitorioso o 1º Conselho Nacional, lembrou que o próximo grande encontro dos cetebistas ocorrerá em 2013 – durante o 3º Congresso da CTB – e destacou a grande tarefa de todos os delegados e delegadas para o próximo período. “Demos grandes passos aqui, em dois dias de grande discussão e unidade, de consenso progressivo. Até 2013 teremos uma nova etapa, com novos desafios e com a meta de termos 10% de filiados junto ao Ministério do Trabalho.

Fonte: Fernando Damasceno – Portal CTB

Metalúrgicos mineiros iniciam campanha salarial


Com o lema “Valorização para quem produz e faz crescer”, a Campanha Salarial Unificada dos Metalúrgicos de Minas Gerais foi aberta oficialmente nesta desta sexta-feira, 29, em Belo Horizonte, com a entrega da pauta de reivindicações da categoria à Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), seguida de uma passeata até a Praça Sete, centro da capital mineira.

Com data-base em 1º de outubro, os metalúrgicos mineiros reivindicam 10% de aumento real, salário de ingresso de R$ 1.850, abono de um salário nominal e redução da jornada de trabalho para 40 horas semanais, dentre 98 cláusulas que constam da pauta.



A campanha unificada reúne 25 sindicatos filiados à Federação Interestadual dos Metalúrgicos e Metalúrgicas do Brasil (FITMETAL), Federação Estadual dos Metalúrgicos (FEM-CUT) e Federação dos Trabalhadores nas Indústrias Metalúrgicas (Femetal-MG), que representam cerca de 250 mil trabalhadores em todo o Estado. Ainda na portaria da Fiemg, pouco antes da entrega da pauta, lideranças sindicais defenderam as reivindicações da categoria. “Este é o momento de apostarmos na unificação das reivindicações dos metalúrgicos mineiros com aquelas bandeiras de luta que são defendidas pelos metalúrgicos do restante do país, principalmente a redução da jornada de trabalho para 40 horas semanais e o fim do Fator Previdenciário. Não vamos aceitar a choradeira dos patrões”, afirmou Marco Antônio de Jesus, presidente da CUT/MG.


Tratamento digno

Durante a caminhada até o centro da capital, João Alves de Almeida, presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Betim, ressaltou que a passeata era a oportunidade para que a população mineira pudesse tomar conhecimento da realidade enfrentada pela categoria nas fábricas e, principalmente, das reivindicações pelas quais os metalúrgicos irão lutar na campanha salarial.

“Os metalúrgicos de Minas merecem um tratamento mais digno por parte dos empresários. Somos uma categoria que é o motor do desenvolvimento do país e uma das mais importantes da economia nacional. Nada mais justo, portanto, que apresentemos à população as nossas reivindicações”, acentuou.

Marcelino da Rocha, presidente da Federação Interestadual dos Metalúrgicos e Metalúrgicas do Brasil (FITMETAL), chamou a atenção para a importância da defesa de uma política industrial para o país. “Não é mais possível que o Brasil não tenha uma política para o setor industrial que seja capaz de fortalecer o trabalho, o emprego e a geração de renda”, afirmou.



Rocha também destacou a importância de os metalúrgicos mineiros saírem em passeata para buscar o apoio da população às reivindicações da categoria.

“Os metalúrgicos mineiros estão nas ruas para mostrar à sociedade que merecem respeito. Apesar do nosso Estado crescer o dobro da média nacional, os metalúrgicos de Minas continuam a receber o quinto pior salário da indústria nacional e a conviver com pesadas jornadas de trabalho, com a exigência absurda de horas extras, as práticas de assédio moral e a conduta antissindical adotada pelas empresas. Exigimos respeito”, afirmou.

Durante a passeata, os manifestantes fizeram um minuto de silêncio em frente ao escritório da ArcelorMittal, uma das maiores siderúrgicas do mundo, em protesto contra as cerca de 300 demissões efetuadas pela empresa nos últimos 15 dias, na unidade instalada em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte.


Enviado por: Eduardo Durães – Sindicato dos Metalúrgicos de Betim, Igarapé e Bicas.

29 de jul de 2011

Sindicato dos Servidores Municipais de Machado (MG) filia-se à CTB


O Sindicato dos Servidores Municipais de Machado, no sul de Minas Gerais, é a mais nova entidade filiada à CTB no estado. A decisão dos trabalhadores foi unânime, em assembleia realizada no dia 22 de julho. A CTB já soma 78 entidades filiadas em Minas. Desse total, 8 representam servidores públicos nas três esferas de governo e poderes.


O presidente do Sindicato dos Servidores Municipais de Machado, Claudiney Fernandes Borges, afirma que a escolha da Central é resultado de um processo natural, dada a atuação da CTB na luta da categoria. Também foi decisivo o fato de a Central ser uma protagonista na mobilização pela Agenda da Classe Trabalhadora. “O apoio que a CTB tem dado à nossa luta tem sido fundamental para agregarmos mais trabalhadores. A CTB atua de maneira forte, tem nos dado apoio na formação sindical e nas lutas do dia-a- dia”, afirma o dirigente.




O Sindicato dos Servidores Municipais de Machado foi fundado em abril de 2009. A cidade, com aproximadamente 45 mil habitantes, tem cerca de 950 servidores. “É um sindicato importante do Sul de Minas, que permitirá à CTB crescer em sua representatividade”, segundo José Luiz de Oliveira, Diretor de Aposentados, Assuntos Previdenciários e Políticas Públicas.

Ainda segundo José Luiz, a CTB já discute seu programa e a Agenda da Classe Trabalhadora com outros sindicatos de servidores do Sul de Minas. A próxima atividade para a categoria inclui um seminário sobre Planos de Carreira, Cargos e Salários (PCCS), que deve acontecer a partir do mês de setembro.

 
Redação: Verônica Pimenta – Jornalista CTB Minas.
Foto: Sindicato Metabase Poços de Caldas

Fórum Popular de Cultura convida para debate em Contagem



Programação:


14h - Abertura: Projeto Música e Cidadania



14h30 - Mesa 1: Secretaria de Cultura ou Fundação Cultural? (atribuições, bases jurídicas e institucionais)

Palestrantes:

Aparecida Reis (Ministério da Cultura)

Arnaldo Godoy (Câmara Municipal de Belo Horizonte)

Chiquinho de Assis (Secretária de Cultura de Ouro Preto)

Emmano Garcia (Alma Dell'art)

Mediação:

José Oliveira Junior (Observatório da Diversidade Cultural)



16h30 - Mesa 2: Plano Nacional de Cultura (Políticas Públicas pela Diversidade)

Palestrante:

Cesária Macedo (Ministério da Cultura)



17h30 - Assembléia Deliberativa: Que órgão precisamos: Secretária ou Fundação de Cultura?

Mediação:

Fórum Popular de Cultura



18h - Encerramento


Enviado por: Wilson Lino


28 de jul de 2011

Metalúrgicos entregam pauta de reivindicações nesta sexta-feira

 
Em campanha salarial, metalúrgicos mineiros farão a entrega da pauta de reivindicações da categoria à Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg) nesta sexta-feira, 29, às 10 horas. No mesmo horário, será realizado um ato na portaria da entidade patronal.

Com data-base em 1º de outubro, os metalúrgicos mineiros reivindicam 10% de aumento real de salários, abono de um salário nominal, salário de ingresso de R$ 1.850 e redução da jornada de trabalho sem redução de salários, entre 98 cláusulas que integram a pauta.

Ao todo, 25 sindicatos filiados à Federação Interestadual dos Metalúrgicos e Metalúrgicas do Brasil (FITMETAL), Federação Estadual dos Metalúrgicos (FEM-CUT) e Federação dos Trabalhadores Metalúrgicos de Minas Gerais (Femetal-MG) –que representam cerca de 250 mil trabalhadores –integram a Campanha Salarial Unificada dos Metalúrgicos de Minas Gerais.

Sindicato dos Servidores de Governador Valadares realiza eleições



O Sindicato dos Servidores Municipais de Governador Valadares (Sinsem-GV) realiza eleições nos próximos dias 17, 18 e 19.

A CTB Minas apoia a Chapa 1, "Unidade e Luta", que tem se mostrado bastante combativa quanto aos cortes de direitos pela prefeitura municipal, liderada por Elisa Costa (PT).

Abaixo, a íntegra de carta da Chapa 1, "Unidade e Luta":


Carta aberta ao Movimento Sindical e Social 

Governador Valadares, 22 de julho de 2011.

Prezado(a) Companheiro(a),

Nos dias 17,18 e 19 de agosto de 2011, será realizada a eleição para a renovação da diretoria do Sinsem-GV Sindicato dos Servidores Municipais de Governador Valadares. Apenas uma Chapa concorre: a Chapa 1 – Unidade e Luta – liderada pelo companheiro José Carlos Maia, que se propõe a prosseguir o belo trabalho desenvolvido pela atual diretoria

Através de uma gestão democrática, transparente e combativa, a direção cujo mandato finda, consolidou e ampliou a unidade e coragem da categoria. Certamente esta unidade foi o principal motivo da inscrição de uma única chapa com a força e motivação de novos companheiros, aliada à experiência dos diretores que já estão na luta a mais tempo, o que nos dá a garantia de uma renovação e experiência na nova direção do sindicato.

Além da união e disposição de LUTA. A atual direção do SINSEM/GV inaugurou a tão sonhada Sede Social dos Servidores (com piscinas, quadra poli-esportiva, campo soçaite, bar, área de churrasco, salão de jogos e muito mais). Nesta gestão, podemos também destacar algumas conquistas como: Condomínio Residencial dos Servidores Municipais de baixa renda com 128 apartamentos no Bairro Atalaia; eleições para diretores de escolas; realização de concurso público para preenchimento de 2 mil vagas; mobilização e pagamento do 13º salário de 2010; devolução do desconto indevido sobre 1/3 férias; aprovação da licença-paternidade de 15 dias; regularização do desconto previdenciário; repasse de mais R$ 1 milhão para os servidores referente ao processo contra a administração do ex-prefeito Paulo Fernando; ajuizamento de centenas de ações para receber avaliação de desempenho, entre inúmeras outras conquistas.

Mas nossa maior vitória é a firme disposição para defender os servidores municipais, bem como o respeito e a credibilidade que conquistamos, não só dos servidores, mas também dos demais trabalhadores, da sociedade e do movimento sindical e social local, estadual e nacional.

A chapa 1 – Unidade e LUTA pretende continuar desenvolvendo este trabalho sério da atual diretoria em parceria com todo o movimento sindical e social combativo.

É preciso dar ampla divulgação às eleições sindicais do Sinsem-GV. Para tanto, é importante contar com apoio (financeiro, político e material humano) desta entidade para colaborar nas despesas com jornais, panfletos, mala direta, adesivos, veículos, combustível, transporte dos fiscais e apoiadores da Chapa 1 em todos os dias das eleições, enfim toda ajuda e apoio que for possível.

Saudações Sindicais!
Sinsem-GV
CHAPA 1 – Unidade e Luta