5 de dez de 2012

Servidores reelegem diretoria do Sindicato dos Servidores Públicos de Uberaba para a gestão 2013/2016









A atual diretoria do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Uberaba (SSPMU), conquistou um novo mandato. Em eleição realizada no dia 30 de novembro, no Centro Administrativo da Prefeitura de Uberaba, a Chapa 1 – “A Força do Servidor”, apoiada pela CTB Minas, obteve 560 votos, contra 371 da Chapa 2 – “União Sindical”. Ao todo, 949 servidores sindicalizados foram às urnas. Três votaram branco e 13 anularam o voto.
A diretoria reeleita, para a gestão 2013/2016, é presidida pelo Técnico em Segurança do Trabalho e Pedagogo Luís Carlos dos Santos. Também integram Diretoria Executiva: Carlos Humberto Costa (1º vice-presidente); Cristina Maria César (2ª vice-presidente); Ângelo Guilherme da Rocha Borges (1º tesoureiro); Aldo Cezar de Oliveira (2º tesoureiro); José Geraldo Borges Celani (3º tesoureiro); Acinério dos Santos Mendonça (1º secretário); Avelino de Siqueira Neto (2º secretário); Daniela Rocha Arantes (3ª secretária); Mário Lúcio da Silva (1º diretor social); Claudete da Silveira Mendes (2ª diretora social); Marley Klenio Xavier (3º diretor social); Luciene Rosa da Silva (1ª diretora patrimonial); Anderson Honório (2º diretor patrimonial); Walter José Borges (3º diretor patrimonial); Ednei Arsênio dos Santos (1º diretor de esportes); Vanderlei Lopes Ferreira (2º diretor de esportes); Carlos Silva Borges (3º diretor de esportes).
O Conselho Fiscal Efetivo é composto por Jozélia Barbosa dos Santos Botelho, Aguinaldo Adelino Garcia Bicho e Jaime Cardoso dos Santos. Os suplentes são: Sílvio Roberto da Silva, Junival Cardoso da Silva e Froner Batista Tristão.
Fonte: SSPMU.

Previdência divulga nova tabela do Fator Previdenciário


Uma nova tabela do Fator Previdenciário foi divulgada para o cálculo das aposentadorias por tempo de contribuição. Os índices têm como base a nova tábua de expectativa de vida, apresentada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no dia 30 de novembro, e começam a valer assim que forem publicados no Diário Oficial da União.
De acordo com a legislação, a Previdência Social deve considerar a expectativa de sobrevida do segurado na data do pedido do benefício para o cálculo do Fator Previdenciário.
A expectativa de vida ao nascer, segundo o IBGE, subiu de 73,8, em 2010, para 74,1, em 2011. Mas, diferente da tendência dos últimos anos, as projeções do IBGE revelaram que, na faixa de idade que vai de 52 até 80 anos, a expectativa de sobrevida caiu, o que vai beneficiar os segurados.
Um homem com 55 anos de idade e 35 anos de contribuição, por exemplo, poderia ter 17 dias a menos de tempo de contribuição para receber um benefício de mesmo valor. O Fator Previdenciário, neste caso, teve uma pequena alteração. Passou de 0,715 para 0,716.
Já um homem de 60 anos de idade e 35 anos de contribuição teria o fator aumentado de 0,867 para 0,873 e poderia trabalhar 71 dias a menos para receber o mesmo benefício. Uma mulher de 58 anos de idade e 30 de contribuição teria o fator aumentado de 0,801 para 0,805 e poderia ter 45 dias a menos de contribuição para ter um beneficio de mesmo valor.
Dados da Previdência Social mostram que, de janeiro a outubro de 2012, das 254 mil aposentadorias concedidas por tempo de contribuição, 175 mil foram para pessoas com 52 anos ou mais.
O Fator Previdenciário é utilizado somente no cálculo do valor da aposentadoria por tempo de contribuição. Na aposentadoria por invalidez e na aposentadoria especial não há utilização do fator. Na aposentadoria por idade, a fórmula é utilizada opcionalmente, apenas quando aumentar o valor do benefício.
Pelas regras da aposentadoria por tempo de contribuição, se o fator for menor do que 1, haverá redução do valor do benefício. Se o fator for maior que 1, há acréscimo no valor e, se o fator for igual a 1, não há alteração.
O novo Fator Previdenciário será aplicado apenas às aposentadorias solicitadas a partir da publicação dos índices pelo IBGE. Os benefícios já concedidos não sofrerão qualquer alteração em função da divulgação da nova tábua. A utilização dos dados do IBGE, como uma das variáveis da fórmula de cálculo do fator, foi determinada pela Lei 9.876, de 1999, quando se criou o mecanismo.
Fonte: Ministério da Previdência Social.