29 de jun de 2013

Debates e discussões temáticas marcam o segundo dia do 2º Encontro da Juventude da CTB

O segundo dia do 2º Encontro da Juventude da CTB, que está sendo realizado em Belo Horizonte, no Centro de Formação da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado de Minas Gerais (Fetaemg), desde a última sexta-feira (28), foi marcado por uma série de debates e discussões temáticas por grupos.
Neste sábado (29), a plenária debateu os temas: “Um passo adiante na organização da Juventude da CTB”, “Educação, trabalho e formação profissional: por uma agenda de jovens trabalhadores(as) e estudantes” e “Impulsionar o protagonismo da juventude rural da CTB na luta pela sucessão e o desenvolvimento rural”.
Os grupos de trabalho discutiram assuntos como “A juventude trabalhadora e o empoderamento das mulheres na luta sindical”, “Estágio e ingresso no mundo do Trabalho”, “Juventude da CTB e participação no ESNA, FSM e CCSCS”, “Jovens trabalhadores(as) e políticas públicas de juventude”, “Trabalho decente, precarização e terceirização”, “A juventude adoecida no trabalho e a organização sindical”, “Estratégia da ampliação da filiação sindical e do envolvimento da juventude nos Sindicatos” e “Inovar na comunicação com a Juventude Trabalhadora”.
Organização por ramos
“Neste segundo dia do encontro, tivemos marcas importantes, como o diálogo com a direção da CTB para pensar como a juventude vai se posicionar e contribuir com o trabalho da Central no próximo período; o debate com vistas a um maior apoio da CTB para reunir o Coletivo Nacional de Juventude, para ajudar a estruturação da Frente; e a discussão dos ramos, de como organizar na CTB categorias com grande presença juvenil”, enumerou o secretário nacional de Juventude da CTB, Paulo Vinícius.
Segundo ele, a sugestão é de mesclar a organização dos Estados com a organização de alguns ramos. “Vamos tentar cobrir as CTBs estaduais e também ramos fundamentais, dar atenção para os comerciários, bancários, metalúrgicos, rurais, para educação, como categorias que precisam de um maior cuidado, com estruturas mais fortes no trabalho de juventude”, explicou.
Nos debates temáticos, foram discutidas formas de como melhorar a comunicação com os sindicatos, de fazer uma política ampliar o empoderamento das mulheres, de como lutar contra a terceirização, a precarização e o adoecimento da juventude no mercado de trabalho. “Foi um dia de grandes reflexões sobre o futuro da juventude da CTB no próximo período, muito rico pela contribuição dos delegados, que pautarão a carta final do encontro”, disse Paulo Vinícius.
Efervescência de idéias
Presente no encontro, o diretor nacional da CTB Adilson Araújo se disse entusiasmado com a qualidade dos debates e intervenções. “Este encontro se revela como um momento de grandeza política da Central. O que vemos aqui é que a CTB, com apenas cinco anos de existência, tem buscado dar consequência àquilo se propôs na sua fundação, em 2007”, falou.
Na opinião do dirigente, estamos diante de um processo de efervescência de ideias, da qual o desejo maior é ganhar mentes e corações para a proposta de valorização da juventude. “A realização deste 2º Encontro vem na perspectiva de afirmar este posicionamento, de buscar repercutir na construção dos sindicatos essa ideia da importância e da necessidade de trazer o novo, de permitir espaços de poder para que o jovem possa se sentir participante da construção do projeto da central”, afirmou Adilson.
Para ele, as ideias que têm surgido durante o encontro vão contribuir muito para o enriquecimento do Congresso da CTB, que será realizado nos dias 22, 23 e 24 de agosto, em São Paulo.

“Neste encontro, por exemplo, pude ver o desejo de se apostar no projeto da construção da Escola Nacional da CTB, para ajudar na preparação e na qualificação da nossa militância, para que possa ter uma intervenção mais qualificada frente à luta política e ideológica. Também gostei da ideia de promovermos o Festival da Juventude Trabalhadora, voltado a um processo lúdico de desenvolvimento da cultura e da arte. Penso que vai ser muito bom que a CTB nacional possa consagrar um espaço oportuno e, sobretudo, de maior amplitude para o trabalho sindical entre a juventude”.
O encontro será encerrado neste domingo (30), com a apresentação do documento final e eleição do Coletivo Nacional da Juventude da CTB.
Confira a cobertura fotográfica do encontro do Facebook da CTB Minas.

Fonte: CTB Minas. Texto e fotos: Eliezer Dias.

Partidos de esquerda criam fórum para defender a democracia

Os dirigentes dos partidos de esquerda da base aliada do governo Dilma (PCdoB, PT, PSB e PDT) reuniram-se, nesta sexta-feira (28), na sede do Comitê Central do PCdoB, em São Paulo, para definir a estratégia diante da atual conjuntura política.
Em entrevista, Renato Rabelo, presidente nacional do PCdoB, informou que a reunião inaugura a reativação do encontro dos quatro partidos. “O principal resultado desta reunião é a criação do Fórum Nacional em Defesa da Democracia e do Plebiscito. Um espaço que foi debatido e construído pelos quatro partidos presentes”.
Na oportunidade, foi consenso, entre os partidos, que será deflagrada uma campanha nacional pelo plebiscito. Além disso, já está agendada nova reunião para a próxima quarta-feira (3) em Brasília.
Questionado sobre qual o caráter do fórum, o dirigente comunista pontuou que “o espaço terá caráter consultivo, mais amplo. Está aberto a ouvir os demais partidos da base e as lideranças nacionais dos movimentos sociais e sindical. Ou seja, será um espaço de construção de uma ação comum entre as forças que compõem o fórum”.
Renato ainda frisou que a questão democrática é muito importante para os partidos. “O país vive uma situação de ampla democracia e pela posição da presidenta Dilma, dentro dos cinco pactos propostos por ela, um dos pactos mais importantes e que se traduz no plano político é a proposta do plebiscito. E por que é importante? Porque ouvir o povo significa ouvir as necessidades vividas por ele”.
O presidente do PCdoB explicou que no caso da reforma política, o Congresso sempre encontrou muita dificuldade para pensar uma saída para esta questão. “Entendemos a consulta pública como um espaço para que o povo possa se pronunciar sobre algumas questões balizadoras, para usar um termo da presidenta Dilma. Destacando que o plebiscito não é para entrar nos detalhes, mas sim para dar consistência ao processo”, ressaltou.
O dirigente comunista destacou ainda que o Fórum defende que a reforma política deve ter dois pontos centrais: financiamento para as campanhas e o sistema de representação. “Os partidos de esquerda concordam que a reforma política deve implementar o financiamento exclusivamente público das campanhas. E sobre o sistema de representação, os quatro partidos concordaram em defender o proporcional com listas, que serão definidas pelos partidos de forma democrática”, salientou.
Oposição teme a voz das ruas
Renato Rabelo destacou que “a posição ouvida e lida nos meios de comunicação só reflete a posição da oposição conservadora”. Ele esclarece que quem defende o referendo é, justamente, estes setores e alerta: “O referendo significa ao povo aprovar uma proposta de reforma política que será definida pelo Congresso, mas até hoje o Congresso não conseguiu firmar uma proposta para está questão”.
O dirigente questiona: “Por que não podemos ouvir a população para uma questão tão importante e que interfere na vida de todos? Por que temer? Os partidos entendem que o povo precisa ser ouvido e deve participar da construção desse espaço”, finalizou Renato Rabelo.

Fonte: Portal Vermelho.

Em sessão tumultuada, Câmara de Belo Horizonte reduz tarifa de ônibus em 5 centavos

A Câmara Municipal de Belo Horizonte aprovou, em segundo turno, neste sábado (29) uma redução de R$ 0,05 na tarifa de transporte público da cidade. Com isso, a passagem de ônibus passa a ser R$ 2,75. Os novos valores passarão a valer a partir da próxima segunda-feira (1º).
O projeto, proposto pelo prefeito Márcio Lacerda (PSB), foi aprovado com o voto de 30 vereadores. Cinco políticos votaram contra a redução de tarifa e apenas um legislador se absteve.
A redução foi aprovada em meio a um protesto que reuniu cerca de 500 manifestantes na região da Câmara Municipal de Belo Horizonte. Eles reivindicam uma redução ainda maior no valor da tarifa.
Cerca de 500 pessoas ocupam a Câmara Municipal de Belo Horizonte desde as 9h deste sábado. Na invasão, o grupo pintou os escudos e jogou tinta nos policiais. Em meio a tumulto, vereadores aprovaram redução de R$ 0,05 na passagem.
O projeto aprovado neste sábado prevê a redução de impostos municipais para as companhias que prestam serviços de transporte coletivo.
Após muitos protestos, a segurança do Legislativo permitiu que 300 pessoas ocupassem uma área da Câmara para acompanhar o processo. Os outros manifestantes forçaram a entrada no local e houve conflito com a segurança.
Além da redução das tarifas de transporte coletivo, também foi votado a permissão para que o Executivo faça um empréstimos de R$ 400 milhões junto a Caixa Econômica Federal. Dessa quantia, R$ 220 milhões serão destinados ao programa Minha Casa, Minha Vida e o restante (R$ 180 milhões) para investimentos em mobilidade urbana.

Fonte: UOL.

28 de jun de 2013

Manifestações dão o tom na abertura do 2º Encontro Nacional da Juventude da CTB, em Belo Horizonte

A Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil deu início, no final da tarde desta sexta-feira (28), ao 2º Encontro Nacional da Juventude da CTB, em Belo Horizonte (MG). O Encontro, que se estende até o próximo domingo (30), está sendo realizado no Centro de Formação da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado de Minas Gerais (Fetaemg).
A abertura contou com a presença de dezenas de jovens, representantes de Sindicatos filiados à CTB de diversos Estados; de dirigentes da central e de entidades, como a Fetaemg, Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag), União Estadual dos Estudantes de Minas Gerais (UEE-MG) e Associação Nacional dos Pós-Graduandos (ANPG).
A mesa do primeiro dia foi composta pelo secretário nacional de Juventude da CTB, Paulo Vinícius; o presidente da Fetaemg e dirigente nacional da CTB, Vilson Luiz da Silva; o diretor nacional de Política Agrícola e Agrária da CTB, o Sérgio de Miranda; o presidente da CTB Minas, Marcelino da Rocha; a secretária-geral da Contag, Dorenice Flor; a presidenta da ANPG, Luana Bonone; e do presidente da UEE-MG, Paulo Sérgio de Oliveira.
O secretário nacional da Juventude, Paulo Vinícius se disse honrado em participar do encontro no Centro de Formação da Fetaemg. “Realizar este encontro aqui, na casa do camponês, que tem ocupado cada vez mais espaço na CTB, tem outro sentido”.
Segundo ele, o encontro, que tem o lema “Unir a juventude que trabalha e estuda à luta sindical”, tem o objetivo de discutir os principais temas ligados à atual conjuntura política, econômica, sindical e social do Brasil, a partir do ponto de vista da juventude trabalhadora, tanto do campo como das grandes cidades do País.
Protagonismo
“Temos neste encontro o ‘filé’ da CTB, a juventude que quer fazer a luta, superar as dificuldades e pensar a próxima etapa da Central, ser protagonista. Não vamos deixar a direita dirigir este País, pois nunca dormimos, sempre estivemos nas ruas”, acrescentou, se referindo às manifestações que assolaram o País nas últimas semanas.
Também se referindo ao tema, o presidente da Fetaemg, Vilson Luiz, disse que discorda da ‘baderna’ promovida por algumas pessoas, mas defendeu os protestos. “Temos que apoiar a juventude que foi às ruas dar a cara a tapa”.
Vilson também falou do franco crescimento da CTB, que em apenas cinco anos de existência já é considerada a quarta maior central do País. Para ele, a CTB tem plenas condições de alcançar o primeiro lugar entre as centrais. “Precisamos dos jovens para colocarmos a CTB no 1º lugar”.
O presidente da CTB Minas, Marcelino da Rocha, também ressaltou o crescimento da entidade no Estado e do trabalho desempenhado pelos dirigentes José Antônio de Lacerda - “Jota”, Gelson Alves e Romney Mesquita. “São companheiros que carregaram o piano nos primeiros anos para que hoje a gente possa dar sequência ao trabalho que vem sendo realizado com mais tranquilidade”.
Explorados
Marcelino lembrou aos jovens presentes que o mundo vive numa luta permanente entre explorados e exploradores e que a CTB optou por defender a classe dos explorados. “Não podemos ter dúvidas quanto a isso e devemos reafirmar sempre o nosso compromisso de lutar para ganhar esta guerra. Como bem disse Che Guevara, ‘ser jovem e não ser revolucionário é uma contradição’ ”.
O diretor nacional de Política Agrícola e Agrária da CTB, Sérgio de Miranda, falou da alegria de participar do encontro da juventude. Ele elogiou a participação dos jovens nas manifestações, que já estão apresentando os primeiros resultados, como a redução do preço das passagens de ônibus e a provação de diversos projetos de interesse da população no Congresso Nacional. “Estes resultados reforçam a crença de que o povo organizado é que faz as coisas acontecerem”.
A secretária-geral da Contag, Dorenice Flor, comentou que o momento é de fortalecer os sindicatos para que sejam cada vez mais fortes nas lutas dos trabalhadores por avanços e conquistas e para barrar os oportunistas que têm aparecido nas manifestações.
Presente
Dorenice também defendeu a unidade entre os trabalhadores do campo e da cidade na luta por um mundo melhor e maiores oportunidades para a juventude do campo não precisar ir para as periferias das grandes cidades. “Não somos o futuro, somos o presente. E temos o direito de viver com qualidade de vida agora”.
O atual momento porque passa o País é propício para o debate político, opinou a presidenta da ANPG, Luana Bonone. “Temos que aproveitar a oportunidade para fazer um bom debate político, colocar nossa cara, nossas ideias e nossa pauta para a sociedade”.
Já o presidente da UEE-MG, Paulo Sérgio de Oliveira, acrescentou que “devemos intensificar o trabalho pela mudança de rumos das manifestações”. “Em Minas, conseguimos colocar nossas bandeiras nas ruas. Agora, precisamos colocar também a nossa pauta”, afirmou.
Neste sábado (29), a programação do 2º Encontro Nacional da Juventude da CTB prossegue com debates e discussões temáticas em grupos.
Confira a cobertura fotográfica da abertura encontro no Facebook da CTB Minas.

Fonte: CTB Minas. Texto e foto: Eliezer Dias.  

Participação do Sindbet nas negociações garante PLR 15% maior aos metalúrgicos da Tower em Betim

Os trabalhadores da metalúrgica Tower Automotive, em Betim, aprovaram, em assembleia na tarde desta sexta-feira (28), a proposta de Participação nos Lucros ou Resultados (PLR) de 2013.
A proposta, negociada entre o Sindicato, a Comissão de Trabalhadores e a empresa, é de R$ 3.450,00, valor que será pago em duas parcelas, sendo a primeira, de R$ 2.250,00, neste mês de julho e o restante, atingidas as metas, até 31 de janeiro de 2014.
A acordo aprovado pelos trabalhadores foi considerado positivo pelo presidente do Sindicato, João Alves de Almeida. “Foi um bom acordo, pois houve uma evolução de 15% no valor total, comparado ao que foi pago no ano passado, que não contou com a participação do Sindicato nas negociações”, disse.
João Alves também considerou que o retorno do Sindicato nas negociações da PLR, após dois anos de afastamento, é muito importante, pois abre as portas para outras negociações com a empresa sobre temas de interesse dos trabalhadores da fábrica.
“Essa retomada do diálogo entre o Sindicato e a Tower é fundamental. Como legítimo representante dos metalúrgicos da base, ninguém melhor do que o Sindicato para, na mesa de negociações, lutar por melhores condições de trabalho e salário aos trabalhadores”, ressalta João Alves.
Na assembleia, os trabalhadores da Tower também aprovaram o desconto negocial de 3% em favor do Sindicato.
Fonte: Departamento de Imprensa Sindbet.

27 de jun de 2013

Postura de Anastasia sobre protestos leva curso de direito da UFMG a retirar medalha do governador

Insatisfeitos com a postura do governador de Minas, Antonio Anastasia, diante dos protestos que ocorrem em Belo Horizonte, com confronto entre a Polícia Militar e os manifestantes, um grupo formado por professores, estudantes e ex-alunos do curso de Direito da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) pretende retirar uma homenagem concedida ao político.
A medalha “José Carlos da Mata Machado” foi entregue em 2008 a diversas personalidades que tiveram relação importante com o Centro Acadêmico Afonso Pena (CAAP), incluindo o governador, em ocasião do centenário do departamento. Porém, os representantes do CAAP reclamam que Anastasia deixou de merecer a condecoração.
De acordo com o estudante Felipe Gallo, presidente do Centro Acadêmico, a medida foi tomada na terça-feira (25), após uma assembleia entre os integrantes da repartição. “O governador lutava por direitos que são semelhantes aos nossos e teve um vínculo relevante com a faculdade, mas agora está do ‘outro lado’ ”, explica.
Personagem histórico
O nome da honra se refere a José Carlos Novaes da Mata Machado, um aluno de Direito da UFMG que participou dos protestos durante a ditadura militar no Brasil e acabou morto pelo regime em 1973. Ele foi um dos dirigentes da Ação Popular Marxista-Leninista.
Natural do Rio de Janeiro, José Carlos entrou para a faculdade em 1964, com a primeira colocação no vestibular para o curso. Posteriormente, em 1967, o jovem assumiu a presidência do CAAP e se tornou um dos estudantes mais influentes na instituição.

Fonte: Jornal Hoje em Dia. 

26 de jun de 2013

Sinsem-GV convoca trabalhadores para a manifestação regional dos educadores nesta quinta, 27

O Sindicato dos Servidores Municipais de Governador Valadares (Sinsem-GV) convoca a todos os educadores e educadoras para a manifestação regional dos educadores do município, que será realizada nesta quinta-feira (27). A concentração será na União Operária (Rua São João, 558, Centro – próximo da Policlínica), a partir das 14h30.
Seguindo o exemplo de inúmeras cidades brasileiras, no último dia 22, o movimento “Vempraruagv”, realizou uma grande manifestação em apoio aos protestos no Brasil inteiro e pelas reformas sociais.
O Sinsem-GV não poderia ficar de fora deste ato de protesto e luta na defesa da classe trabalhadora, pela valorização dos servidores municipais pelo respeito dos governantes para com a população brasileira.
Dessa forma, dezenas de servidores atenderam ao chamado da entidade e foram para as ruas centrais da cidade e também participaram de um ato na BR 116.
“O povo brasileiro está demonstrando toda sua insatisfação com nossos governantes. Mais do que uma reação contra as tarifas, as manifestações mostram que os trabalhadores, estudantes e a sociedade como um todo não admitem mais este descaso do Poder Público. Saudamos a todos os manifestantes e especialmente aos servidores e servidoras municipais de Governador Valadares que apoiaram e ou participaram deste justo e pacífico movimento”, disse o presidente da entidade, José Carlos Maia.

Fonte: Sinsem-GV.

Senado aprova projeto que torna corrupção crime hediondo

Atendendo a um apelo da presidente Dilma Rousseff, o Senado aprovou nesta quarta-feira (26), em votação simbólica, um projeto de lei que transforma a corrupção ativa e passiva em crime hediondo. Com isso, esse delito passa a ser considerado tão grave quanto homicídio qualificado e estupro, por exemplo. Na prática, as penas serão mais severas: de 2 a 12 anos passarão a ser de 4 a 12 anos de prisão.
O projeto também enquadra a prática de concussão (recebimento de dinheiro indevido e obtenção de vantagens por servidor público) como crime hediondo. A pena de 2 a 8 anos de prisão para este delito passará a ser de 4 a 8 anos. A proposta, que tramitava na Casa havia dois anos, ainda precisará passar pela Câmara dos Deputados antes de ir à sanção presidencial.
O encaminhamento do projeto, de autoria do senador Pedro Taques (PDT-MT), atende a um pedido da presidente feito durante encontro em Brasília com prefeitos e governadores na segunda (25), quando ela propôs cinco pactos entre as três esferas do poder.
Ao defender o projeto, Taques observou que “não é possível identificar as vítimas fatais da corrupção”, mas que ela “mata pessoas na porta de hospitais, em estradas onde obras foram mal feitas”. “Temos que admitir que o Senado trabalha mais rápido em função dos protestos. Tenho consciência que não é um projeto que vai resolver todos os males do Brasil, mas é um instrumento no combate à corrupção e um avanço importante. Todos somos vítimas da corrupção”, disse.
Os senadores aprovaram ainda algumas emendas ao projeto original. Uma das emendas, do senador José Sarney (PMDB-AP), inclui o homicídio simples, que não era tipificado como crime hediondo, no rol de crimes hediondos. Outra emenda, do senador Wellington Dias (PT-PI), estendeu o agravamento da punição para o peculato (uso de cargo público para obter vantagem) qualificado por parte de funcionários de carreira do Estado ou agentes políticos (agravamento de 1/3 da pena).
Royalties
A expectativa era que fosse votada ainda hoje no plenário a destinação dos royalties do petróleo para a educação. No entanto, os senadores aprovaram apenas o requerimento de urgência sobre o assunto. A Câmara dos Deputados aprovou o projeto de lei 5.500/2013 que destina 75% dos royalties do petróleo para a educação e os 25% restantes para a área da saúde na madrugada desta quarta. O projeto foi aprovado por consenso, após negociação entre as lideranças. Originalmente, o projeto destinava 100% dos royalties para educação.
Também foram adiadas as análises de um projeto que propõe Ficha Limpa para servidores dos três poderes; de outro que propõe tornar obrigatório o trabalho no SUS para os egressos de cursos de saúde; e de um terceiro que cria a carreira pública de médico, que atualmente não existe.
Agenda positiva
A decisão de colocar esses projetos em votação se deu num momento em que a presidente Dilma, o Congresso e a Justiça adotam uma agenda “positiva” em resposta às manifestações que se espalharam pelo país. Entre as reivindicações, os protestos pedem mais rigor no combate à corrupção.
Enquanto os senadores trabalhavam, um grupo de manifestantes chutou 594 bolas de futebol em direção ao prédio do Congresso. As bolas, pintadas com cruzes vermelhas, haviam sido colocadas pela manhã por manifestantes da ONG Rio de Paz, representando o número de parlamentares e o luto pela atuação do Parlamento brasileiro.
Também para atender aos manifestantes, hoje o plenário da Câmara dos Deputados aprovou a proposta que reduz a zero as alíquotas das contribuições sociais para o PIS/Pasep e a Cofins incidentes sobre as receitas dos serviços de transporte público coletivo municipal rodoviário, metroviário, ferroviário e aquaviário de passageiros.
Ainda na Câmara, a CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) aprovou a proposta de emenda à Constituição que acaba com o voto secreto em processos de cassação de mandato. A proposta, que já foi aprovada no Senado, vai agora para uma comissão especial da Câmara que será criada para analisá-la. Em seguida, precisa ser aprovada em dois turnos no plenário da Casa.
Ontem, os deputados derrubaram, em decisão quase unânime, o Projeto de Emenda Constitucional número 37/2011, conhecido como PEC 37, de autoria do deputado federal e delegado Lourival Mendes (PT do B-MA).
A matéria era uma das propostas polêmicas em tramitação no Congresso Nacional que estavam na mira dos protestos. Ao todo, foram 430 votos pela derrubada da PEC, nove favoráveis à proposta e duas abstenções. Com a derrubada, o texto da proposta será arquivado.

Fonte: UOL.

Em encontro com a presidenta Dilma, centrais cobram mudança na economia

Representantes das centrais sindicais se reuniram com a presidenta Dilma Rousseff, nesta quarta-feira (26), em Brasília. O encontro faz parte da agenda da presidenta Dilma de contatos com a sociedade organizada para debater as propostas anunciadas na última segunda-feira.
Os sindicalistas aproveitaram para apresentar a pauta de reivindicação deles incluindo as demandas da população como melhoria nos serviços de saúde, educação e transporte, além de mudanças na política econômica.
Presidência
Segundo o presidente da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Wagner Gomes, se o governo não alterar a política econômica, reduzindo o superávit primário, não terá recursos para investir nas áreas de saúde, educação e transporte. “Com os juros altos o governo não tem de onde tirar dinheiro para os investimentos”, avalia.
O presidente da CTB disse que a conversa não entrou nos detalhes da pauta de reivindicações e nem abordou a pauta trabalhista que está sendo negociada em outra instância do governo. “Debatemos as questões que a presidenta pautou como a reforma política e as questões de saúde, educação e transporte e a presidenta disse que está disposta a enfrentar essas questões”.
Segundo ele, as centrais sindicais concordam com a necessidade da reforma política e o enfrentamento das questão pautadas pela presidenta a partir das reivindicações das manifestações de rua ocorridas recentemente no País.
Além da CTB, participaram da reunião representantes da Central Única dos Trabalhadores (CUT), União Geral dos Trabalhadores (UGT), Nova Central Sindical de Trabalhadores (NCST), Central Geral dos Trabalhadores do Brasil (CGTB), Conlutas e Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB).
Dia de Luta
O encontro com os sindicalistas ocorre um dia depois de as centrais anunciarem a decisão de realizar uma manifestação para defender o fim do fator previdenciário, a revisão dos benefícios da aposentadoria, mais investimentos nas áreas da Saúde e Educação e o acesso mais fácil à presidente para futuras negociações.
As centrais sindicais marcaram para o dia 11 de julho uma greve geral em todo o País, numa onda de mobilização batizada pela categoria como “Dia de Luta”.
O objetivo é pressionar a presidente Dilma Rousseff a dar mais atenção à pauta trabalhista entregue ao governo em março deste ano. A decisão foi tomada durante uma reunião com as lideranças dos sindicatos, realizada nesta terça-feira (25), em São Paulo.
Para o secretário-geral da CTB, Pascoal Carneiro, foi importante o movimento sindical demonstrar unidade neste momento em que o país tem visto milhões de pessoas saírem às ruas para protestar por mudanças.

Fonte: Portal Vermelho.

CTB comemora aprovação da destinação dos recursos dos royalties para a Educação e a Saúde

A Câmara dos Deputados aprovou, na noite da última terça-feira  (25), o Projeto de Lei que destina 75% dos recursos dos royalties do petróleo para a educação pública, com prioridade para a educação básica, e 25% para a saúde.
Para o secretário nacional de Políticas Sociais da CTB, Rogério Carvalho Nunes, a iniciativa atende a um clamor das ruas e dos setores que sofrem com a falta de recursos. “Foi uma iniciativa positiva que atende a esses setores que, mesmo sendo essenciais para a sociedade, sofrem enormes deficiências e convivem com a precariedade”, afirmou.
Há semanas, em diversos estados brasileiros, a população têm ido às ruas para exigir mais investimentos nos setores, entre outras demandas.
O texto aprovado estabelece que será obrigatória a aplicação dos recursos dos royalties na educação e na saúde pela União, estados e municípios. A proposta também determina que 50% dos recursos do Fundo Social do Pré-Sal sejam aplicados na educação até que se atinja o percentual de 10% do Produto Interno Bruto (PIB). O projeto segue agora para apreciação do Senado, em regime de urgência.
Marilene Betros, dirigente da CTB e da APLB - Sindicato (Sindicato dos Professores da Bahia), concorda que essa é uma medida de extrema importância para o setor da educação. De acordo com a sindicalista, não há como se construir uma educação pública de qualidade sem investimentos.
“Conhecemos as deficiências existentes no ensino público, que diferem de região para região. Por isso precisamos de recursos para alcançar a qualidade que queremos, referenciada pela sociedade brasileira. Com escolas bem estruturadas, equipadas com bibliotecas, recursos tecnológicos e dirigentes qualificados. Porque outro ponto crucial nessa discussão é a valorização e preparação dos profissionais da educação. Não alcançaremos uma educação de qualidade, sem professores qualificados”.
Marilene lembra que em diversos municípios o piso do magistério não é respeitado pelos governos com a alegação de falta de recursos.  “Nós, da CTB, entendemos que a destinação desses recursos vai contribuir para e muito para a regularização dessa situação. Valorizando os profissionais e com mais investimentos na educação e do educador conseguiremos  alcançar a qualidade de ensino que o Brasil defende e precisa”, declarou a dirigente.

Fonte: Portal CTB.

25 de jun de 2013

Direita se infiltra e busca manipular as manifestações populares, diz Wagner Gomes

Mais de um milhão de pessoas, jovens em sua maioria, ocuparam as ruas do país ao longo dos últimos dias em atos de protesto cujo objetivo inicial era conquistar a redução das passagens ou transporte público de qualidade e gratuito. O movimento sindical apoiou as manifestações, em larga medida espontâneas, que angariaram amplo respaldo e apoio popular e resultaram em vitórias com a redução dos preços das tarifas de ônibus e Metrô em várias cidades.
A CTB, em aliança com as demais centrais sindicais, compreende que a mobilização popular é essencial para que o país possa avançar em direção a transformações sociais mais profundas que o povo reclama, com destaque para serviços essenciais de saúde, educação, moradia, transporte e para as justas reivindicações da classe trabalhadora.
Todavia, o movimento vem saindo do seu trilho original, sob a influência de forças obscuras de direita e da mídia golpista, que buscam manipular as manifestações espontâneas das massas imprimindo-lhes um sentido político reacionário com o objetivo de isolar e desmoralizar os partidos e organizações progressistas e desestabilizar o governo Dilma, abrindo caminho para o retrocesso neoliberal.
É visível a infiltração de provocadores de direita no movimento, o recurso a depredações e à violência gratuita para criar um clima de caos e ingovernabilidade; as hostilidades grosseiras contra bandeiras de partidos e centrais sindicais.
Na quinta-feira 20, em Brasília, o Itamaraty, que pratica e defende uma política externa soberana e democrática, foi alvo de vandalismo e de uma tentativa de invasão. Alguém duvida de que isto serve a interesses antinacionais?
Em função do novo e perigoso rumo que as manifestações vêm tomando o próprio Movimento pelo Passe Livre (MPL) em São Paulo, que convocou os atos pela redução da tarifa e transporte gratuito, anunciou a suspensão dos atos denunciando a infiltração da direita e a presença de neofacistas agredindo manifestantes. “É inconcebível esta onda oportunista da direita para tomar os atos para si”, disse Rafael Siqueira, ativista e membro do MPL desde 2006.
Certamente, não é por amor à democracia e ao povo que a mídia golpista, liderada pela Rede Globo, vem ajudando a convocar as manifestações ao mesmo tempo em que instiga o ódio popular contra os partidos políticos e a política em geral, organizações dos movimentos sociais, governos e instituições.
A direita neoliberal, reiteradamente derrotada nas urnas, quer pescar em águas turvas, manipulando o movimento espontâneo das massas no momento em que este está sem rumo e sem direção.
Os problemas sociais no Brasil, alguns deles seculares, são gigantes e, apesar dos avanços registrados nos últimos dez anos, demandam solução urgente. É esta a leitura que devemos fazer do sentimento de revolta popular. O movimento sindical não deve sair das ruas nem abdicar da luta, pois só com mobilização e luta conseguiremos avançar na direção de um novo projeto nacional de desenvolvimento com soberania, democracia e valorização do trabalho. Mas não vamos ser cúmplices nem fazer o jogo da mídia golpista.
É nossa obrigação alertar a classe trabalhadora para os riscos de retrocesso e lutar para desmascarar e derrotar as forças de direita que se dedicam a manipular e desvirtuar o movimento espontâneo do nosso povo por um Brasil melhor, com mais democracia, igualdade e justiça.

Wagner Gomes, presidente nacional da CTB

Fonte: Portal CTB.
Foto: Eliezer Dias.

CTB manifesta repúdio à proposta de “cura gay” aprovada pela Comissão de Direitos Humanos da Câmara

A CTB, por meio de sua Secretaria de Políticas Sociais, manifesta seu completo repúdio ao decreto legislativo que trata da “cura gay”, aprovado na Comissão de Direitos Humanos (CDH) da Câmara dos Deputados, presidida pelo deputado federal Pastor Marco Feliciano (PSC-SP).
Para o secretário cetebista Carlos Rogério Nunes, chega a ser absurdo discutir um tema tão importante a partir de termos como “cura”. “Trata-se de algo nascido a partir de uma agenda conservadora e inaceitável. Não se pode curar algo que não é doença. Qualquer profissional da área de psicologia tem essa consciência”, ponderou o dirigente.
A proposta, aprovada na terça-feira (18) na CDH, altera uma resolução do Conselho Federal de Psicologia (CFP) e suspende a vigência desse documento, que proíbe psicólogos de atuarem para mudar a orientação sexual de pacientes e considerar a homossexualidade como doença.
Há quase 30 anos a homossexualidade foi excluída da Classificação Internacional das Doenças. Em seu relatório, o relator da matéria na CDH, o deputado Anderson Ferreira (PR-PE), defendeu que a orientação do conselho impede que homossexuais “mudem” sua orientação com a ajuda de um profissional.
Manifestação
A CTB também apoia os diversos protestos programados para acontecer em cidades pelo país afora, em contrariedade à aprovação desse projeto e de outras pautas de conteúdo semelhante atualmente em discussão na Câmara dos Deputados.
“Se existem deputados se organizando para que certas pautas retrógradas sejam aprovadas, teremos que mostrar nas ruas, com muita mobilização, que a sociedade está disposta a discutir e a pressionar outros parlamentares a votar a favor de valores que realmente respeitem os direitos humanos no país”, defendeu o dirigente da CTB.

Fonte: Portal CTB.
Foto: Eliezer Dias.

Centrais sindicais farão paralisações conjuntas em todo o País no dia 11 de julho

As oito centrais sindicais do País se reuniram nesta terça-feira (25), em São Paulo, para anunciar uma decisão histórica: CTB, CUT, UGT, CSB, NCST, CGTB, CSP-Conlutas e FS irão organizar, de maneira conjunta, uma série de paralisações por todo o Brasil no dia 11 de julho, com o propósito de pressionar o governo e o empresariado a aprovarem a pauta de reivindicações da classe trabalhadora.
A reunião das oito centrais antecedeu o encontro que seus representantes terão com a presidenta Dilma Rousseff nesta quarta-feira, em Brasília. Para o secretário-geral da CTB, Pascoal Carneiro, foi importante o movimento sindical demonstrar unidade neste momento em que o País tem visto milhões de pessoas saírem às ruas para protestar por mudanças.
“Nosso papel será levantar as bandeiras de luta da classe trabalhadora e incorporar as reclamações das ruas. Nós vemos com bons olhos o que está acontecendo no País e já temos há tempos uma proposta de concreta para que o Brasil se desenvolva”, afirmou o dirigente da CTB, referindo-se à Agenda da Classe Trabalhadora, documento formulado pelas centrais em 2010, durante a segunda Conferência Nacional da Classe Trabalhadora (Conclat).
Luta pela democracia e pelos direitos trabalhistas
No encerramento da reunião, as centrais definiram que o 11 de julho será chamado de “Dia nacional de lutas com greves e mobilizações”, a partir do lema “Pelas liberdades democráticas e pelos direitos dos trabalhadores”.
As lideranças sindicais também definiram nove bandeiras de lutas como fundamentais na atual conjuntura. A lista abaixo será entregue à presidenta no encontro desta quarta-feira e ganhará destaque em cada paralisação, que será realizada em 11 de julho:
- Fim do fator previdenciário
- 10% do PIB para a Saúde
- 10% do PIB para a Educação
- Redução da jornada de trabalho para 40h semanais, sem redução de salários
- Valorização das aposentadorias
- Transporte público e de qualidade
- Reforma agrária
- Mudanças nos leilões de petróleo
- Rechaço ao PL 4.330, sobre terceirização.
Paralisações
Após a reunião com Dilma, os representantes das centrais voltarão a se reunir nos próximos dias para acertar os detalhes das paralisações, que devem parar o Brasil no dia 11 de julho.
Para Pascoal Carneiro, será importante a regionalização dos atos, no sentido de interromper, nem que seja por algumas horas, os principais centros produtivos do País.
“Iremos demonstrar nossa capacidade de articulação e contribuir para que essa onda de manifestações tome um rumo progressista, no sentido de trazer melhorias concretas para a classe trabalhadora e de impedir que qualquer movimento antidemocrático ganhe força perante a sociedade”.
Fonte: Portal CTB.

Secretaria de Juventude da CTB divulga programação do 2º Encontro Nacional, que será realizado em Belo Horizonte neste final de semana

Na próxima sexta-feira (28), jovens trabalhadores cetebistas de todo o País estarão reunidos em Belo Horizonte para participar do 2º Encontro Nacional da Juventude. O encontro, que se estende até domingo (30), acontece no Centro de Formação da Federação de Trabalhadores na Agricultura do Estado de Minas Gerais (Fetaemg).
Sob o lema “Unir a juventude que trabalha e estuda à luta sindical”, o encontro pretende discutir os principais temas ligados à atual conjuntura política, econômica, sindical e social do Brasil, a partir do viés da juventude trabalhadora, tanto do campo como das grandes cidades do País.
Com o objetivo de orientar os debates e aprofundar a discussão acerca da realidade dos jovens trabalhadores a secretaria da Juventude da CTB publicou o texto-base do encontro e a programação.
O secretário de Juventude da CTB, Paulo Vinícius, destaca que a agenda do Encontro está alinhada às principais demandas do movimento estudantil. “A juventude trabalhadora do País estuda. Temos que ampliar essa a capacidade do sindicalismo de diálogo com os jovens de todas as regiões do Brasil”, defende.
Programação:
Local: Centro de Formação da Fetaemg.
Dia 28/6 – sexta
- 12h: Chegada e acolhida.
- 16h: Abertura.
- 16h15: Ato Político com Wagner Gomes, presidente da CTB; Alberto Broch, presidente da Contag; Vilson Silva, presidente da Fetaemg; Virgínia Barros, presidenta da UNE; Luana Bonone; presidenta da ANPG; Lúcia Stumpf, representante da União Brasileira de Mulheres e da Coordenação dos Movimentos Sociais; Batista Lemos, vice-presidente da Federação Sindical Mundial; Ângela Guimarães, vice-presidenta do Conselho Nacional de Juventude; Assis Melo, deputado federal (PCdoB/RS); e Gilson Reis, vereador de Belo Horizonte e presidente do Sinpro-MG. Coordenação: Paulo Vinícius, secretário Nacional de Juventude da CTB, e Gilda Almeida, presidenta do Centro de Estudos Sindicais.
- 17h: Debate – “Brasil: a luta pelo desenvolvimento, os(as) trabalhadores(as) e da juventude”. Debatedores: Roberto Amaral, vice-presidente do PSB;
André Tokarski, presidente da União da Juventude Socialista; Carla Bueno, representante do Levante Popular da Juventude; e Paulo Vinícius, secretário de Juventude da CTB. Coordenação: Dorenice Flor, secretária-geral da Contag.
- 20h: Jantar e atividade cultural – sarau musical.
Dia 29/6 – sábado
- 9h: Debate – “Um passo adiante na organização da Juventude da CTB: Organização Nacional e Ramos”. Debatedores: Adilson Araújo, presidente da CTB-BA; Vítor Espinoza, secretário de Juventude da CTB-RS; Vilson da Silva, presidente da Fetaemg; Nivaldo Santana, vice-presidente da CTB; Aline Lima, Núcleo da CTB na Apeoesp; Marcelino Rocha, presidente da CTB Minas e da  Fitmetal. Coordenação: Rosi Santos, representante do Sindicato dos Bancários de Sergipe.
- 12h: Almoço.
- 14h: Grupos de trabalho de articulação por ramos: O objetivo é apontar diretivas e unificar a articulação em ramos fundamentais de trabalho da juventude da CTB. O relatório será encaminhado à Secretaria Nacional para subsidiar os trabalhos após o 3º Congresso.
a) Metalúrgicos: Todson, presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Carlos Barbosa-RS;
b) Educação: Wallace Melo (Sinpro-PE), Aline Lima (Núcleo da CTB na Apeoesp) e Edson (Contee);
c) Rurais: Maria Alves de Souza (Fetaemg), Luciana Oliveira (Fetag-BA) e Josiane (Fetag-RS);
d) Bancários: CTB Ramo Financeiro e Luíza Bezerra (Coletivo da Juventude Trabalhadora do RS e BB);
e) Comerciários: Vítor Espinoza (Fecosul) e Alfredo Nascimento (Sindicomerciários de Salvador);
f) Correios: Federação dos Correios e Adroaldo Negreiros.
g) Servidores Públicos: Igor Pereira (Coletivo de Juventude da CTB-RS) e José Gonçalves (CTB-PB).
Atenção: poderá haver outros grupos mediante proposta dos ramos à Secretaria nacional de Juventude.
- 16h: Intervalo.
- 16h30: Grupos de trabalho por temática: O objetivo é apontar diretivas para o trabalho da juventude da CTB em temas importantes. O relatório será encaminhado à Secretaria Nacional para subsidiar os trabalhos após o 3º Congresso.
a) A juventude trabalhadora e o empoderamento das mulheres na luta sindical. Debatedores: Carolina Barbosa, advogada e militante da UBM e Elvira Madeira (bancária - CTB-CE);
b) Estágio e ingresso no mundo do Trabalho. Debatedor: Wallace Melo (Sinpro-PE);
c) Juventude da CTB e participação no ESNA, FSM e CCSCS (apresentação). Debatedor: Paulo Vinícius;
d) Jovens trabalhadores(as) e políticas públicas de juventude. Debatedores: Vítor Espinoza e Thiago Santana (vereador de Betim);
e) Trabalho decente, precarização e terceirização. Debatedores: Igor Pereira (Fasubra) e Severino Silva (CTB-PB);
f) A juventude adoecida no trabalho e a organização sindical. Debatedores: Alfredo Nascimento (Comerciários de Salvador) e Sérgio Silva (CTB-GO);
g) Estratégia da ampliação da filiação sindical e do envolvimento da juventude nos Sindicatos. Debatedores: representante do Sindicato dos Metalúrgicos de Caxias e Juliana Matias (Fetaemg);
h) Inovar na comunicação com a Juventude Trabalhadora. Debatedores: Kerison Lopes, representante do Fora do Eixo MG, e Eudo Raffael (CTB-AC).
- 18h: Intervalo.
- 18h30: Debate - Educação, trabalho e formação profissional: por uma agenda de jovens trabalhadores(as) e estudantes. Debatedores: Manuela Braga, presidenta da Ubes; Madalena Guasco, coordenadora geral da Contee;
Jackson Bezerra; presidente do Sinpro-PE; e Paulo Vinícius, secretário nacional de Juventude da CTB.
- 18h30: Debate: Impulsionar o protagonismo da juventude rural da CTB na luta pela sucessão e o desenvolvimento rural. Debatedores: Maria Alves de Souza, representante da Fetaemg e do Coletivo Nacional de Juventude da CTB); Dorenice Flor, secretária-geral da Contag; Sérgio de Miranda, diretor de Política Agrícola e Agrária da CTB; e Cláudio Bastos, presidente da Fetag-BA.
Coordenação: Vítor Espinoza.
- 21h: Jantar e atividade cultural – música ao vivo com ritmos variados.
Dia 30/6 – domingo
- 9h: Apresentação do documento final e eleição do Coletivo Nacional da Juventude da CTB.
- 11h: Encerramento e almoço.

Fonte: Portal CTB.

21 de jun de 2013

CTB Minas convoca dirigentes sindicais e populares para ato público no centro de BH neste sábado

A CTB Minas convoca os sindicatos filiados e os trabalhadores e trabalhadoras de Minas Gerais para participarem do ato público que será realizado neste sábado (22), às 9h30, na Praça Afonso Arinos, no centro de Belo Horizonte.
“Nos últimos dias, o povo brasileiro, principalmente a juventude, tomou as ruas de centenas de cidades, em vários estados, surpreendendo o mundo inteiro, numa maré de manifestações democráticas. Nós, sindicalistas classistas e trabalhadores, que sempre estivemos nas ruas lutando por melhores condições de trabalho, salário, saúde e segurança, não podemos ficar de fora destas manifestações. Temos que participar ativamente das manifestações, enriquecendo-as com as bandeiras de lutas dos trabalhadores”, argumenta o vice-presidente da CTB Minas, José Antônio de Lacerda, o Jota.
Na mobilização, serão defendidas bandeiras de lutas como:
- Redução imediata das tarifas - passe livre já;
- 10% do PIB para Educação;
- 10% do Orçamento Federal para a Saúde;
- Reforma agrária;
- Redução de jornada de trabalho para 40 horas semanais;
- Fim do Fator Previdenciário.
Fonte: CTB Minas.


Em menos de 24 horas, BH tem 2ª redução no preço das passagens de ônibus

O prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda (PSB), anunciou nesta sexta-feira (21) nova redução de R$ 0,05 nas passagens dos ônibus na capital mineira. A decisão é anunciada menos de 24 horas após o socialista ter divulgado uma diminuição nos preços dos bilhetes, de R$ 2,80 para R$ 2,75. Agora, vale a redução de R$ 0,10. O valor passa para R$ 2,70 em 1º de julho.
A redução foi possível após um acordo entre Lacerda e representantes da mesa diretora da Câmara Municipal, cerca de 12 horas após as sedes dos dois Poderes terem sido alvos dos manifestantes.
O prefeito foi muito criticado e vaiado durante os protestos da noite da quinta-feira (20) em frente à prefeitura, após a divulgação da menor redução no país. Logo depois, os cerca de 20 mil manifestantes que marchavam pelas ruas de Belo Horizonte foram para a Câmara Municipal e trocaram a bandeira branca, com o brasão do município ao fundo, por um pedaço de pano em frangalhos.
Com a primeira redução, de R$ 0,05, o prefeito havia calculado que o erário deveria perder cerca de R$ 20 milhões por ano.
O município enviou mensagem para a Câmara, aprovada entre ontem e hoje em três comissões da Casa, acabando com os 2% do ISSQ (Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza) das 43 empresas que exploram o serviço na cidade. Agora, o projeto entra na pauta do plenário e sua votação, segundo a direção da Casa, em dois turnos, pode ser feita em oito dias. Assim, entra em vigor em 1º de julho, conforme é a pretensão do Executivo e do Legislativo.
Lacerda aceitou a sugestão da Câmara e disse que não tinha tido a ideia. “Não pensei”, afirmou. O prefeito pode, por decreto, eliminar outros 2% que são cobrados das empresas de transportes por conta do CGO (Custo de Gerenciamento Operacional). O tributo é recolhido para manutenção da BHTrans, empresa do município responsável pelo gerenciamento do trânsito na capital mineira.

Fonte: UOL.

PLR aprovada pelos trabalhadores da Denso Térmicos na tarde desta sexta é quase 30% maior que a de 2012

O Sindicato dos Metalúrgicos de Betim e Região acaba de fechar mais um acordo de Participação nos Lucros ou Resultados de 2013. Desta vez, os beneficiados são os metalúrgicos e metalúrgicas da Denso Térmicos – uma das principais fornecedoras da Fiat Automóveis –, que aprovaram em assembleia, na tarde desta sexta-feira (21), na fábrica, a proposta negociada entre a entidade, a Comissão de Trabalhadores e a empresa.
O acordo prevê o pagamento de R$ 4.050,00 a título de PLR, atingidas as metas, sendo R$ 3.400,00 de antecipação, a ser paga este mês, e o restante até 31 de janeiro de 2014, apurado o resultado final.
Segundo o vice-presidente do Sindicato, Gleyson Borges, que trabalha na fábrica, este foi um dos melhores acordos fechados pelo Sindicato este ano. “Conquistamos uma PLR quase 30% superior à que foi paga em 2012. Isso é uma grande vitória, que se tornou possível graças ao trabalho feito pela entidade e a Comissão de Trabalhadores, que contaram com o apoio e a mobilização dos empregados na fábrica”, ressaltou.
Na assembleia, os trabalhadores e trabalhadoras também aprovaram o desconto negocial de 3% em favor do Sindicato.
Negociações
Nas últimas semanas, o Sindicato fechou acordos de PLR, aprovados em assembleias pelos trabalhadores, com empresas como: Teksid, Magna, Denso Rotantes, Terex-Ritz, Rossetti, Stola, LM Came, Lames, Metform, JVA, Silvendas, PAM, Eletrodata, Rodoeixo, Inmeco e Rebarba Minas.
O Sindicato ainda está em negociação com fábricas como a Fiat Automóveis, SAE Towers, Metalsider, Sila do Brasil, Brembo, Mardel, Soldering, ZF, União, Tekfor, Rontan e Fornac.

Fonte: Departamento de Imprensa Sindbet.

Fifa descarta cancelamento da Copa das Confederações

Em comunicado oficial divulgado na manhã desta sexta-feira (21), a Federação Internacional de Futebol (Fifa) negou a chance de cancelamento da Copa. “Até esta data, nem a Fifa nem o Comitê Organizador Local (COL) nunca discutiram qualquer possibilidade de cancelamento da Copa das Confederações”, escreveu a entidade.
Os boatos sobre cancelamento da Copa das Confederações, que está em curso no País, e da Copa do Mundo de 2014, que será realizada no Brasil, foram descartados pela entidade organizadora dos torneios. A assessoria de imprensa da Fifa comunicou, ainda, que nenhuma seleção fez algum pedido oficial para deixar a competição.
Por incitação da mídia, a serviço de interesses da direita alarmista, tentam lançar noticias falsas com o intuito de desestabilizar o governo brasileiro, atuando ainda por meio das redes sociais na internet.
A assessoria de imprensa da Itália divulgou uma nota oficial também negando os boatos de que a seleção do país cogita abandonar a Copa das Confederações por causa dos protestos que tomaram as ruas do Brasil nos últimos dias.
No comunicado, a Federação Italiana de Futebol (FIGC, na sigla em italiano) declara que confia totalmente na organização da Fifa e que não foi discutida a hipótese de deixar a competição, classificando como “estúpida” qualquer especulação sobre o assunto.
A seleção italiana negou as informações divulgadas no jornal O Estado de São Paulo, na última quinta-feira (20), de que havia se queixado à Fifa, preocupada com a segurança de seus jogadores, e queria mais garantias de que não haveria ataques à delegação do país e seus familiares que acompanham a o torneio no Brasil.

Fonte: Portal Vermelho.

Após protestos, presidenta Dilma realiza reunião emergencial

A presidenta Dilma Rousseff se reuniu na manhã desta sexta-feira (21) com ministros para discutir em caráter emergencial as recentes manifestações ocorridas em diversos estados, que na última quinta-feira levaram mais de 1 milhão de pessoas às ruas.
A reunião ocorre após a presidenta ter cancelado viagem que faria ao Japão no início da próxima semana. Na quinta-feira, manifestantes entregaram ao secretário executivo da Secretaria-Geral da Presidência, Diogo de Sant’ana, um documento com reivindicações dirigidas ao governo.
Hoje, Dilma lançaria, em Salvador (BA), o Plano Safra do Semiárido. A mudança na agenda foi feita a pedido do governador da Bahia, Jaques Wagner.

Fonte: Agência Brasil.

Presidente do Sindicato dos Vigilantes de Minas Gerais será homenageado com o título de cidadão honorário de Uberlândia

O presidente do Sindicato dos Vigilantes de Minas Gerais, Romualdo Alves Ribeiro, receberá o título de Cidadão Honorário do Município de Uberlândia. A entrega da comenda, concedida pela Câmara dos Vereadores, por indicação do vereador Juliano Modesto (PSL), presidente do Sindicato dos Vigilantes de
Uberlândia, será no próximo dia 25 de junho, às 19h, em solenidade no Legislativo Municipal daquela cidade (Avenida Ubiratan Honório de Castro, bairro Santa Mônica).

Fonte: Sindicato dos Vigilantes de Minas Gerais.

Situação da classe trabalhadora está piorando, afirma dirigente da Federação Sindical Mundial

O secretário-geral da Federação Sindical Mundial (FSM), George Mavrikos (foto), afirmou esta semana, no plenário da 102ª Convenção da Organização Internacional do Trabalho (OIT), realizada em Genebra (Suíça), que a situação da classe trabalhadora está piorando em todos os continentes.
Para o dirigente da FSM, entidade à qual a CTB é filiada, é preciso que os sindicatos combativos em cada parte do planeta saiam às ruas para se manifestar, no sentido de impedir que novos ataques sejam desferidos contra a classe trabalhadora. Confira a íntegra do discurso de Mavrikos:
“Senhoras e senhores, as condições de vida e trabalho do povo trabalhador hoje são mais difíceis do que durante a última conferência da OIT. Altíssimas taxas de desemprego, redução de salários e pensões, privatizações em todos os setores economia, as políticas criminosas dos empresários causam a falta de segurança nos locais de trabalho, a violência estatal e a agressividade imperialista são predominantes.
É significativo que enquanto a riqueza produzida aumenta e os mercados estão cheios de produtos de todo tipo, bem como os lucros das multinacionais e da maioria dos empregadores seguem sendo extremamente altos, os direitos dos trabalhadores são eliminados. Essas são as características da profunda crise do sistema capitalista.
Ao mesmo tempo, isso mostra que o capital está aproveitando a crise para aumentar seus lucros à custa das massas populares. A situação da classe trabalhadora em todos os continentes está piorando.
Em Bangladesh, as políticas criminosas das multinacionais e os empresários locais seguem matando trabalhadores; Na Turquia, a violência estatal e o ataque contra os trabalhadores estão aumentando; na Costa Rica, as greves no setor público estão proibidas; no Panamá, os trabalhadores do Canal não podem entrar em greve; o Chile é um exemplo de muitos países que ainda estão violando os convênios fundamentais ratificados há 14 anos.
No Cazaquistão, nos países do Golfo e na Guatemala quase não existe a liberdade de associação. Na Colômbia, os metalúrgicos e mineiros são atacados constantemente. Os trabalhadores da multinacional Glencore estavam em greve durante 98 dias e a multinacional os trata como delinquentes. A Michelin fecha fábricas em Cali e Chusacá. Mas, sem ter em conta tudo isso, a OIT exclui a Colômbia da lista.
No Paraguai, dirigentes camponeses são perseguidos, assim como nossos companheiros dirigentes do Moapa. A classe trabalhadora europeia está sendo empurrada para a pobreza pelas políticas aplicadas pela União Europeia e os governos a favor dos empresários. Os trabalhadores e o povo da África vivem em condições extremamente ruins, enquanto seus recursos naturais são roubados diariamente pelas multinacionais.
O direito de oito horas de trabalho estável e seguro, o direito de negociação coletiva setorial e nacional, o direito de greve, o direito à seguridade social e de pensões, o direito à educação pública e à saúde se encontram no epicentro do ataque lançado pelo FMI, Banco Mundial, União Europeia e pelos governos que os apoiam.
A Federação Sindical Mundial, que representa atualmente 86 milhões de membros em 128 países não deixará de defender esses direitos. Seguiremos organizando atividades internacionais e jornadas de ação, seguiremos denunciando essas políticas em nível mundial e continuaremos nos organizando para impedi-los, junto de nossos filiados e amigos na linha de frente pelos direitos do povo trabalhador.
Lamentavelmente, o papel da OIT e de seus escritórios regionais não está ajudando nessa direção. Ao contrário: em vários continentes, como na América Central e no Oriente Médio, seguem uma política de discriminação aos trabalhadores. Estão favorecendo outras partes. Geram dificuldades e obstáculos para muitos sindicalistas.
Isso tem que parar. A função dos escritórios regionais e da OIT é tratar a todos os trabalhadores e seus representantes da mesma forma. Estamos pedindo que se detenham as discriminações contra os amigos e filiados da FSM. Pedimos a representação proporcional.
A Federação Sindical Mundial continuará a chamar o movimento sindical internacional na luta conjunta contra a exploração e a barbárie capitalista. Pelo segundo ano, em 3 de outubro de 2013 chamaremos todas as organizações sindicais a marchar militantemente com manifestações, greves e outras atividades por direito à alimentação, água potável, remédios, livros, moradia e outras necessidades atuais do povo.
Ao mesmo tempo, fazemos um chamado a todos os sindicatos combativos e com espírito internacionalista e solidário a estar ao lado do povo palestino em sua luta pela pátria independente. Para defender o direito do povo da Líbia, do Iraque, Síria, Mali, Venezuela, Honduras e Paraguai de defender por si mesmo seu presente e futuro, sem a Otan ou os imperialistas. Também exigimos que se detenha o bloqueio dos Estados Unidos e seus aliados contra o povo cubano.
Ao fazer uso da palavra aqui na OIT, expresso mais uma vez o respeito e a apreciação da FSM em relação à classe operária da Grécia, que, com sua luta classista resiste e mostra sua desobediência no combate às políticas bárbaras e antipopulares.
Condenamos o governo da Grécia, que demitiu inesperadamente e em uma só noite 2.260 trabalhadores da TV e Rádio públicas do país, e com uma decisão ditatorial fechou a ambas. Os trabalhadores e os dois milhões de desempregados na Grécia devem saber que não estão sozinhos. Estamos a seu lado. Obrigado”.

Fonte: Portal CTB.

20 de jun de 2013

Carlin Moura confirma redução de R$ 0,20 na passagem de ônibus em Contagem


As passagens de ônibus municipais em Contagem serão reduzidas em R$ 0,20, passando a R$ 2,75. O anúncio foi feito pelo prefeito Carlin Moura nesta quinta-feira (20). Para adequação da nova tarifa ao sistema de bilhetagem, a medida entra em vigor em 1º de julho.
Segundo o prefeito Carlin Moura, a redução das passagens do transporte coletivo só foi possível mediante as desonerações concedidas pelo governo federal sobre a folha de pagamento e sobre a contribuição do PIS/Cofins, juntamente com as desonerações tributárias que o município irá promover para garantir a redução no preço final.
A Prefeitura de Contagem enviará, após avaliações técnicas, projeto de lei à Câmara de Vereadores, para determinar os valores das desonerações tributárias praticadas pelos municípios.
Segundo Carlin Moura, o governo municipal compreende como justa a luta do povo em favor da redução do preço da passagem do transporte público coletivo. “Queremos que as passagens sejam mais acessíveis aos trabalhadores, jovens estudantes e famílias de Contagem”, destacou.
Betim
Fazendo coro com Carlin, o prefeito de Betim, Carlaile Pedrosa, informou que em Betim a passagem também será reduzida, em R$ 0,15, e que a redução das passagens não representa risco de investimentos para os municípios.
“Esta é uma redução considerável, que vai ajudar muito às famílias de Contagem e Betim. Não haverá impacto negativo para os municípios. A desoneração dos impostos federais nos dá plenas condições de promover a desoneração tributária também em nível municipal”, informou.
Pedrosa destacou também que, como presidente da Associação dos Municípios da Região Metropolitana de Belo Horizonte (Granbel) - Carlin Moura é o vice - está conversando com várias cidades da Grande BH para que promovam a redução das passagens do transporte coletivo em seus territórios.
Para Carlin Moura, os municípios metropolitanos estão engajados em reduzir as passagens de ônibus e beneficiar ainda mais os trabalhadores. “Estamos promovendo uma convergência de governanças entre as cidades metropolitanas, no intuito de melhorar ainda mais a qualidade de vida das pessoas”, enfatizou.
Fonte: Departamento de Imprensa Sindbet, com informações da Prefeitura de Contagem.

Prazo de inscrições para o 16º Torneio de Futebol Operário Metalúrgico termina nesta sexta-feira (21)

Termina nesta sexta-feira (21) o prazo de inscrições para a 16ª edição do Torneio de Futebol Operário Metalúrgico, organizado pelo Sindicato dos Metalúrgicos de Betim e Região. O campeonato, que terá início no dia 14 de julho, será no clube do Sindicato, em Betim.

As inscrições de times poderão ser feitas no período de 10 a 21 de junho, na sede do Sindicato (Rua Santa Cruz, 811, Centro, Betim). Cada equipe poderá inscrever no mínimo sete e no máximo 15 jogadores.

Para participar, o atleta tem que ser metalúrgico da base e sócio do Sindicato e apresentar, no ato da inscrição, documento de identificação com foto, a carteirinha de sócio e o contracheque do mês.

A taxa de inscrição do time é uma cesta básica no valor mínimo de R$ 70,00. As cestas arrecadadas durante as inscrições serão doadas a entidades filantrópicas.

Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 3539-6500, com o diretor do Sindicato Paulo Miguel, coordenador do Departamento de Esporte e Cultura da entidade.

Fonte: Departamento de Imprensa Sindbet.