29 de nov de 2013

Servidores do SAAE, em Governador Valadares, decidem por paralisação de 48 horas

Demais servidores tem assembleia geral na terça (03/12)

Os servidores do SAAE, reunidos em assembleia na sede do SINSEM/GV, decidiram por nova Paralisação Geral de 48 horas nos dias 05 e 06 de dezembro de 2013 e participação ativa nas reuniões ordinárias da Câmara Municipal para pedir apoio e empenho dos vereadores.

Decidiram também por diversas outras atividades durante toda a 1ª semana de dezembro, com objetivo de cobrar da prefeita o envio do prometido plano de carreira e ainda manifestação de solidariedade aos colegas servidores do SAAE punidos pela participação na última paralisação e manifestação.

Já os demais servidores (Saúde, Educação, Semov, Prefeitura/Geral, Iprem e outras secretarias) farão uma Assembleia Geral no dia 03/12/13(Terça), às 18h, na sede do SINSEM-GV, também com indicativo de paralisação, para discutir novas ações de cobrança do Plano de Carreira e prestar solidariedade aos colegas que sofreram retaliação.


É bom sempre lembrar que a insatisfação da categoria é geral, uma vez que além do plano de carreira, neste ano de 2013 não foi concedido nenhum reajuste salarial, nem mesmo a recomposição salarial obrigatória, o que aumenta ainda a mais nossa gritante defasagem salarial.

Felizmente uma grande maioria dos servidores já entendeu que não adianta apenas ficar reclamando. É preciso ir a LUTA. Semana passada, nosso movimento de cobrança do Plano de Carreira foi histórico, com repercussão a nível estadual e até nacional, marcando a força de uma classe trabalhadora que não foge da luta.

O sindicato não faz nada sozinho. O sindicato somos todos nós juntos.

Precisamos aumentar nossa voz. Parabenizamos a todos os servidores que participaram desta luta e conclamamos que mobilize seu colega de trabalho para que também venha pra luta.

Temos que nos conscientizar que para nós servidores, nada cai do céu, só há conquista na luta.

O SINSEM/GV como sempre está fazendo sua parte.

Vem pra luta você também!

Veja fotos e outras informações na página do facebook: https://www.facebook.com/sinsemgv.servidoresmunicipaisdegv

Fonte: SINSEM/GV

28 de nov de 2013

Manifestação e greve abrem o Dia de Luta dos Metalúrgicos de Minas Gerais

Uma grande manifestação na metalúrgica Vallourec, na região do Barreiro, em Belo Horizonte, e uma greve na Denso Rotantes, em Betim, marcaram o início do Dia de Luta dos Metalúrgicos de Minas Gerais, na manhã desta quinta-feira (28).
Em campanha salarial há três meses, os metalúrgicos protestaram contra a intransigência dos patrões, representados pela Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg), que insiste em não atender às reivindicações da categoria.
Na Vallourec, a manifestação, que durou mais de 3 horas e contou com a presença do presidente da CTB Minas, Marcelino da Rocha, e do diretor Gelson Alves, reuniu dezenas de dirigentes do Sindicato e de entidades representativas dos metalúrgicos no Estado. Durante todo o tempo, centenas de trabalhadores permaneceram nas portarias da fábrica, o que provocou atraso na produção da empresa.
O trânsito ao redor da Vallourec também foi interrompido pela manifestação, impedindo o acesso dos especiais que transportam os trabalhadores para a fábrica, bem como a circulação de ônibus e carros nas imediações.
Greve
Insatisfeitos com a proposta patronal apresentada até agora, metalúrgicos da Denso Rotantes – fornecedora de limpadores de parabrisa e alternadores para a Fiat Automóveis, decidiram seguir o exemplo dos companheiros da Denso Térmicos e cruzaram os braços no início da manhã de hoje.
“Os trabalhadores da Denso Rotantes, empresa que faz parte do mesmo grupo da Denso Térmicos, não aceitam serem tratados de forma diferente. Portanto, exigem os mesmos benefícios conquistados pelos metalúrgicos da Denso Térmicos e estão dispostos a manter a greve por tempo indeterminado”, afirmou o vice-presidente do Sindicato, Gleyson Borges.
Na última terça-feira (26), após uma greve de quatro horas e meia de duração, os metalúrgicos da Denso Térmicos conquistaram 8% de reajuste salarial, abono de R$ 1.000,00, pagamento da segunda parcela da Participação nos Lucros ou Resultados (PLR) com aferição apenas na meta de absenteísmo, entre outros benefícios.
Negociação
Em busca de uma nova contraproposta dos patrões, que contemple as reivindicações dos metalúrgicos, a comissão formada por representantes dos sindicatos que integram a Campanha Salarial se reuniu às 10 horas com a patronal, na Superintendência Regional do Trabalho e Emprego em Minas Gerais, em Belo Horizonte. A reunião ainda está em andamento.
Confira a cobertura fotográfica da manifestação na Vallourec no Facebook da CTB Minas: https://www.facebook.com/ctb.minas/media_set?set=a.537563943000661.1073741880.100002411803779&type=3
Fonte: Departamento de Imprensa – Sindbet.

Com juros altos não existe desenvolvimento: CTB-Minas participa do ato unificado em Brasília


Os trabalhadores mineiros, organizados pela CTB-Minas, foram à Brasília nesta terça-feira (26) para participar do ato unificado das Centrais Sindicais contra o aumento dos juros. O ato unitário aconteceu em frente ao Banco Central como forma de pressionar o Comitê de Política Monetária (Copom), que também se reuniu nesta data para discutir o aumento da taxa básica de juros (Selic). Desde abril, quando a taxa estava em 7,25% ao ano, o índice foi elevado para 9,50%. Esta é a última reunião do ano do Copom. O novo índice será apresentado na quarta-feira (27).


A CTB e as demais centrais cobram do governo federal a redução das taxas de juros e o aumento dos investimentos em saúde, educação, geração de emprego e valorização dos salários dos trabalhadores.




27 de nov de 2013

SAAE faz corte de extensão de jornada a servidores que participaram da paralisação

SINSEM/GV convoca Assembleia extraordinária


Depois do histórico dia de Protesto e Paralisação dos servidores na semana passada para cobrar da prefeita Elisa Costa o prometido Plano de Carreira, com atividades durante todo o dia na porta do SAAE e do sindicato, passeata pelas ruas centrais da cidade, ato público na entrada do Teatro Atiaia (aproveitando a visita do ministro Pimentel em GV) e ainda MANIFESTAÇÃO em frente à Prefeitura, com centenas de servidores atendendo o chamado do SINSEM/GV, nossa LUTA continua.

Agora precisamos aumentar ainda mais nossa voz, uma vez que a Administração Municipal ainda não se pronunciou oficialmente sobre o Plano de Carreira e para agravar ainda mais a situação, entre outras ameaças de punição, efetuou o corte da extensão de jornada de 05 (cinco) servidores do SAAE pelo simples fato de participação no justo movimento de luta pelo Plano de Carreira.

Esta medida de corte da extensão de jornada tomada pelo SAAE logo após paralisação, sem nenhuma motivação que a justifique, demonstra claramente ser uma ação punitiva ou de retaliação/perseguição aos servidores daquela autarquia que participaram do movimento.

Diante destes fatos, o SINSEM/GV realizou hoje (26/11) pela manhã mais um Ato de Protesto no pátio do SAAE e ainda irá protocolar oficialmente juntamente com alguns servidores do SAAE, uma representação/denuncia junto ao Ministério Público e Ação Judicial no Poder Judiciário. Além disso, estamos convocando Assembleias Extraordinárias para discutir as novas ações para cobrança do plano de carreira e demonstrar solidariedade aos colegas servidores do SAAE punidos pela participação na paralisação e manifestação

O SINSEM/GV como sempre está fazendo sua parte.

Participe das assembleias e manifeste sua indignação.

Portanto, vamos à LUTA!


Fonte: SINSEM-GV 

Em greve histórica, metalúrgicos da Denso Térmicos, em Betim, arrancam 8% de reajuste salarial

Os metalúrgicos da Denso Térmicos, em Betim, acabam de garantir 8% de reajuste salarial e abono de R$ 1.000,00, dentre outras conquistas, no mais significativo acordo alcançado até o momento na Campanha Salarial Unificada dos metalúrgicos de Minas Gerais, após uma greve que paralisou a fábrica por cerca de quatro horas e meia, na manhã desta terça-feira (26).
A conquista tem valor histórico para os trabalhadores, já que é a primeira greve realizada na fábrica desde que a Denso Térmicos se instalou em Betim, em 1991.
Pelo acordo, negociado entre o Sindicato dos Metalúrgicos de Betim e Região e representantes da empresa, os metalúrgicos da Denso Térmicos terão, ainda, garantia de emprego ou salário por 120 dias; cartão cesta no valor de R$ 100,00, sem qualquer desconto (para quem não tem falta injustificada), e pagamento da segunda parcela da PLR com apuração apenas da meta de absenteísmo, que é individual. As horas paradas durante a greve não serão descontadas.
O reajuste de 8% será aplicado até os salários de R$ 3.000,00 – acima deste valor, será pago um valor fixo de R$ 260,00. Já os R$ 1.000,00 de abono deverão ser pagos até o dia 10 de dezembro.
Não ao banco de horas
O vice-presidente do Sindicato, Gleyson Borges, que trabalha na empresa, considera que este é um momento histórico, pois é a primeira vez que os trabalhadores pararam a fábrica. “Os metalúrgicos da Denso Térmicos resolveram cruzar os braços para exigir respeito, valorização, reajuste salarial digno, abono e para rechaçar qualquer possibilidade de inclusão de cláusulas como o banco de horas nas fábricas da nossa categoria”, afirmou.
Para o presidente do Sindicato, João Alves de Almeida, a conquista dos metalúrgicos da Denso Térmicos poderá influenciar positivamente a luta da categoria nesta Campanha Salarial Unificada.
“Esta conquista é um exemplo de luta que deve ser seguido pelos metalúrgicos de outras empresas, não apenas em Betim, mas em todo o estado. Além disso, é um indicativo de que, se os trabalhadores intensificarem a mobilização nas fábricas e continuarem unidos ao Sindicato, as possibilidades de alcançarmos reajustes com índices ainda mais significativos são enormes”, destaca.
A greve realizada na Denso Térmicos chegou a comprometer o abastecimento de peças nas linhas de produção da Fiat Automóveis, que teve alguns setores totalmente paralisados, e também na Magna, em São Joaquim de Bicas.
O diretor do Sindicato Geraldo Firmino, que trabalha da Denso Térmicos, parabenizou os metalúrgicos pela determinação e mobilização junto ao Sindicato. “Mais uma vez, ficou comprovado que quando os trabalhadores se mantém mobilizados e unidos ao Sindicato, a vitória é certa”, destacou o dirigente.
Impasse com a Fiemg continua
Conforme deliberação de assembleia realizada no último dia 10, os metalúrgicos de Betim e Região permanecem em "Estado de Greve", podendo paralisar as fábricas da base a qualquer momento, a exemplo do que fizeram os trabalhadores da Denso Térmicos.
Até o momento, permanece o impasse nas negociações entre metalúrgicos e Fiemg, uma vez que a patronal não arreda pé da proposta que condiciona a elevação do percentual de reajuste de 5,9% à aceitação, por parte da categoria, da implantação do banco de horas nas fábricas.
Nova tentativa de conciliação entre as partes está marcada para o próximo dia 28, na Superintendência Regional do Trabalho e Emprego.

Fonte: Departamento de Imprensa - Sindbet.

26 de nov de 2013

CTB-MG está na luta pelo marco regulatório das comunicações



 O Movimento social e sindical defendeu em audiência pública da Assembleia Legislativa (ALMG) ações que promovam a democratização da comunicação. A audiência aconteceu nesta segunda-feira (25) na Comissão de Direitos Humanos do legislativo mineiro. A CTB/MG reforça a campanha para coleta de assinaturas do projeto de lei de iniciativa popular que estabeleça um novo marco regulatório para as comunicações no País.

Chamada de lei da mídia democrática, a iniciativa foi apresentada em audiência pública da comissão, que aconteceu nesta segunda-feira (25/11/13), a pedido dos deputados Durval Ângelo (PT) e Celinho do Sinttrocel (PCdoB). A proposta de lei para o novo marco regulatório foi aprovada durante a Conferência Nacional de Comunicação, realizada em 2013.
A diretora do Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais e coordenadora do Comitê Mineiro do Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação, Lidyane Ponciano, reforçou que a maior motivação para um novo marco regulatório é o fato de as concessões de imprensa estarem nas mãos de poucos grupos há muito tempo.
De acordo com ela, o projeto de iniciativa popular pretende, entre outras ações, promover uma maior diversidade de expressão, a livre concorrência das empresas de comunicação, mais igualdade racial e liberdade de opinião. “Hoje, apenas dez grupos controlam 70% das concessões e existem 271 políticos ligados a empresas de comunicação”, lamentou.
Financiamento público da imprensa também preocupa
O Sindicato dos Professores do Estado (Sinpro-MG), filiado a CTB/MG, também esteve presente no debate desta segunda-feira. O vice-presidente do Sinpro, Marco Eliel Santos de Carvalho, criticou a concentração de poder e verbas públicas nas mãos dos grupos que controlam a mídia. Segundo ele, as reivindicações dos movimentos sociais no que se refere à democratização dos meios de comunicação não avançam e há um sucateamento das emissoras de TV públicas. “A legislação é antagônica e concentradora. A definição de um novo marco regulatório se faz urgente e tem o apoio popular”, reforçou.
Com informações da ALMG. Fotos da ALMG.




Todo apoio aos eletricitários em greve!

A CTB-Minas apoia o movimento grevistas dos eletricitários mineiros em resposta ás intransigências da direção da empresa.

Enquanto distribui dividendos superiores ao lucro para acionistas e prêmios milionários para as chefias, a CEMIG nega qualquer aumento real e rejeita a proposta de pacto pela saúde e segurança feita pelo sindicato.

A direção da CEMIG não valoriza seus trabalhadores, fecha os olhos para os acidentes e mutilações e vira  as costas aos consumidores.

A greve é a resposta justa e coletiva, decidida em assembleias representativas, merece todo o apoio da população e dos sindicatos em geral.

Em defesa da vida e da dignidade!

Lutar e Vencer 


19 de nov de 2013

CATT: inscrições para cursos do 1º semestre de 2014 já estão abertas

Já estão abertas as inscrições para os cursos do 1º semestre de 2014 do Centro de Atividades Técnicas do Trabalhador (CATT) - escola profissionalizante mantida pelo Sindicato dos Metalúrgicos de Betim e Região, entidade filiada à CTB Minas.
São oferecidos cursos de Mecânica de Automóveis (manhã e noite), Eletricidade de Automóveis (manhã e noite) e de Eletricidade Predial e Residencial (noite). As aulas terão início no dia 3 de fevereiro.
As inscrições podem ser feitas até o dia 20 de dezembro, na secretaria do CATT, de segunda a quinta-feira, das 9h às 12h e das 13h às 18h, e nas sextas-feiras, das 9h às 12h.
Podem se inscrever homens e mulheres a partir de 16 anos de idade. Não há exigência de escolaridade, apenas que os participantes sejam alfabetizados. Os documentos necessários são: Carteira de Identidade, comprovante de endereço e uma foto 3X4. Não há cobrança de matrícula e nem de mensalidade.
O CATT fica na Rua Primavera, nº 8, no Jardim Teresópolis, em Betim (em frente à passarela da Fiat Automóveis). Mais informações podem ser obtidas pelo telefone: 3591-1670.

Fonte: Departamento de Imprensa – Sindbet.

Servidores de Valadares vão parar nesta quarta pelo plano de carreira já!

Os servidores municipais de Governador Valadares vão paralisar suas atividades nesta quarta-feira (20). A decisão foi tomada em assembleia-geral com grande participação, realizada na sede do Sindicato dos Servidores Municipais de Governador Valadares (Sinsem-GV).
Segundo o Sindicato, que é filiado à CTB Minas, durante todo o dia serão promovidas diversas atividades, como uma grande manifestação em frente à sede da Prefeitura Municipal, a partir das 15h.
“A paralisação é uma demonstração da insatisfação e uma resposta dos servidores ao governo municipal, que, até o momento, não cumpriu o compromisso de enviar à Câmara dos Vereadores os planos de carreira dos trabalhadores Auxiliares de Administração Escolar, das áreas da Educação, Saúde, Iprem e da prefeitura em geral, conforme acertado com o Sindicato. Além disso, este ano a prefeitura não concedeu nenhum reajuste salarial e
nem mesmo a recomposição salarial obrigatória aos servidores”, justificou o presidente do Sinsem-GV, José Carlos Maia.
Segundo ele, a diretoria do Sindicato e os servidores que integram as Comissões do Plano de Carreira tiveram um trabalho imenso e tomaram todas as medidas para elaboração das propostas do novo plano de carreira, que foi enviada em tempo hábil à prefeita municipal e a todos os vereadores.
“O Sinsem-GV realizou, inclusive, diversas ações na Câmara Municipal, onde os vereadores manifestaram apoio total aos servidores. No entanto, já estamos caminhando para o final de novembro e até agora, nada. Diante disso, reivindicamos um maior esforço da prefeitura na elaboração de um PCCS que realmente atenda aos anseios da categoria”, acrescenta o presidente do Sindicato.
Confira o vídeo de convocação da paralisação veiculado nas TVs Alterosa, Globo, Record e Rio Doce: http://www.youtube.com/watch?v=HiUx428Yjng

Fonte: Sinsem-GV.

18 de nov de 2013

Para lutar contra os juros altos, centrais ocuparão Brasília no dia 26

“Menos juros, mais desenvolvimento”. Com essas palavras de ordem, a CTB e as demais centrais sindicais tomarão as ruas de Brasília no próximo dia 26 de novembro. Na pauta, a luta contra os juros altos e a política macroeconômica do governo federal. A expectativa das centrais sindicais é reunir ao menos dez mil pessoas na capital federal.
A data escolhida coincide com a última reunião realizada neste ano pelo Comitê de Política Econômica (Copom) do Banco Central. Nas últimas cinco reuniões, o BC aumentou de forma consecutiva a taxa Selic, hoje em 9,5% ao ano. Analistas do mercado financeiro apostam em um novo aumento nas reuniões de 26 e 27 de novembro.
“Durante o ato, cobraremos a mudança da política macroeconômica praticada pelo governo federal. Temos que lutar pelo fim do superávit primário, pela redução dos juros, pelo controle do câmbio e do fluxo de capitais, bem como a taxação das remessas de lucros e dividendos”, defende o presidente nacional da CTB, Adilson Araújo.
“A vida é uma prova de que a unidade na ação potencializa a força das centrais e do movimento sindical brasileiro. A agenda da classe trabalhadora por um novo projeto nacional de desenvolvimento com valorização do trabalho é a nossa bússola. Vamos à luta!”, complementa.
Fim de ano de lutas
A CTB enviará milhares de militantes, de todo o Brasil, para participar do ato em Brasília, que se soma à mobilização realizada no dia 12 de novembro em todo o país, quando as centrais sindicais foram às ruas lutar pelo fim do fator previdenciário.
“A resposta do movimento sindical é a mobilização e deve ser demonstrada nas ruas como ocorreu no dia 12. A política econômica é uma pedra no caminho das demandas do nosso povo. Vamos continuar pressionando por mudanças”, afirma Araújo.

Fonte: Portal CTB.

17 de nov de 2013

Dieese divulga nota técnica contra o Fator Previdenciári

“Fator Previdenciário: por que mudar?” Este é o título da Nota Técnica número 130, divulgada pelo Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese) no último dia 13. O documento faz um histórico do fator, que, na prática, funciona como “um redutor do valor da aposentadoria”, instituído através da reforma neoliberal da Previdência de 1988.

Desde que foi criado “o fator já atingiu 2.738.478 trabalhadores, 67% homens e 33% mulheres”, provocando uma redução média estimada em 40% do valor das aposentadorias.

“O Fator Previdenciário prejudica a todos os trabalhadores que pretendem se aposentar por tempo de contribuição. O prejuízo é maior para os que ingressaram no mercado de trabalho e começaram a contribuir mais cedo para a Previdência Social e que atingem o tempo de contribuição mínimo requerido na faixa dos 50/55 anos de idade”, concluem os técnicos do Dieese.

A nota técnica do Dieese pode ser acessada no seguinte endereço:

13 de nov de 2013

Novembro azul: campanha alerta sobre o câncer de próstata

Depois do “Outubro Rosa”, campanha mundial contra o câncer de mama realizada em outubro, neste mês está sendo promovido em diversos países o “Novembro Azul”, para alertar sobre o câncer de próstata.
A campanha tem o objetivo de alertar os homens para a importância do diagnóstico precoce do câncer de próstata e de conscientizá-los sobre a necessidade de se submeter a exames preventivos.
Para chamar a atenção da população, a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), em parceria com Instituto Lado a Lado pela Vida, iluminaram pontos turísticos em várias cidades e estão distribuindo panfletos explicativos sobre a doença.
Segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca), no ano passado, foram identificados mais de 60 mil novos casos de câncer de próstata. O instituto considera câncer de próstata uma doença da terceira idade, porque cerca de três quartos dos casos no mundo surgem a partir dos 65 anos.
De acordo com Eduardo Ribeiro, uro-oncologista do Hospital Santa Lúcia, em Brasília, os homens estão mais conscientes, “não tanto quanto as mulheres, que vão ao ginecologista desde adolescentes, mas a gente não vê mais tanta resistência”, contou.
Glândula
A próstata é uma glândula presente nos homens, localizada abaixo da bexiga e à frente do reto. O câncer pode ser descoberto inicialmente com um toque retal, medida que enfrenta a resistência de muitos homens, combinado com o resultado de um exame no sangue.
Se detectado o tumor, só a biópsia é capaz de confirmar a presença de um câncer. Segundo a SBU, quando descoberto no início, 90% dos casos de câncer de próstata são curáveis. De acordo com Ribeiro, pessoas que têm casos de câncer de próstata na família, obesas e negras têm mais risco de desenvolver a doença.
O câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens, atrás do câncer de pele. Em valores absolutos, é o sexto tipo mais comum no mundo e o mais prevalente em homens, representando 10% do total de cânceres. A taxa de incidência do câncer de próstata é seis vezes maior nos países desenvolvidos em comparação aos países em desenvolvimento.
Na fase inicial, o câncer da próstata não costuma apresentar sintomas. Quando surgem são parecidos com os do crescimento benigno da próstata: dificuldade de urinar e necessidade de urinar mais vezes durante o dia ou a noite. Na fase avançada, a doença pode provocar dor nos ossos, problemas para urinar e, quando mais grave, infecção generalizada ou insuficiência renal.
O tratamento vai depender do estágio da doença, e pode ser feito com cirurgia, radioterapia, tratamento hormonal e algumas vezes apenas observação médica.
As ações do Novembro Azul preveem, além de uma iluminação azul em pontos turísticos, como o Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, e o Congresso Nacional, em Brasília, a distribuição de panfletos em estádios de futebol durante o Campeonato Brasileiro.
A SBU vai entregar uma lista de sugestões aos parlamentares, entre elas a criação de centros de Referência em Saúde do Homem, para melhorar seu acesso ao SUS, assim como acontece com as mulheres.

12 de nov de 2013

Trabalhadores mineiros param a rodovia Fernão Dias pelo fim do Fator Previdenciário

A Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH) parou no início da manhã desta terça-feira (12) com a realização da manifestação do Dia Nacional de Luta pelo fim do Fator Previdenciário. Organizado pela Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), juntamente com as demais centrais sindicais, o ato público foi realizado na rodovia Fernão Dias (BR 381), limite entre os municípios de Contagem e Betim, próximo à Refinaria Gabriel Passos (Regap) e da Fiat Automóveis, interrompendo trânsito por mais de duas horas nos dois sentidos da via.
O protesto contou com a participação do Sindicato dos Metalúrgicos de Betim e Região, Sindicato dos Metalúrgicos de Belo Horizonte e Contagem, além de representantes de sindicatos de trabalhadores de outras categorias profissionais.
“É um dia de protestos em todo o país contra o Fator Previdenciário, a favor de um reajuste digno, que seja capaz de recuperar o poder de compra dos aposentados, e também de luta pelo desenvolvimento nacional, com valorização do trabalho, com uma maior geração de empregos e renda para os trabalhadores”, acentuou o presidente da CTB Minas, Marcelino da Rocha. Ainda de acordo com ele, o Projeto de Lei 4.330, que prevê a terceirização sem limites nas empresas brasileiras, é outro alvo dos protestos.
Instituído em 1999, durante o governo do presidente Fernando Henrique Cardoso, o Fator Previdenciário é um instrumento de arrocho das aposentadorias, que reduz em 40% ou mais o valor dos benefícios dos segurados. Conforme estudos do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese), “desde que foi criado, o Fator Previdenciário – que, na prática, é um redutor do valor da aposentadoria por tempo de contribuição – já atingiu quase 3 milhões de trabalhadores”, prejudicando-os substancialmente em seus vencimentos.
As manifestações do Dia Nacional de Luta pelo fim do Fator Previdenciário continuaram na tarde desta terça-feira (12), em frente à sede do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS), no centro da capital mineira, onde as centrais promoveram um ato público.
Metalúrgicos também protestam
Em Campanha Salarial Unificada, os metalúrgicos de Minas Gerais também aproveitaram as manifestações para voltar a repudiar a postura de intransigência da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais na mesa de negociações. Passados mais de três meses de embate com os metalúrgicos, a entidade patronal oferece apenas um índice de reajuste de 5,9%, que não inclui aumento real de salários, e, além disso, condiciona um possível aumento neste percentual à aceitação, por parte da categoria, do sistema de compensação banco de horas, com o qual os metalúrgicos não concordam.
Confira a cobertura fotográfica da manifestação no Facebook da CTB Minas.
Fonte: Departamento de Imprensa – Sindbet.

11 de nov de 2013

Metalúrgicos de Betim e Região dão recado à intransigência da Fiemg: recusam banco de horas e decretam “Estado de Greve” na categoria

Em uma assembleia participativa, realizada na manhã do último domingo (10), os metalúrgicos de Betim e Região voltaram a rejeitar, em votação unânime, a proposta de reajuste oferecida pela Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), rechaçaram a proposta patronal de implantação do banco de horas nas fábricas e decretaram “Estado de Greve” na categoria.
Com isso, num prazo de 48 horas de comunicação da decisão dos trabalhadores aos patrões, as fábricas metalúrgicos situadas em Betim, Igarapé e São Joaquim de Bicas - base de representação do Sindicato - podem ter a produção paralisada a qualquer momento.
Durante a assembleia, ficou evidente o descontentamento dos trabalhadores da categoria com a chantagem feita pela Fiemg, que condiciona a elevação do percentual de reajuste de 5,9% à aceitação, por parte da categoria, da implantação do banco de horas.
“Esta é uma proposta inaceitável”, reafirmou, durante a assembleia, o presidente do Sindicato, João Alves de Almeida, explicando em seguida os motivos do inconformismo dos trabalhadores com este sistema de compensação.
“Em Betim, os metalúrgicos já viveram uma experiência negativa com o banco de horas. Além disso, é uma forma de compensação pela qual o empregado trabalha sem receber, tem suas folgas exclusivamente determinadas pela empresa e, além do mais, passa a ficar mais tempo dentro da fábrica e, portanto, mais longe do convívio social com a família e amigos”, enumerou.
Presente à assembleia, o dirigente sindical Francisco Xavier, que integra a diretoria do Sindicato dos Metalúrgicos de Belo Horizonte e Contagem – entidade que faz parte da Campanha Salarial Unificada 2013 – também condenou o banco de horas e conclamou os trabalhadores para resistirem à proposta patronal. “Unidos aos sindicatos, temos que ter muito resistência,  coragem e perseverança na luta par não cedermos, em hipótese alguma, à chantagem da Fiemg”, sugeriu.
“Esta é uma luta de todos os metalúrgicos, que não podem aceitar a retirada de direitos e a imposição do banco de horas pela Fiemg”, reforçou o vereador Tiago Santana, do PCdoB de Betim, que criticou o fato de muitas empresas receberem incentivos fiscais dos governos municipal, estadual e federal, como terrenos e isenção de impostos, e não darem uma contrapartida social ao valorizar com salários mais dignos e condições de trabalho adequadas seus trabalhadores.
Também o presidente da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), seção Minas Gerais, Marcelino da Rocha, voltou a criticar a diferença salarial entre metalúrgicos de várias regiões do país, que coloca os trabalhadores da categoria em Minas Gerais na quarta pior posição no que diz respeito aos pisos salariais.
“Enquanto em muitos outros estados, como na Bahia, São Paulo, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul, metalúrgicos já têm acordos com mais de 2% de aumento real, aqui em Minas, sofremos com uma proposta vergonhosa da Fiemg, a única que foi apresentada nestes três meses de negociações”, acentuou. “Mobilizados nas fábricas e unidos aos sindicatos, temos a oportunidade de parar muitas fábricas, a partir da decretação do “estado de greve” e de, assim, fazer a diferença para melhor nesta Campanha Salarial Unificada”, complementou.
Em audiência de conciliação realizada na última quinta-feira (7), na Superintendência Regional do Trabalho e Emprego, ficou acertado que metalúrgicos e patrões voltam à mesa de negociações no próximo dia 19.

Fonte: Departamento de Imprensa – Sindbet. 

6 de nov de 2013

Centrais convocam trabalhadores para manifestações contra o Fator Previdenciário no próximo dia 12

As centrais sindicais irão às ruas no próximo dia 12 para lutar contra o Fator Previdenciário. A mobilização, prevista para acontecer em todas as capitais do país, parte da necessidade de se retomar as negociações pelo fim dessa herança neoliberal do governo de Fernando Henrique Cardoso.
No dia 21 de agosto, as centrais sindicais foram a Brasília para tratar do tema. Na ocasião, foi decidida a formação de um Grupo de Trabalho, formado por representantes dos ministérios da Fazenda e da Previdência, além da secretaria geral da presidência da República, com o intuito de encontrar uma alternativa ao Fator. O prazo estabelecido para que uma nova reunião fosse convocada foi de 60 dias. No entanto, até agora não houve nenhum retorno por parte do governo.
“A mobilização será a nossa resposta. Faremos bem em ampliar as manifestações, pois estávamos concentrando essa mobilização em Brasília”, disse o secretário de Previdência e Aposentados da CTB, Pascoal Carneiro.
Ataques
O dirigente da CTB recorda que o argumento do governo FHC para a criação do Fator era a necessidade de economizar recursos. “No entanto, de 1999 a 2013, segundo dados do governo, a economia foi de R$ 56 bilhões. Mas se pegarmos apenas dados de 2006 a 2013, somente com desonerações e renúncias fiscais o rombo foi de R$ 126 bilhões”, argumenta.
Para Pascoal Carneiro, o problema da Previdência Social está na política macroeconômica do governo. “Do modo como está, esse suposto ‘rombo’ vai continuar”, diz. “A Previdência não tem déficit. O problema é que toda a Seguridade Social sai dos cofres da Previdência, quando deveria sair do Tesouro. Tudo sai do caixa da Previdência. Ela, no entanto, é superavitária”, sustenta.
Prejuízos
O Fator Previdenciário é um critério utilizado para calcular o valor das aposentadorias, considerando o tempo de contribuição, idade e expectativa de vida. Criado em 1999 por Fernando Henrique Cardoso, o Fator reduz de forma injusta o valor do benefício, provocando uma perda salarial que pode superar os 40%. Vale lembrar, que nem os governos Lula e Dilma acabaram com o Fator Previdenciário. Por isso, o movimento sindical volta às ruas para acabar com esta injustiça social.
O Fator Previdenciário prejudica a todos os trabalhadores e trabalhadoras, especialmente a quem começou a trabalhar muito jovem – o que é muito comum no Brasil entre as famílias de menor renda, ou seja, a maioria dos brasileiros e brasileiras.
Por isso, a CTB exige o fim do Fator Previdenciário, que é nocivo aos trabalhadores e trabalhadoras, à sociedade brasileira e ao desenvolvimento do País. Para a CTB, acabar com o Fator é fazer justiça a quem teve que começar a trabalhar mais cedo, é pensar no futuro dos nossos jovens e das novas gerações.
Fonte: Portal CTB.
Edição: CTB Minas.


Desvendando Minas: Diretor da CTB Minas Gilson Reis lança livro nesta quinta-feira na Assembleia Legislativa de Minas Gerais

O 1º secretário-adjunto da direção Executiva da CTB Minas, Gilson Reis, lançará nesta quinta-feira (7), em Belo Horizonte, seu livro “Desvendando Minas: descaminhos do projeto neoliberal”. O lançamento ocorrerá em dois locais, primeiramente, no teatro da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), às 14h, e à noite, no Clube Mineiro da Cachaça (Rua Mármore, 373, bairro Santa Tereza), às 20h.
Redigido em parceria com o cientista político Pedro Otoni, a publicação traz análises de 14 estudiosos da política, educação, economia, saúde, movimentos sociais, entre outros temas, com o objetivo de proporcionar ao leitor uma leitura crítica da administração pública em Minas Gerais nos últimos anos.
“Desvendando Minas: descaminhos do projeto neoliberal” é uma obra de intervenção. Foi pensado para provocar reflexão e ação em seus leitores. A trajetória do tempo recente é percorrida dentro de “nuvens”; por isso os efeitos da turbulência são permanentes – partir do presente tirando as vendas do passado, lançando-se assim a abrir caminhos para o futuro”, explica o secretário-geral da Fundação Maurício Grabois Seção Minas Gerais, Sérgio Danilo Miranda Rocha.
“Das salas de aula ao chão das fábricas, do sistema prisional às ruas da cidade capital, temos em cada texto deste livro um fragmento que vai estabelecendo a construção de uma caixa de ferramentas necessária para forçar as frestas do discurso e consenso que se assentou na última década, para tanto, o necessário ‘dar combate à mistificação em sua própria casa’, é a linha de conduta dos textos”, acrescenta Sérgio Danilo.
Além de dirigente da CTB Minas, Gilson Reis também é presidente do Sindicato dos Professores de Minas Gerais (Sinpro Minas) e vereador em Belo Horizonte pelo Partido Comunista do Brasil (PCdoB).

Fonte: CTB Minas. 

5 de nov de 2013

Novembro azul: campanha alerta sobre o câncer de próstata

Depois do “Outubro Rosa”, campanha mundial contra o câncer de mama realizada em outubro, neste mês está sendo promovido em diversos países o “Novembro Azul”, para alertar sobre o câncer de próstata.
A campanha tem o objetivo de alertar os homens para a importância do diagnóstico precoce do câncer de próstata e de conscientizá-los sobre a necessidade de se submeter a exames preventivos.
Para chamar a atenção da população, a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), em parceria com Instituto Lado a Lado pela Vida, iluminaram pontos turísticos em várias cidades e estão distribuindo panfletos explicativos sobre a doença.
Segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca), no ano passado, foram identificados mais de 60 mil novos casos de câncer de próstata. O instituto considera câncer de próstata uma doença da terceira idade, porque cerca de três quartos dos casos no mundo surgem a partir dos 65 anos.
De acordo com Eduardo Ribeiro, uro-oncologista do Hospital Santa Lúcia, em Brasília, os homens estão mais conscientes, “não tanto quanto as mulheres, que vão ao ginecologista desde adolescentes, mas a gente não vê mais tanta resistência”, contou.
Glândula
A próstata é uma glândula presente nos homens, localizada abaixo da bexiga e à frente do reto. O câncer pode ser descoberto inicialmente com um toque retal, medida que enfrenta a resistência de muitos homens, combinado com o resultado de um exame no sangue.
Se detectado o tumor, só a biópsia é capaz de confirmar a presença de um câncer. Segundo a SBU, quando descoberto no início, 90% dos casos de câncer de próstata são curáveis. De acordo com Ribeiro, pessoas que têm casos de câncer de próstata na família, obesas e negras têm mais risco de desenvolver a doença.
O câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens, atrás do câncer de pele. Em valores absolutos, é o sexto tipo mais comum no mundo e o mais prevalente em homens, representando 10% do total de cânceres. A taxa de incidência do câncer de próstata é seis vezes maior nos países desenvolvidos em comparação aos países em desenvolvimento.
Na fase inicial, o câncer da próstata não costuma apresentar sintomas. Quando surgem são parecidos com os do crescimento benigno da próstata: dificuldade de urinar e necessidade de urinar mais vezes durante o dia ou a noite. Na fase avançada, a doença pode provocar dor nos ossos, problemas para urinar e, quando mais grave, infecção generalizada ou insuficiência renal.
O tratamento vai depender do estágio da doença, e pode ser feito com cirurgia, radioterapia, tratamento hormonal e algumas vezes apenas observação médica.
As ações do Novembro Azul preveem, além de uma iluminação azul em pontos turísticos, como o Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, e o Congresso Nacional, em Brasília, a distribuição de panfletos em estádios de futebol durante o Campeonato Brasileiro.
A SBU vai entregar uma lista de sugestões aos parlamentares, entre elas a criação de centros de Referência em Saúde do Homem, para melhorar seu acesso ao SUS, assim como acontece com as mulheres.

Novembro azul: campanha alerta sobre o câncer de próstata

Depois do “Outubro Rosa”, campanha mundial contra o câncer de mama realizada em outubro, neste mês está sendo promovido em diversos países o “Novembro Azul”, para alertar sobre o câncer de próstata.
A campanha tem o objetivo de alertar os homens para a importância do diagnóstico precoce do câncer de próstata e de conscientizá-los sobre a necessidade de se submeter a exames preventivos.
Para chamar a atenção da população, a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), em parceria com Instituto Lado a Lado pela Vida, iluminaram pontos turísticos em várias cidades e estão distribuindo panfletos explicativos sobre a doença.
Segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca), no ano passado, foram identificados mais de 60 mil novos casos de câncer de próstata. O instituto considera câncer de próstata uma doença da terceira idade, porque cerca de três quartos dos casos no mundo surgem a partir dos 65 anos.
De acordo com Eduardo Ribeiro, uro-oncologista do Hospital Santa Lúcia, em Brasília, os homens estão mais conscientes, “não tanto quanto as mulheres, que vão ao ginecologista desde adolescentes, mas a gente não vê mais tanta resistência”, contou.
Glândula
A próstata é uma glândula presente nos homens, localizada abaixo da bexiga e à frente do reto. O câncer pode ser descoberto inicialmente com um toque retal, medida que enfrenta a resistência de muitos homens, combinado com o resultado de um exame no sangue.
Se detectado o tumor, só a biópsia é capaz de confirmar a presença de um câncer. Segundo a SBU, quando descoberto no início, 90% dos casos de câncer de próstata são curáveis. De acordo com Ribeiro, pessoas que têm casos de câncer de próstata na família, obesas e negras têm mais risco de desenvolver a doença.
O câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens, atrás do câncer de pele. Em valores absolutos, é o sexto tipo mais comum no mundo e o mais prevalente em homens, representando 10% do total de cânceres. A taxa de incidência do câncer de próstata é seis vezes maior nos países desenvolvidos em comparação aos países em desenvolvimento.
Na fase inicial, o câncer da próstata não costuma apresentar sintomas. Quando surgem são parecidos com os do crescimento benigno da próstata: dificuldade de urinar e necessidade de urinar mais vezes durante o dia ou a noite. Na fase avançada, a doença pode provocar dor nos ossos, problemas para urinar e, quando mais grave, infecção generalizada ou insuficiência renal.
O tratamento vai depender do estágio da doença, e pode ser feito com cirurgia, radioterapia, tratamento hormonal e algumas vezes apenas observação médica.
As ações do Novembro Azul preveem, além de uma iluminação azul em pontos turísticos, como o Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, e o Congresso Nacional, em Brasília, a distribuição de panfletos em estádios de futebol durante o Campeonato Brasileiro.
A SBU vai entregar uma lista de sugestões aos parlamentares, entre elas a criação de centros de Referência em Saúde do Homem, para melhorar seu acesso ao SUS, assim como acontece com as mulheres.

Metalúrgicos da Stola repudiam repressão policial e atrasam entrada na fábrica por duas horas

A indignação dos metalúrgicos de Minas Gerais diante da intransigência patronal nas negociações da Campanha Salarial Unificada 2013 é cada vez maior. Isso ficou ainda mais evidente na tarde desta segunda-feira (4), durante o ato público realizado em frente à Stola do Brasil, em Belo Horizonte.
Durante a manifestação, que contou com a participação do Sindicato dos Metalúrgicos de Betim e Região, do Sindicato dos Metalúrgicos de BH e Contagem, da Central dos Trabalhadores e Trabalhadores do Brasil (CTB), da Central Única dos Trabalhadores (CUT) e de dirigentes de sindicatos dos metalúrgicos do interior do Estado, os trabalhadores se mantiveram firmes na portaria da empresa, mesmo com a forte repressão policial, atrasando a entrada na fábrica em mais de duas horas.
Em assembleia, os metalúrgicos da Stola, que no último dia 31 de outubro já haviam decidido pelo “estado de greve”, aprovaram como reivindicações o reajuste salarial de 9,5%, sem banco de horas, e o abono de R$ 1.500,00.
“Mais uma vez, os metalúrgicos demonstraram que estão unidos às suas entidades representativas e dispostos a continuarem a luta por reajuste salarial e abono decentes e para enterrar, de uma vez por todas, a proposta de banco de horas feita pelos patrões”, disse o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Betim e Região, João Alves de Almeida.
Agressão policial
Mesmo sendo uma manifestação pacífica, o ato público foi acompanhado por um verdadeiro batalhão da Polícia Militar, composto de dezenas de policiais e inúmeras viaturas. Como registrado em outras manifestações realizadas entre Belo Horizonte, Contagem e Betim, policiais se mantiveram de plantão no interior da fábrica.
Tão logo os dirigentes sindicais chegaram às imediações da fábrica, diversos militares em motos saíram do interior da Stola, numa demonstração descarada de que estavam a serviço dos patrões.
Durante o ato, policiais chegaram a agredir uma diretora do Sindicato dos Metalúrgicos de BH/Contagem e um militante, que protestavam em frente à portaria da empresa contra as tentativas dos militares, que estavam fortemente armados, de intimidarem a manifestação. Com a agressão, os militares foram vaiados pelos trabalhadores, que reprovaram veementemente a presença da PM no local.
“Não somos bandidos, somos trabalhadores. O papel da PM é correr atrás de bandido, disse indignado um metalúrgico.
“Apesar das agressões, que deixaram um militante com suspeita de fratura no nariz, os trabalhadores deram uma resposta à altura aos patrões, permanecendo fora da fábrica até o último orador. Assim, chegaremos aos nossos objetivos”, disse o presidente da CTB Minas, Marcelino da Rocha.
Nesta quinta-feira (7) haverá uma reunião de mediação entre as partes na Superintendência Regional do Trabalho e Emprego em Minas Gerais (SRTE), em Belo Horizonte. Já no domingo (10), o Sindicato promoverá uma assembleia com os trabalhadores no Clube dos Metalúrgicos, em Betim (Rua Cuiabá, 190, bairro Niterói), às 10 horas.

Fonte: Departamento de Imprensa – Sindbet.